in

Barista: saiba como tornar-se um profissional que faz do preparo do café uma arte

Mesmo com a atual pandemia de Covid-19, o café vem se mostrando como a mais resiliente das bebidas e o profissional que sabe extrair o seu melhor por meio de estudo na área se destaca no mercado food service

Foto: Reprodução www.spsenac.br

 

Um cafezinho, por favor! Quantas vezes por dia você diz ou escuta essa frase? Muitas, não é mesmo? Afinal, de acordo com dados da Associação Brasileira da Indústria de Café (ABIC), nove em cada dez brasileiros com idade acima de 15 anos aprecia o café. Além disso, conforme pesquisa encomendada pela Jacobs Douwe Egberts (JDE), empresa detentora das marcas Pilão e L’OR, em parceria com a Aocubo Pesquisa, a bebida já é a mais consumida entre os brasileiros, ficando atrás somente da água, sendo que o consumo diário por pessoa, em média, é de três a quatro xícaras de café. O mesmo estudo revela também que o café tem uma penetração extremamente alta no Brasil, já que foi constatado que é consumido em 98% dos lares.

 

Consumo esse que não se resume apenas dentro das casas dos brasileiros, uma vez que, nos últimos anos, o maior interesse pelo café também intensificou o mercado de cafés especiais e das cafeterias pelo Brasil a fora, assim como aumentou à procura pelo trabalho do chamado Barista, o profissional que é o responsável por fazer do preparo do café uma verdadeira arte. Além disso, mesmo com a atual pandemia de Covid-19, especialistas afirmam que o café vem se mostrando como a mais resiliente das bebidas e o profissional que sabe extrair o seu melhor por meio de estudo na área se destaca no mercado food service.  “O café faz parte da vida do brasileiro. Somos o segundo maior mercado consumidor dessa bebida no mundo.  Os números de consumo revelam que, apesar da crise econômica gerada pela pandemia e que afetou diversos setores em 2020, a procura por café seguiu seu ritmo de crescimento: registrou 1,34% de alta em relação ao mesmo período analisado no ano anterior. Reforçando que o café é a mais resiliente das bebidas. Embora a pandemia tenha ocasionado o fechamento de alguns estabelecimentos onde existia o consumo de cafés fora do lar, houve um pequeno crescimento na procura pelo produto. Esse crescimento aconteceu porque as pessoas ficaram mais tempo em casa e, consequentemente, a demanda por cafés nos supermercados e no e-commerce aumentou. Durante o isolamento social, o consumidor se permitiu a experimentar novas categorias da bebida e ficou mais atento à segurança do alimento e aos cafés que fazem parte do Programa de Qualidade do Café (PQC), que são certificados quanto a pureza e qualidade do produto. A ABIC lançou o APP ABICAFÉ, a ferramenta visa educar o consumidor na busca por um café puro, sem adulteração. O aplicativo informa gratuitamente ao consumidor se o café que ele vai comprar é certificação pela Associação, além de passar características do produto”, explica Monica Pinto, de 49 anos, Nutricionista e Coordenadora de Projetos da ABIC, em entrevista exclusiva à Rede Food Service.

 

O que faz um Barista?

 

Segundo Pinto, “o barista é o profissional que está na ponta da cadeia e é responsável por apresentar a bebida ao cliente, garantir o sabor especial do café e tem a oportunidade de passar informações da bebida ao consumidor final. Para ser um bom profissional, deve ser apaixonado por café, buscar capacitação, estudar, treinar, ser dedicado, comprometido e, além dessas habilidades, precisa ter simpatia e cordialidade, pois fazem a diferença”, pontua.

 

Monica Pinto, da ABIC- Foto: Divulgação

 

A Coordenadora de Projetos da ABIC ressalta ainda que “a profissão Barista no Brasil surgiu no início nos anos 2000 e cresceu à medida que as cafeterias especializadas em café especial cresceram. Foi reconhecida e inscrita na Classificação Brasileira de Ocupações (CBO) em 2015.  O profissional que almeja conquistar um destaque e ter oportunidades no mercado precisa desenvolver um conhecimento técnico sobre as cadeias de produção do café, desde a matéria-prima, sua origem, a torrefação e as diversas formas de extração”, afirma.

 

Por que tornar-se um Barista?

 

Na visão de Pinto, a profissão de Barista “pode ser a porta de entrada para o trabalho no mundo dos cafés. O Barista pode se especializar e avançar na carreira. Pode se tornar um Mestre de Torra, um Classificador e Degustador de Café e é possível que se torne um Consultor ou Palestrante”, orienta.

 

Foto: Divulgação SENAC

 

A Coordenadora de Projetos da ABIC elenca também que fazer um curso de Barista, hoje em dia, é um diferencial dentro do atual mercado food service, pois “treinamento é fundamental. O Barista é o profissional que necessita ter conhecimento sensorial, sejam cafés tradicionais ou gourmets, das fases de preparo do café, desde a plantação, processos de torrefação, moagem e até como manipular o produto para extrair a melhor bebida. Além disso, o profissional também deve ter conhecimento das máquinas e equipamentos de preparo do café, como também sobre drinks e bebidas à base de café. Mais do que preparar um bom café, um Barista tem que prezar pelo bom atendimento, além de ser multitarefa dentro de uma cafeteria. Estudo, dedicação e treinamento também fazem parte da profissão”, garante.

 

Como torna-se um Barista?

 

Atualmente, existem muitos cursos de Barista espalhados pelo Brasil a fora, inclusive, muitos online em decorrência do necessário período de distanciamento social provocado pela pandemia de Covid-19.

