in

‘Aeroconfeiteira’: conheça como é a vida de chef confeiteira e comissária de bordo de Gigi Louzada

Além da dupla profissão, a chef ainda soma o cargo de Embaixadora da Itambé Food Service SP e revela que a pandemia tem sido um positivo divisor de águas em sua carreira na área da Gastronomia

Gigi Louzada: mais de 100 mil seguidores no Instagram em 5 anos de trabalho como Chef confeiteira - Foto: Divulgação

 

Você já ouviu falar na profissão ‘Aeroconfeiteira’? Não? Tudo bem! Nós da Rede Food Service também não até termos o grande prazer de sermos apresentados à Geórgia Samantha Haak Louzada, de 40 anos, por meio da Itambé Food Service. Gigi Louzada, como se autointitula, é formada em Marketing, comissária de bordo, chef confeiteira e a Embaixadora da Itambé Food Service do Estado de São Paulo. Isso mesmo! Essa é a inspiradora e multitarefa vida de chef que, hoje, vamos te contar.

 

Quem é Gigi Louzada?

 

Natural de Blumenau, Santa Catarina, Louzada mora em Indaiatuba, interior de São Paulo, e se define como “uma pessoa apaixonada pela vida, extremamente organizada, sonhadora e obstinada. Trabalho desde os meus 14 anos. Tive uma infância muito difícil e, desde muito cedo, soube que eu mesma teria que trilhar meu caminho e que não teria apoio em nada. Mas, isso me fortaleceu e tornou a pessoa que sou hoje. Não tenho medo de obstáculo, de tempo ruim. Sempre faço o que tem que ser feito para alcançar os meus objetivos. Afinal, ou você ganha ou você aprende, não é mesmo?”, questiona.

 

Foto: Divulgação

 

Solteira, sem filhos e criadora de gatos, Louzada diz que “é a conhecida velha dos gatos (risos) e que, para conseguir conciliar as minhas profissões, precisei sacrificar muitas coisas. Tive que fazer muitas escolhas difíceis, mas sei que crescimento dói. Porém, temos que estar preparados para isso, pois ninguém cresce na sua zona de conforto. Sou muito organizada com minha agenda e programo meus compromissos da confeitaria nas minhas folgas na aviação”, relata.

 

Vida de chef confeiteira

 

Para Louzada, a sua vida de chef começou desde que era pequena, pois sempre fui apaixonada pela confeitaria. Eu acho que é uma área que marca as pessoas desde cedo. Aquele docinho da infância, a memória afetiva relacionada a eles. Mesmo sempre gostando de fazer e comer (risos), eu cai nessa área profissionalmente há 5 anos, foi quando comecei a estudar e me dedicar a entender as técnicas e os processos envolvidos. Eu sou comissária de bordo há 11 anos e ainda trabalho na área. Por incrível que pareça, eu trabalho efetivamente nas duas profissões e de uma maneira muito engajada”, considera.

 

Foto: Divulgação

 

Atualmente, como chef confeiteira, Louzada também “ministro aulas online, gero conteúdo para redes sociais para várias empresas parceiras e sou embaixadora da Itambé Food Service. Além disso, elaboro cardápios para empresas e presto consultorias. É uma rotina bem puxada, ainda mais tendo mais de uma profissão. Como chef confeiteira, estou sempre na cozinha elaborando pratos, testando novas possibilidades, também estudando e administrando tudo”, divide

 

Formação

 

Desde que decidiu também seguir a carreira de chef confeiteira, Louzada procurou estudar bastante sobre o universo da Gastronomia de uma forma geral. Assim, hoje em dia, já possui “duas certificações internacionais na área de Confeitaria, uma realizada em Portugal e outra na Argentina. Eu tinha muita vontade de entender e conhecer diferentes tipos de confeitaria, com bases diferentes das nossas para agregar experiência e ampliar meu paladar. E, no exterior, tive também a grata experiência de ministrar aula na Soflo Cake and Expo, uma feira de confeitaria que é realizada anualmente em Miami, nos Estados Unidos”, partilha.

 

Criações da Chef Gigi Louzada – Foto: Divulgação

 

Segundo a chef, inclusive, essa sua experiência em Miami marcou a sua vida de uma maneira bem especial. “Lembro que estava tão apreensiva, questionando a mim mesma se o conteúdo que eu viria a passar agregaria, de alguma forma, um mercado com tantas facilidades e possibilidades, mas, para a minha grata surpresa, fui muito bem recebida. As pessoas elogiaram muito os brasileiros, principalmente, no quesito inovação, o que para mim foi uma surpresa. Por isso, acho válido para todos que trabalham na área viajar, estudar fora ou apenas visitar, pois isso abre a cabeça de uma forma que nenhuma instituição é capaz de fazer. Sempre há uma forma de fazer diferente, sempre há um toque a se colocar, o que, muitas vezes, não acontece porque estamos tão acostumados com as mesmas coisas que muito passa desapercebido”, alerta.

 

Amada por 114 k e premiada

 

Louzada possui atuais 114 k, ou seja, 114 mil seguidores no seu perfil no Instagram (@gigilouzada_), o que só comprova como, em apenas 5 anos, conseguiu ser uma chef nacionalmente e até internacionalmente conhecida. “Fiquei conhecida por elaborar bolos modernos e com técnicas novas, mas, após a atual pandemia de Covid-19, investi na parte inclusiva da confeitaria para, por meio do meu trabalho, possibilitar uma renda ou um complemento dela para várias pessoas”, afirma.

