Pesquisar
Close this search box.

João Leme garante que vida de chef é adversa ao glamour

Atual chef da Seara Alimentos revela como é seu dia a dia na profissão que exerce desde a adolescência

Leme já foi presidente da Associação Brasileira da Alta Gastronomia (ABAGA) e o primeiro brasileiro a ser nomeado membro da Académie Culinaire de France (Foto: Divulgação)

 

“Iniciei meu dia às sete da manhã, não tive tempo para sentar nem um minuto, não almocei e não jantei. Estou, inclusive, aproveitando o tempo em que meus clientes estão conversando antes do café para concluir esta entrevista. Glamour? O que é isso?”. É assim que João Vergueiro Leme, de 48 anos, o chef João Leme, define como é seu dia a dia na profissão que exerce desde a adolescência.

 

Atual chef da Seara Alimentos, empresa brasileira do ramo alimentício fundada em 1956, Leme trabalha com desenvolvimento de produtos, desde os que vão diretamente para a prateleira dos supermercados, até sugestões de cardápios para clientes com proteínas como ingredientes principais.

 

(Foto: Divulgação)

 

Para o chef, “a vida de chef não é nada glamourosa como devem pensar muitos. Pelo contrário! É uma vida cheia de abdicações em função da dedicação que a profissão exige. Horários fora do comum e muita pressão fazem parte de nossa rotina e, normalmente, muito pouco reconhecimento. Mas, de uma forma geral, posso dizer que sou muito feliz por ter uma profissão que nunca me deixou sem trabalho, que me permitiu conhecer o mundo, fazer grandes amigos, manter minha família e sustentar meus filhos, que são minha razão de viver”, afirma.

 

Carreira na Gastronomia

 

Leme começou a sua carreira na Gastronomia muito jovem. “Comecei a trabalhar em restaurantes quando tinha 16 anos de idade, em um restaurante japonês mais especificamente. Eu sempre trabalhei em restaurantes e hotéis. Mas, há dois anos e meio, minha carreira deu uma virada e fui para o mundo da indústria, que vem me proporcionando grande aprendizado”, revela.

 

O Chef João Leme com o Chef Laurent Suaudeau (Foto: Divulgação)

 

Formado em Cozinha e Confeitaria pela Le Cordon Bleu de Paris, na França, o chef da Seara Alimentos avalia que a sua vida profissional “pode ser dividida em duas: antes de me formar e depois. Antes, eu trabalhei em restaurantes de cozinha japonesa por cinco anos como sushiman. Mas, após obter o ‘Grand Diplome’, passei a trabalhar em restaurantes e hotéis de cozinha francesa ou internacional, entre eles o Hotel Bristol e o Plaza Athenée de Paris, Restaurante Scimmie, de Milão, restaurantes Kaá, Narciso, Limone e Roti, em São Paulo, além de dar diversas consultorias para restaurantes e buffets na capital paulista e catarinense”, relata.

 

Leme também já foi presidente da Associação Brasileira da Alta Gastronomia (ABAGA) e o primeiro brasileiro a ser nomeado membro da Académie Culinaire de France, em 2009. “Ser presidente da Abaga foi uma grande experiência. Conheci muita gente, fiz muitos amigos e alguns inimigos. Procurei ser inclusivo, abrir espaço para os brasileiros e para aqueles que não tinham muitos recursos. Não foquei nos ganhos pessoais e sim no coletivo e acredito que aqueles que acompanharam de perto meu trabalho dentro da associação passaram a me valorizar ainda mais como profissional da área. Já ser o primeiro brasileiro a ser nomeado membro da Académie Culinaire de France foi incrível, um grande reconhecimento e motivo de orgulho. Os membros da academie são chefs reconhecidos de vários países do mundo que formam um time muito forte e possibilitam trocas de conhecimento e experiências. Com certeza, foi um grande marco em minha carreira”, avalia.

 

Desafios e sonhos

 

De acordo com Leme, seus atuais desafios e sonhos estão muito ligados à sua recente atuação no ramo da indústria, que, no seu ponto de vista, requer um grande dinamismo. “Os desafios e metas na indústria são revistos diariamente e sempre procuramos atender as expectativas de nossos superiores. A vantagem desse processo ser tão ágil é que estamos sempre em constante movimento, não deixando nunca a rotina tomar conta. Hoje, estou muito focado em apresentar produtos que tragam, cada vez mais, benefícios aos consumidores em quesitos como praticidade e saudabilidade. Sonho, junto à Seara Alimentos, em trazer algo que, realmente, tenha um impacto positivo na vida das pessoas que consomem aquilo que preparamos”, revela.

 

Foto: Divulgação

 

O chef complementa ainda que o atual mercado food service “é um ramo que só cresce e, com os últimos acontecimentos relacionados à pandemia de Covid-19, temos uma tendência de crescimento ainda maior. Isso pede muito preparo e experiência daqueles que o operam dos dois lados. Fornecedores e clientes terão grandes benefícios em estreitar relações e entender o que um pode ajudar ao outro a crescer”, aconselha.

 

Vida pessoal

 

Leme é casado e possui um casal de filhos do seu primeiro casamento e uma filha pequena com sua atual mulher. No entanto, confessa que sua vida como chef, muitas vezes, o impede de ter uma maior convivência com sua família. “Meus filhos são tudo pra mim e gostaria de ter mais tempo para estar com eles, mas não é fácil e, já que não consigo ser tão presente, tento, pelo menos, ser alguém que eles possam confiar de verdade”, ressalta.

 

O chef partilha ainda que se considera “um tanto teimoso e acredito que isso me ajuda de certa forma. Procuro insistir em uma receita até acertá-la com perfeição e isso se traduz em receitas executadas com muito carinho e que privilegiam o sabor dos alimentos, fazendo com que tudo que se encontra no prato tenha somente uma função: a de ressaltar o sabor natural de cada produto”, garante.

 

Viu como a Vida de Chef é bem diferente do que é ressaltado pela mídia hoje em dia? Pois é! Aqui, na Rede Food Service, te damos exemplos reais do tanto que essa profissão está longe de ser glamourosa, mas o quanto é amada por quem a exerce. Então, continue nos acompanhando!

Compartilhar:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Fique Atualizado!

Assine nossa newsletter