in

Vinicius Justo Curtts afirma que vida de chef está longe de ser um conto de fadas

Atualmente, chef atua como consultor na área de Gastronomia do SEBRAE-MG, dá mentorias para profissionais do setor e é professor universitário na PUC Minas, além de ministrar cursos livres em diversas áreas

Foto: Divulgação

 

Vida de chef está longe de ser um conto de fadas, afirma Vinicius Justo Curtts, de 40 anos, o chef Vinicius Curtts, em entrevista exclusiva à Rede Food Service.

 

Para o chef, que, atualmente, atua como consultor na área de Gastronomia do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas em Minas Gerais (SEBRAE-MG), dá mentorias para profissionais do setor e é professor universitário na Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas), além de ministrar cursos livres em diversas áreas, “a vida de chef está longe de ser o conto de fadas que todos dizem. O chef da cozinha que leva a sério a profissão é o primeiro a chegar e o último a sair do estabelecimento. É o profissional que está antenado com todas as situações de problema que a cozinha pode ter e tem que estar preparado para solucionar. E, ainda por cima, tem que programar os próximos passos, montar a estratégia e estruturar as novas mudanças no cardápio, equipe e no serviço. É uma profissão que requer muita dedicação e sacrifício. E, na minha atual realidade, isso é um pouco diferente, pois sou o ‘olho’ que vem de fora, trago um ponto de vista neutro e tento ajudar a solucionar os problemas que a cozinha apresentam. E, assim, tenho uma vida menos conturbada”, revela.

 

O chef divide também que “’o glamour de ser chef’ trouxe bons frutos para a nossa profissão. Hoje, somos mais valorizados e temos diversos produtos voltados para a nossa área. Mas, como toda moda, essa glamourização da profissão também banalizou e, atualmente, todo mundo quer ser ‘chef’. No entanto, ninguém quer ser cozinheiro, que é a verdadeira profissão. Chef é somente uma posição dentro da nossa verdadeira profissão, que é ser cozinheiro”, pontua.

 

Quem é o chef Vinicius Curtts?

 

Divorciado e sem filhos, “sou um cara tranquilo, caseiro e que gosta de ficar com os amigos e a família. Sou um apaixonado por recuperação de receitas antigas, gastronomia ‘comfort good’ e gastronomia raiz. Eu tenho várias inspirações. Como chef, tenho o Rodolfo Mayer, a Tatianna Cirino, o Sandro Massa e o Léo Paixão. Ser chef é um status. Por isso, só me considero chef quando estou à frente de uma cozinha. E, normalmente, sou cozinheiro como todos os outros profissionais. Faço o mesmo trabalho que todos fazem”, se apresenta.

 

Foto: Divulgação

 

Especificamente sobre a relação da sua vida pessoal com a profissional, o chef partilha que “sou criterioso e exigente, mas que não deixa de ser um paizão quando precisa. Foi a minha vida profissional que me fez ver que ainda não estava na hora de ter filhos. Tenho uma vida profissional em que ainda passo longos períodos longe de casa e, por isso, optei em não ser pai ainda. Quero ser pai e ter a oportunidade de estar perto dos meus filhos. Dentro do meu planejamento de carreira, isso está próximo de acontecer, de ter a possibilidade de ter flexibilidade de horários para ter contato maior com os meus filhos”, explica.

 

Formação e experiências profissionais

 

Formado em Gastronomia pela Faculdade Estácio, Curtts conta que, no começo da sua carreira, “trabalhei empreendendo, fazendo meus eventos com meu microbuffet ou usando o meu nome para participar de festivais gastronômicos. Depois disso, comecei a dar consultoria pelo SEBRAE e fui convidado a ser Chef Executivo de uma das maiores churrascarias de Belo Horizonte, capital de Minas Gerais. E, ao sair de lá, fui convidado a ser professor universitário da pós-graduação na PUC Minas. Hoje, eu atuo como consultor na área de Gastronomia do SEBRAE-MG, dou mentorias para profissionais do setor e sou professor universitário na PUC Minas. Paralelamente, ministro cursos livres em diversas áreas da cozinha”, relata.

 

Foto: Divulgação

 

Sobre quando iniciou o seu contato com o mundo food service, o chef compartilha que isso ocorreu enquanto ele ainda era um estudante de Gastronomia. “Desde quando eu estava na faculdade, já participava de eventos de grande porte, auxiliando os meus professores. Foi nessa época, inclusive, que eu fui convidado para participar de um dos maiores festivais de gastronomia de Minas Gerais. A partir daí, comecei a participar de vários grandes eventos e, com isso, comecei a ter respaldo para dar consultorias e, na sequência, iniciei as consultorias pelo SEBRAE-MG”, relembra.