 

@gigilouzada_

 

Além de ser uma ‘Aeroconfeiteira’ de mão cheia, Louzada também possui “vários projetos em andamento. Mas, como a pandemia mudou a forma das pessoas consumirem, estou adaptando esses projetos para essa nova realidade, que, segundo estatísticas, mesmo pós-pandemia, 70% das pessoas continuarão a consumir dessa forma. Então, estão bem salvos e, em breve, virei com novidades”, revela.

 

@gigilouzada_

 

Em 2020, a chef confeiteira conquistou o segundo lugar no Concurso Gran Chef 2020, categoria Pâtissier, e salienta que está “estudando bastante para tentar ficar em primeiro lugar neste ano. O não eu já tenho. Então, eu vou em busca do sim”, promete. E, em 2017, ela participou da terceira temporada do reality show Bake Off, no SBT.

 

 

Pandemia como um positivo divisor de águas

 

Apesar de sua vida como comissária de bordo ter ‘virado de cabeça para baixo’ desde o começo da pandemia de Covid-19, Louzada considera que a doença e todos os seus efeitos sociais e econômicos no mundo como um todo acabaram sendo um positivo divisor de águas em sua vida como chef confeiteira. Afinal, ela avalia que, antes de tudo isso, “estava apenas administrando meus compromissos e vivendo minha vida dupla de ‘Aeroconfeiteira’. Mas, durante a pandemia, o mercado da aviação foi severamente impactado e, com isso, milhares de profissionais foram desligados e ficaram sem renda durante muitos meses. Eu fiquei de licença não remunerada e aproveitei o tempo para modificar minha linha de trabalho. Assim, comecei a produzir, o que, anteriormente, não fazia, e foi maravilhoso colocar todo o meu know how de Marketing e Administração nessa nova empreitada. Desenhei, refiz e adaptei várias receitas, montei meu cardápio e divulguei. Não parei um dia sequer e é isso me abriu os olhos para novas oportunidades. O sucesso dos bolos caseiros foi tão grande que todos os meus alunos que já me seguiam pediram para eu compartilhar meus conhecimentos e como fazer um negócio do zero se tornar sua renda principal em apenas um mês. Então, lancei curso online dos bolos caseiros e foi um divisor de águas na minha carreira. Recebi tantos relatos de pessoas que haviam saído da depressão por tinham começado o curso ou que tinham uma renda para sustentar a família. E isso não há dinheiro no mundo que pague”, comemora.

 

 

 Orgulho de ser Embaixadora da Itambé Food Service

 

Louzada é Embaixadora da Itambé Food Service há mais de dois anos, um cargo que lhe traz muito orgulho e satisfação. “Eu sou completamente apaixonada pela empresa. Já utilizava os seus produtos mesmo antes de ser embaixadora. Então, quando eu assinei contrato com eles, a parceria veio de uma maneira leve, pois eu já conhecia as características dos produtos e como inclui-los nas minhas receitas. Essa parceria somou e soma muito na minha carreira por ter sido, assim, inserida no ramo food service e em toda a bagagem que esse conhecimento vem agregando ao meu trabalho. Além, é claro, de gerar mais confiança das pessoas no meu trabalho pelo fato de eu poder representar uma empresa tão renomada como a Itambé”, considera.

Foto: Divulgação

 

Dicas de Chef Embaixadora da Itambé Food Service

 

Na visão de Louzada, hoje em dia, a influência das mídias sociais no mercado food service deve ser observada pelos atuais e aspirantes chefs de cozinha, já que “quando você realiza um trabalho e mostra os resultados dele, você ganha a confiança das pessoas e isso gera autoridade no seu nicho de negócio. Então, a influência é sempre positiva. Mas, existe o lado de você confiar no produto que você representa, porque as pessoas confiam em você, compram porque sabem que você, realmente, utiliza aqueles produtos e sabem a diferença que eles fazem na sua produção. Por esse motivo, eu sou me vínculo às empresas em que confio e, verdadeiramente, utilizo os produtos, pois nunca indicaria algo que não fosse agregar às pessoas que me seguem e consomem meus produtos. Tenho um carinho enorme com as pessoas que me seguem e que me ajudaram a crescer e confiaram no meu trabalho”, ressalta.

 

Foto: Divulgação

 

Por fim, a ‘Aeroconfeiteira’ diz para aqueles que sonham em ser um (a) profissional multitarefas como ela que “não desista! Terão dias bons e ruins, mas vale a pena cada lágrima. Muitos tentarão desmerecer seu trabalho e dizer que você não é capaz, mas o sucesso só depende de você. E não há profissão mais linda do que aquela que alimenta o corpo e alma”, conclui.

 

 

Para também seguir Gigi Louzada no Instagram e, assim, conhecer mais como é a vida de chef de uma ‘Aeroconfeiteira’, clique aqui!

Escrito por #molongui-disabled-link

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carregando…

0

Comentários

0 comentários

Mais de 16 toneladas de alimentos são arrecadados por meio da Campanha Mundial Stop Food Waste Day no Brasil

Kit para descobrir as preferências de cada cliente é lançado pelo Eniwine.com