in

Mercado de confeitaria neste ano de 2022: tendências e dicas de atuação

Confira quais são as perspectivas e conselhos de experientes especialistas para atuar neste ramo que não para de crescer desde o advento da atual pandemia de Covid-19, chegando a faturar 12 bilhões de reais a cada ano

Foto: Getty Images

 

Você sabia que a confeitaria é um dos segmentos do mercado food service que mais tem movimentado a economia brasileira nos últimos anos, principalmente, a partir do advento da atual pandemia de Covid-19? Pois é! Prova disso é que, de acordo com a pesquisa intitulada de ‘Consumo Equilibrado’, publicada no site Minuto Ligado em maio de 2021, por exemplo, o mercado de doces no Brasil, o qual inclui bombonieres, confeitarias e fábricas, chega a faturar 12 bilhões de reais a cada ano. Além disso, segundo estudo publicado no portal nacional G1, o negócio de confeitaria movimentou sozinho, no ano de 2019, mais de 15 bilhões de reais. Assim como, um levantamento realizado pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), em parceria com a Universidade Federal de Minas Gerais e a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), apontou que o consumo de doces no país cresceu 47,1% durante a pandemia de Covid-19, sendo que, entre os adultos de 18 a 29 anos, 63% passaram a consumir doces duas vezes por semana ou mais.

 

Frente a esse cenário de contínua expansão, surgem as seguintes indagações:

 

Como ficará o mercado de confeitaria neste ano de 2022?

 

Quais são as tendências e dicas de atuação?

 

Não faz ideia? Não tem problema! Afinal, nós da Rede Food Service te adiantamos, com o objetivo de compartilhar quais são as perspectivas e conselhos de experientes especialistas nesse segmento para uma atuação de sucesso nos próximos meses. Vamos lá?

 

Como deve ser a performance do setor nacional de confeitaria neste ano de 2022?

 

 

Para Rafael Barros, Chef de Confeitaria da Harald e Diretor Criativo da Opera Ganache, “a expectativa é alta. Estamos, inclusive, trabalhando para a primeira Páscoa com o comércio aberto desde o início da pandemia de Covid-19, após duas Páscoas com as lojas fechadas, incertezas e muita insegurança. Com a economia ainda fragilizada, teremos muitas pessoas transformando açúcar, chocolate e farinha em produtos deliciosos e participando do famoso mercado de ‘faça e venda’, seja para complementar a renda familiar, seja para obter uma renda mínima que resulta do alto índice de desemprego. Assim, acredito que 2022 será um ano bastante agitado para o segmento”, prevê.

O Chef de Confeitaria Rafael Barros – Foto: Divulgação

 

Nathalia Pires, Gerente de Marketing da Puratos, multinacional belga que desenvolve soluções tecnológicas para a produção de panificação, confeitaria e chocolate, partilha que “a nossa expectativa é otimista. O avanço da vacinação na população contribui para um cenário mais positivo para este início de 2022 e, como consequência, projetamos uma Páscoa melhor do que o ano anterior, com crescimento em volume e distribuição numérica. Ao longo do ano passado, projetamos a recuperação das vendas, com foco no aumento do consumo de doces e sobremesas durante a pandemia de Covid-19, que acreditamos que se mantenha ao longo deste ano”, divide.

 

Tendências do setor brasileiro de confeitaria neste ano de 2022

 

Diante de tão boas previsões de performance para o setor nacional de confeitaria neste ano de 2022, é importante que os profissionais que trabalham ou aqueles que ainda pretendem começar a empreender nesse ramo conheçam quais são das tendências do segmento, que, conforme Pires, da Puratos, são algumas até já conhecidas. “Uma importante tendência que já vinha surgindo e intensificou muito com a pandemia de Covid-19 é a procura por produtos mais saudáveis e, ainda assim, gostosos e indulgentes. Na nossa última pesquisa, chamada de Taste Tomorrow e que identifica as principais tendências de consumo, vimos que 69% dos consumidores têm dado preferência a alimentos mais saudáveis quando disponíveis. Outra tendência que permeia por todas as categorias e ganha relevância são os produtos de origem vegetal, adequados para dietas veganas e vegetarianas. Em 2018, 14% dos consumidores declararam comprar alimentos de origem vegetal por pelo menos uma vez por semana e, em 2021, esse número subiu para 37%. Outra tendência para confeitaria, em que já começa a crescer as ofertas de produtos, observamos também um aumento de produtos com inspiração asiática, com o sabor matchá se tornando mais popular, bebidas de aloe vera, mochi e cheesecakes com texturas inovadoras”, elenca.