 

Já quando questionado se possui alguma vivência que te marcou profissionalmente, Curtts diz que sim e sinaliza que ocorreu quando ele “estava chefiando uma estação em um grande evento e passei mal devido ao stress e calor. Nessa data, vários grandes chefs que também estavam nesse evento, quando ficaram sabendo que eu não estava lá, foram para a minha estação para ajudar os meus staffs a colocar a minha estação funcionando na minha ausência momentânea. Eu fiquei fora durante quatro horas do evento e, quando voltei, tudo estava funcionando perfeitamente”, ressalta.

 

Visão de mercado

 

Para Curtts, hoje em dia, o mercado de alimentação fora do lar “ainda carece de muita preparação profissional. Precisamos de mais treinamentos voltados para a gestão e para a área estratégica do empreendimento. Sem uma gestão profissional, é impossível cobrar uma postura profissional do colaborador”, assinala.

 

Foto: Divulgação

 

O chef complementa que “nós cozinheiros fazemos parte da história da gastronomia brasileira. Ela está se criando e todos nós, cozinheiros, fazemos parte dessa história. A sociedade está, a cada dia mais, ligada ao que acontece na nossa gastronomia. Culturalmente falando, estamos evoluindo. Claro que ainda precisamos de políticas públicas que incentivem ainda mais a gastronomia, mas estamos caminhando a passos largos para consolidar cada vez mais. Comercialmente falando, eu acho que ainda precisamos melhorar muito, pois ainda temos muitos gargalos no mercado. E, com isso, sofremos com a falta de profissionais em quase todas as áreas de um estabelecimento gastronômico”, alerta.

 

Adaptações frente à pandemia de Covid-19

 

Assim como a maioria dos profissionais da área de alimentação/bebidas, Curtts também teve que fazer algumas adaptações na sua vida de chef devido à atual pandemia de Covid-19 e todos os seus percalços sociais e econômicos. Entretanto, para ele, as mudanças foram bem-vindas e lhe geraram bons resultados. “A pandemia de Covid-19 mudou a vida de todos e, com ela, eu tive que remodelar toda a minha atuação. Com isso, intensifiquei as ofertas de treinamento e consultoria, uma vez que não podíamos fazer eventos. Além disso, procurei me especializar nessa área. Hoje, eu trabalho praticamente de forma exclusiva com a área de treinamento, consultoria e gestão”, esclarece.

 

Foto: ABRASEL – Reprodução

 

Atuais desafios e metas

 

Devido à sua nova jornada profissional, Curtts divide que vivencia alguns desafios, mas nada que o impede de alcançar as suas atuais metas. “Atualmente, eu estou em trabalho de confecção de alguns livros e da minha cozinha particular de aulas. Essas são as minhas próximas metas. E, no ano que vem, espero montar a minha escola de gastronomia. Além disso, em breve, vou lançar dois novos cursos. Um é a ‘Imersão ao Universo do Churrasco’, um curso em que o participante aprenderá todas as técnicas de churrasco, desde o fogo de chão, varal, parrilla, pitsmoker e firepit. O outro curso é mais básico, voltado para quem está iniciando na gastronomia e quer aprender a comprar os insumos corretos, assim como entender como selecionar o insumo e entender as quantidades. Quem cursá-lo, vai aprender a montar um cardápio de alimentação semanal e a lista de compras para isso”, convida.

 

Dica do chef

 

Por fim, Curtts aconselha para quem sonha em também construir uma vida de chef que, “em primeiro lugar, seja humilde para aprender sobre cozinha com quem você nunca imaginou que aprenderia. Os maiores aprendizados na cozinha são com pessoas que talvez nunca tenham pisado em uma faculdade. Segundo, entenda que a gastronomia é muito ampla e todo mundo tem espaço nela. E, terceiro, mas não menos importante, chef é somente um cargo. Assim, você será para sempre um cozinheiro e tenha orgulho disso”, indica.

 

E aí? Gostou de conhecer a história do chef Vinicius Justo Curtts, não é mesmo? Pois, então, continue acompanhando a Rede Food Service. Pois, toda semana, desvendamos os bastidores da vida de chef por meio de histórias reais como a dele.

Escrito por #molongui-disabled-link

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carregando…

0

Comentários

0 comentários

Conheça a NeoFood, consultoria especializada em projetos e montagem de cozinhas profissionais, restaurantes e operações food service

Delivery de picolé? É com a Kekala!