in

Casa da Azeitona: a mercearia e empório gastronômico que nasceu junto com o Mercado Municipal de Curitiba

Negócio possui sete unidades franqueadas com faturamento mensal na ordem de R$ 100 mil a R$ 500 mil

Luiz Fernando Pavanello e o pai. Duas gerações a frente do negócio - Foto: Divulgação

 

Uma boa mistura da tradicional mercearia com um moderno empório gastronômico. Essa é a Casa da Azeitona, um negócio food service que nasceu junto com o Mercado Municipal de Curitiba, no Paraná, e, hoje, possui sete unidades franqueadas com faturamento mensal na ordem de R$ 100 mil a R$ 500 mil.

 

Em entrevista exclusiva à Rede Food Service, Luiz Fernando Pavanello, curitibano, economista, casado e pai de dois filhos, o atual gestor da marca, conta que “a história da Casa da Azeitona confunde-se com a história do Mercado Municipal de Curitiba. Ambos nasceram juntos, em 1958, época em que era comum o comércio nos moldes de mercearia, em que a loja oferecia mercadorias a granel diretamente das embalagens de atacado. Media-se e pesava-se na hora as quantidades dos itens que estavam sendo adquiridos e o cliente levava para casa o volume exato dos produtos que estava procurando. Desde os anos 50 até os dias atuais, a Casa da Azeitona mantém esse charme de armazém, comercializando uma grande variedade de produtos a granel nacionais e importados. Com o passar do tempo, a loja também investiu na variedade de itens de empório, oferecendo aos seus clientes produtos industrializados de primeira linha para aqueles que admiram os prazeres da cozinha em todos os detalhes”, conta.

 

Foto: Divulgação

 

O empresário relata também que “as nossas unidades faturam mensalmente algo na ordem de R$ 100 mil a R$ 500 mil, com boa margem de lucro e payback atraente. Para formatarmos a nossa empresa, contamos com um trabalho completo efetuado pela empresa NetplaN Consultoria, de Curitiba, empresa dirigida por Daniel Bernard, um dos principais especialistas brasileiros em formatação de franquias do ramo alimentício, com mais de 380 clientes desenvolvidos ao longo dos últimos 30 anos, sendo 112 redes somente do setor alimentício. Contamos ainda com o trabalho de agência de comunicação e diversos outros profissionais e prestadores de serviços especializados. Além disso, ao longo dos anos, familiares ajudaram e seguem ajudando na concepção e gestão do negócio. Meu pai ajuda até hoje no atendimento a clientes, por exemplo. E já estamos na segunda geração”, explica.

 

O que é a Casa da Azeitona?

 

Na concepção de Pavanello, a Casa da Azeitona “trata-se da operação mais tradicional e de maior prestígio do Mercado Municipal de Curitiba. Atuamos com venda a granel. Ou seja, o cliente compra o quanto precisa. E, em decorrência do nosso posicionamento estratégico e de acordo com fornecedores, a empresa compra melhor e vende mais que os seus concorrentes. A nossa mercearia e empório gastronômico foi criado no ambiente do Mercado Municipal de Curitiba e traz as delícias da culinária mediterrânea e internacional, com atendimento personalizado ao cliente. Para a expansão da rede, a arquiteta manteve elementos visuais que lembram a origem de nosso negócio”, revela.

 

Foto: Divulgação

 

Investimento inicial e atual estrutura

 

Para estruturar a Casa da Azeitona, foi feito um investimento inicial “na faixa de R$ 400 mil a R$ 600 mil, uma média de R$ 550 mil”, partilha Pavanello.

 

Foto: Divulgação

 

Sobre a atual estrutura do negócio, o empresário esclarece que “o nosso negócio é focado no formato ToGo e tem um controle por senha. Com isso, segue obtendo um bom faturamento mesmo durante a atual pandemia de Covid-19. Contudo, nós tivemos uma perda total na linha de perecíveis nos dias em que a loja permaneceu fechada no início da pandemia. E, desde a fundação, nunca fechamos nenhuma unidade da rede. Hoje em dia, a rede conta com 36 colaboradores, sendo 8 na franqueadora e 28 distribuídos nas 7 unidades franqueadas”, enfatiza.

 

Cardápio e perfil de cliente

 

Em relação ao cardápio da Casa da Azeitona, Pavanello diz que “atualmente, trabalhamos com produtos para gastronomia de primeira linha, como patês, bacalhau, azeites, azeitonas, frios e embutidos, massas, geleias, mel, biscoitos, petiscos, molhos, temperos, condimentos, congelados, chocolates e doces. E os produtos carro-chefe são as azeitonas, que dão o nome ao estabelecimento, e também os patês e o bacalhau, muito apreciados na Páscoa, no Natal e ao longo do ano em geral. No total, são cerca de 800 itens”, detalha.

 

Foto: Divulgação

 

O empresário acrescenta que “atingimos todas as faixas etárias pertencentes às classes A e B, sobretudo, os clientes acima dos 45 anos”, divulga.

 

A franqueadora Casa da Azeitona

 

Segundo Pavanello, as atuais 7 unidades franqueadas da Casa da Azeitona estão localizadas em Curitiba e Ponta Grossa, no Paraná, Rio de Janeiro, capital, Balneário Camboriú, Florianópolis e Jaraguá do Sul, em Santa Catarina, e Teresina, no Piauí. “A franqueadora oferece como diferencial o suporte de gestão das lojas aos franqueados. Todos são orientados e direcionados sobre todos os processos de gestão, desde o estudo da implementação da loja, passando pelo processo de instalação, compras, treinamentos, gestão operacional, financeira e comercial. Tudo isso baseado em sistemas de controle de gestão, além da estrutura de RH da franquia, que possui atuação permanente dos diretores e demais colaboradores da franquia focados no sucesso de cada unidade franqueada. Além dos diferenciais em atendimento, linhas de produto, fidelização e bom valor médio de compras por cliente, a rede Casa da Azeitona se diferencia pelo formato mercearia/empório a granel, sendo um local acessível a qualquer público. A empresa procura criar uma linha de produtos para um público de perfil amplo, buscando identificar os gostos e preferências da maioria da população em geral pertencentes à classe A/B e consumidor de produtos gourmet, sendo esse o nosso público-alvo primário. A Casa da Azeitona é atraente para pessoas que valorizam qualidade, preço e variedade de produtos disponíveis em um único espaço comercial”, apresenta o empresário.

 

Foto: Divulgação

 

Segredo do sucesso

 

Por fim, Pavanello divide que o segredo para alcançar o sucesso no mercado food service é “comprar bem e vender bem, além de administrar bem o capital de giro, trabalhar com produtos de qualidade e clientes fidelizados. Hoje, o mais importante do que o faturamento é a rentabilidade e a longevidade do negócio”, indica.

 

E aí? Gostou de conhecer a história de um tradicional e, ao mesmo tempo, moderno negócio food service como a Casa da Azeitona? Esperamos que sim, pois te inspirar por meio de exemplos reais e de sucesso como esse toda semana é o que nos move. Por isso, continue nos acompanhando!

 

Escrito por #molongui-disabled-link

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carregando…

0

Comentários

0 comentários

Torta Integral de Liquidificador

Polen: conheça a cleantech que já enviou mais de 60 mil toneladas de embalagens para a reciclagem