 

Nathalia Pires, Gerente de Marketing da Puratos – Foto: Divulgação

 

Barros, da Harald e Opera Ganache, afirma que “para este ano de 2022, existem algumas tendências internacionais que estão começando a despontar no mercado nacional. A primeira é representada pelos chamados drageados, que são frutas secas cobertas com chocolate de aparência bastante colorida, brilhantes e extremamente saborosos. Já estão atraindo, cada vez mais, a atenção dos clientes, o que vem levando muitos confeiteiros a aprender essa técnica para inserir essa opção nos cardápios de seus negócios. Visto que grandes marcas estão importando drageados e oferecendo no mercado nacional, é uma opção que tende a ganhar cada vez mais espaço. A segunda tendência são os chocolates com o teor de cacau mais elevado. O consumidor está mais exigente e já está educado em relação à qualidade. Já, inclusive, chegamos a observar essa tendência em 2021 aqui na Harald, com o aumento de vendas da nossa linha Unique de chocolates de origem que possui produtos com diferentes percentuais de cacau (35%, 53%, 63% e 70%), que obteve resultados bastante expressivos. Sendo importante destacar que dois motivos facilitaram essa intenção de compra: embalagens menores (de 400g) e a formação do paladar do público. A terceira tendência são os tabletes de chocolate com frutos secos. Diversas marcas apostam nessa combinação de indulgência e saudabilidade. E a quarta é o chocolate com zero adição de açúcar. A busca por produtos zero vem crescendo em função de dietas mais equilibradas e casos de restrições alimentares e/ou alergias, como uma opção que permite o consumo do chocolate mantendo sua indulgência e sabor, explorando o melhor que o cacau tem a oferecer sem o volume de açúcar encontrado no chocolate comum”, detalha.

 

No que investir no setor brasileiro de confeitaria neste ano de 2022?

 

Inspirados nas tendências apontadas do mercado nacional de confeitaria neste ano de 2022, Pires, da Puratos, e Barros, da Harald e Opera Ganache, indicam no que o profissional desse segmento deve investir durante os próximos meses. “Devem investir em criatividade, produtos inovadores, combinação de sabores inusitados, formas diferentes de produzir os mesmos produtos e muita exclusividade, com moldes personalizados. A Harald, por exemplo, lançou, recentemente, dois produtos zero açúcar que fazem parte da linha Melken: o Melken Zero Açúcar Ao Leite e o Melken Zero Açúcar Meio Amargo 63% Cacau. Os produtos vieram de uma demanda de pedidos vindos dos próprios consumidores e, assim, conseguimos desenvolver um produto realmente saboroso, que possui uma cremosidade excelente e um snap incrível, mas com zero açúcar e alto teor de cacau. Quem prova, aprova! Outro produto que foi lançado nos últimos meses foi o TOP Milky, cobertura fracionada da linha TOP desenvolvida com uma tecnologia inovadora, que traz um maravilhoso sabor lácteo intenso e notas caramelizadas que surpreendem muito. Ele contém líquor de cacau, o que diferencia esse produto de qualquer outro existente nessa categoria. Será um hit na Páscoa, com certeza, pela praticidade (tendo em vista que não exige temperagem para seu uso) e tem uma cristalização super-rápida”, ressalta Barros.

 

Os famosos docinhos da @operaganache – Foto: Divulgação

 

Pires, por sua vez, aconselha que “é necessário sempre estar próximo do consumidor e entender as necessidades, mudanças de hábitos de consumo e se antecipar frente às mudanças e tendências. Além disso, precisa ser um profissional aberto a inovação, pois a confeitaria no Brasil está sempre em mudança e atualização. Com esse foco, nós da Puratos já lançamos uma linha de bolos saudáveis, a Satin Fit. Com 30% menos açúcar do que a versão tradicional, é um bolo que entrega tanta qualidade e sabor, porém com importantes diferenciais de saudabilidade, como fonte de fibras de origem natural extraídas da chicória. Além disso, contém prebióticos e é fonte de cálcio. No próximo mês, lançaremos uma linha de recheios de fruta, sem ingredientes artificiais, 100% vegetal, com excelente sabor e sem perder performance. Pode ser congelado e forneado, sendo excelente para todo o tipo de aplicação. Outro lançamento que já fizemos foi uma pré-mistura para brownie e petit gateau, que é 100% vegetal, além de entregar sabor e texturas surpreendentes”, detalha.

