Pesquisar
Close this search box.

QUAL O PREÇO DO CLIENTE?

Cliente
Cliente Restaurante - RFS

 

Quanto custa ser o preferido?

 

Você, empresário, diria que a resposta é complexa. Eu também digo que SIM! É complexa! Entretando, é possível mapear este caminho e trilhar um percurso personalizado, ou seja, é provável que seja necessário se desconectar das tarefas do dia a dia de uma operação Food Service para entender o negócio e estruturar um novo modelo de operação.

 

Mais clientes fiéis, mas fluxo de caixa, mais lucro, mais prosperidade = CRESCIMENTO.

 

Tudo ok até aqui.

 

Porém, para a esmagadora maioria dos empresários que buscam um lugar ao sol no mercado algumas vezes é difícil ter visão estratégica, é difícil pensar em outra coisa além de pagar os boletos, os funcionários, quitar os empréstimos… Venhamos que OLHAR para o negócio e VER além do óbvio é um serviço que deve ser reconhecido e contratado, afinal: quanto custa ter um cliente fiel? Só ELE vai viabilizar o sucesso do seu negócio e mantê-lo entre os principais locais mais lembrados pelo consumidor. Vamos entender um pouco mais…

 

O que proponho aqui é um exercício para os donos de bares e restaurantes: o que você está praticando todos os dias pra fazer o seu negócio ser único? Não me leve a mal, mas hoje em dia, fazer mais do mesmo deixou de ser uma opção. O “algo a mais” precisa existir, só assim seu negócio vai sair do raso e ficar lá no TOP 10 das nossas escolhas, afinal, eu e você também somos clientes. 😊

 

– Como anda o ATENDIMENTO dos funcionários? Como se portam junto ao cliente apresentando o cardápio, vendendo o menu, servindo e hospedando?

– O cardápio impacta na disposição dos mobiliários? Você vende nas redes sociais uma atmosfera despojada, drinks, imagens das pessoas confraternizando em pé…, mas na realidade o design da loja está pronto pra isso? O cardápio precisa estar alinhado com a disposição do layout e na escolha dos mobiliários. Não faz sentido você convidar as pessoas para momentos com amigos, longas horas de consumo se a cadeira do salão é super desconfortável, por exemplo: ninguém vai permanecer!

– A ambientação está alinhada com o propósito da Marca? Este assunto tem muita relevância! Todos os elementos decorativos e de revestimentos devem ter a linguagem do propósito, seja ele qual for (Este assunto deve ser trabalhado por arquitetos ou designer de ambientes que tenham conhecimento e estejam alinhados com o branding do Cliente)

– O SOM e o SILÊNCIO. Tratar a acústica do ambiente é tão importante quando fazer música, compor playlist… Esta verba muitas vezes é cortada pois, à primeira vista, não é vista. Devo afirmar que é um dos assuntos mais relevantes pois o tratamento acústico mostra na prática a qualificação ou não de um espaço. SENTIR o conforto acústico faz a gente olhar o ambiente com outros olhos, acalma a alma. 😉

– CONECTAR e INTERAGIR. Seja por redes sociais, atendimento pessoal, uma boa comida, boa música, decoração assertiva etc. Como você vai fazer a conexão e de que forma será a interação? Seja ela direta ou indiretamente, o cliente exige portas abertas para ser ouvido e compreendido. Se o seu restaurante faz o melhor filé com fritas e tem tradição neste serviço a ideia é que esta seja a alavanca para a comunicação com seu público. A partir disso é possível trabalhar a ambientação e atingir a Persona através de publicidade direcionada, por exemplo. Mas se a ambientação do bar é o ponto alto do lugar, então este deve ser o ponto alto e precisa estar em todas as chamadas porque ele é o “algo a mais”.

 

Neste caminho, para ter o cliente preferido você também precisa ser a escolha preferida dos teus funcionários! No setor da alimentação as frentes de trabalho são os olhos e os braços do Empresário, ou seja, você os treina para um excelente atendimento, mas na prática quem opera a função é o seu funcionário que talvez possa não estar de bom humor todos os dias… A notícia boa é que o quanto mais existir empatia entre os cargos, mais fácil é a comunicação e existem tem mais motivos para abraçar a causa do lugar.

 

ENTÃO, quanto custa ser o lugar PREFERIDO do cliente? As vezes pode custar muito aos olhos de quem não vive o propósito da Marca. Mas para restaurantes que são TREND TOPICS dos Clientes, ou seja, são relevantes em vários setores (excelentes pratos, atendimento impecável, ambiente adequado ao propósito, limpeza, música…etc.) manter-se entre os melhores é algo que acontece de forma natural e coordenada, consequência de um estudo focado em gerar a melhor experiência ao cliente.

 

Você conseguiu pensar neste exercício e identificar qual o status do seu negócio? Gostaria de ser lembrado por qual serviço? Esta é a principal pergunta para um possível diagnóstico de tratamento.

 

Veja que o cliente vale MUITO: “É justo que muito custe o que muito vale” já diz Santa Tereza D’ávila. Por isso, fortalecer VÍNCULOS e oferecer EXCELÊNCIA são ações as quais devem ser semeadas para uma linda e gratificante colheita, afinal, o CLIENTE NÃO TEM PREÇO!

 

CONFIRA TAMBÉM: HOSPITALIDADE NA MESA

 

Leia outros conteúdos sobre Gestão e Mercado aqui na Rede Food Service!

 

Belisa Medeiros é a arquiteta da BEKITCHENS, Empresa especializada em Concepção e Planejamento para Projetos de Restaurantes.  A BEKITCHENS oferece a solução completa para o setor do Food Service, desde o projeto até implantação de empreendimentos gastronômicos. Atua com projetos de restaurante para refeições coletivas, hotéis, restaurantes comerciais, cafeterias e demais áreas do setor.

www.bekitchens.com.br

@be.kitchens

[email protected]

 

Compartilhar:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Fique Atualizado!

Assine nossa newsletter