 

Concetta Marcelina De Prizio, de 53 anos, é Barista, Mestre de Torra e Docente dos cursos de Barista do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial São Paulo (Senac/SP). Ela explica que “existem cursos de 8 horas, de 12 horas, 24 horas e até cursos online no mercado. O diferencial vai estar mesmo no tipo de formação que o aluno escolher, da prática que este curso oferece e dos valores agregados”, ensina.

 

Concetta Marcela, do SENAC – Foto: Divulgação

 

A Formação de Barista é ofertada pelo Senac/SP desde 2003, nas unidades Aclimação, Campinas, Campos do Jordão, Penha, Ribeirão Preto, Salto, Santos, São Bernardo do Campo, São José do Rio Preto, São Miguel Paulista, Sorocaba e Taubaté. Sendo válido enfatizar que, entre 2015 e 2020, a instituição de ensino renome formou 3.037 Baristas.

 

Conforme De Prizio, o curso de formação de Barista do Senac/SP “possui 48 horas/aula, com aperfeiçoamento do curso de Latte Art de 20 horas/aula, tornando-se o curso mais longo do mercado. Assim, o perfil do público, geralmente, é composto por pessoas que focam em um aprendizado mais profissional. São futuros empresários do seguimento, Baristas que já trabalham no seguimento e pessoas que querem entrar nesse mercado e sabem a qualidade de ensino da instituição Senac. Também recebemos muitos alunos que pretendem exercer a função de Barista no exterior enquanto estudam por lá. Já tivemos muitos que viajariam para Austrália, Nova Zelândia e Irlanda, entre outros. No Senac/SP, ao longo de seus 18 anos, o curso de Barista foi sempre atualizado com as demandas e inovações do mercado. O compromisso Senac não é somente com o ensino, mas permite com que o aluno possa ter conhecimentos necessários para desempenhar a prática, aliada às atitudes e os valores que o qualificam como profissional ético e cidadão”, destaca.

 

Unidade SENAC na cidade de Santos – SP – Foto: Divulgação

 

A docente relata também que “a metodologia Senac é trabalhar no desenvolvimento de competências do perfil profissional e, para o curso de Formação de Barista, o aluno aprenderá a preparar e servir cafés, vaporizar leite e operar a máquina de café espresso.  O curso possui duração de 48 horas/aula, divididas em 20 horas teóricas e 28 horas de aulas práticas, com aulas dinâmicas simulando situações reais do mercado de trabalho profissional. Já o conteúdo desenvolvido no curso engloba conhecer aspectos históricos, processos de cultivo e produção, classificação, qualidade, torra e evolução do mercado interno de café; conhecer diferentes métodos de preparo de café, incluindo métodos coados e operação da máquina de espresso; realizar extração de café: apreender todos os parâmetros para extração de café espresso, identificar uma bebida sub-extraida e super-extraida; preparar bebidas com café espresso: curto, ristreto, normale, carioca, romano, panna, dóppio e correto; fazer vaporização de leite, com diferentes tipos de leite e técnicas; preparar bebidas à base de leite vaporizado: macchiato, café latte, latte macchiato, cappuccino, mocha; técnicas para servir café e bebidas à base de leite; e executar abertura e fechamento da estação de trabalho”, detalha.

 

Mercado de trabalho do Barista

 

Em relação ao mercado de trabalho para o profissional Barista, De Prizio considera que é “bastante amplo e o profissional pode atuar em toda a rede de food service, em estabelecimentos em que o café não é somente ‘mais um produto’ no cardápio, mas está diretamente ligado com todo o conceito de qualidade. O crescimento do mercado de cafés especiais está intimamente ligado ao mercado de trabalho do Barista. E sim, ambos estão em expansão”, reforça.

 

Foto: Divulgação

 

A docente revela ainda que “há muitas oportunidades no mercado de trabalho do profissional Barista: cafeterias, restaurantes, bares, toda rede hoteleira, supermercados e toda a cadeia de cafés especiais que buscam profissionais que já tenham um conhecimento prévio sobre o assunto e que gostem de café. Há também o segmento de treinamento e vendas de café”, orienta.

 

Investimento e retorno

 

O atual custo da Formação em Barista do Senac/SP é R$ 675,20, sendo que esse valor pode ser parcelado em até 12 vezes.

 

Sobre o retorno desse investimento inicial para fazer o curso, De Prizio aponta que “a média salarial de um Barista já formado varia de R$ 1.800.00 a R$ 2.500,00, podendo chegar a bem mais que isso dependendo das funções atribuídas e da capacitação profissional, que é o caso dos empreendimentos que exploram os cafés especiais.  Esses são valores para o mercado brasileiro. Para quem pretende ir para fora do país, os valores são superiores”, enfatiza.

 

Foto: Reprodução www.prsenac.br

 

E aí? Ficou interessado em tornar-se um Barista? Esperamos que sim! Afinal, aqui na Rede Food Service é assim! Sempre te trazemos notícias e informações sobre gestão de pessoas, legislação, vagas e cursos relacionados ao mercado de alimentação fora do lar com o objetivo de lhe incentivar a fazer parte desse ramo que só vem crescendo ano a ano, mesmo em meio à crise social e econômica desencadeada pela atual pandemia de Covid-19.

Escrito por #molongui-disabled-link

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carregando…

0

Comentários

0 comentários

Croquete de Grão de Bico

GRSA | Compass lança Campanha ‘Juntos contra o Desperdício’ com desafios para evitar o desperdício de alimentos