 

Efeitos da pandemia de Covid-19 no mercado nacional de confeitaria

 

Na compreensão de Pires, da Puratos, e Barros, da Harald e Opera Ganache, apesar de um dos efeitos da pandemia de Covid-19 no mercado nacional de confeitaria ter sido a retração das vendas em um dos períodos mais importantes do setor, que é a Páscoa, nos últimos dois anos, a doença também acabou trazendo uma importante valorização para o ramo, inclusive, o que serviu para atrair mais empreendedores e investidores. “Com a pandemia de Covid-19, as pessoas se viram repentinamente em casa e buscaram, na cozinha, um jeito de sobreviver e gerar renda. As vendas de brownies, brigadeiros, bolos e doces para círculos de amizade, em condomínios e na vizinhança auxiliaram centenas de famílias em um momento de extrema fragilidade. E, nesse ponto, o acesso à Internet foi fundamental durante a pandemia. Assim, as videoaulas, conteúdo nas mídias sociais e sites foram importantes para que esse público pudesse se capacitar e aperfeiçoar para produzir produtos com baixo investimento, mas com uma qualidade incrível. Muitos se apaixonaram pela confeitaria e, agora, querem crescer no segmento”, enfatiza Barros.

 

Bolo Germânico receita da Puratos – Foto: puratos.com.br / reprodução

 

Pires sinaliza que “durante o período do começo da pandemia de Covid-19, muita gente se aventurou a preparar bolo em casa, por exemplo. E isso ajudou muito no hábito de consumo e a incluir no dia a dia das pessoas itens de confeitaria. E, nesse momento em que estamos nos recuperando desse momento, as confraternizações e encontros estimulam ainda mais o consumo da categoria. Por isso, o cenário durante e pós-pandemia ainda é positivo”, garante.

 

Dicas para quem quer começar a trabalhar no mercado nacional de confeitaria neste ano de 2022

 

Por fim, Pires, da Puratos, e Barros, da Harald e Opera Ganache, endossam que começar a trabalhar no mercado nacional de confeitaria neste ano de 2022 vale a pena, além de, gentilmente, deixarem dicas de como obter bons resultados nesse segmento mão na massa em franca expansão no país. “A confeitaria no Brasil é composta de diferentes produtos e sabores. Por isso, a oportunidade é imensa, além do consumo de doces e sobremesas ter crescido mais de 60% com a pandemia de Covid-19. Portanto, quem deseja atuar nessa área precisa conhecer e trabalhar sempre com insumos de alta qualidade. Apesar de todas as tendências, a grande chave para fidelizar um consumidor ainda é o sabor, principalmente, para o segmento de confeitaria. Dessa forma, o meu conselho é que invista tempo e conhecimento para combinar sabores, decorar, ter ou desenvolver uma embalagem funcional e que valorize o produto. Isso faz muita diferença no dia a dia”, orienta Pires.

 

Ovo de Páscoa Pate de Fruit Framboesa da @operaganache – Foto: Divulgação

 

Já Barros aconselha que “ainda que tenhamos altos índices de vacinação, a pandemia de Covid-19 ainda não acabou. Somando-se a isso o nosso cenário político e econômico, seguiremos por um caminho de incertezas ainda por algum tempo. Com isso, ainda veremos muitas pessoas em casa, que precisarão de alternativas para seu cotidiano e que encontrarão na confeitaria uma oportunidade de crescimento. E, se essa realidade é a sua, indico formação, formação e formação. Buscar aprendizado, conhecimento e praticar são o fator primordial para conseguir a diferenciação e o destaque nesse mercado. Além disso, utilizar produtos de qualidade que garantam boa performance dos produtos, bom rendimento e ótimo custo-benefício. A Harald tem uma linha ampla de produtos que atendem às necessidades do mercado e, por isso, vale muito a pena se informar mais sobre eles e testá-los. Temos soluções para todas as ocasiões”, assegura.

 

E aí? Gostou de ficar por dentro das tendências do setor nacional de confeitaria para este ano de 2022? Então, continue nos acompanhando e CLIQUE AQUI para conferir dicas semelhantes voltadas ao setor de sorvetes e AQUI ao ramo de panificação. Afinal, aqui na Rede Food Service, a informação é sempre completa e verdadeiramente Mão na Massa!

Escrito por #molongui-disabled-link

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carregando…

0

Comentários

0 comentários

Supermercados on-line ganham espaço no dia a dia do consumidor

Chef Aprendiz inicia o ano com oficina de culinária vegana para jovens