in

Clube de assinaturas de bebidas não é coisa do passado!

Na contramão da crise provocada pela atual pandemia de Covid-19, comercializar bebidas por meio deste modelo voltou a ser uma boa oportunidade de negócio

Wine.com.br possui o maior 'clube de vinho' do mundo - Foto: Divulgação

 

Se você pensa que clube de assinatura de bebidas é coisa do passado, precisa rever os seus conceitos. Afinal, na contramão da crise social e econômica provocada pela atual pandemia de Covid-19, comercializar bebidas por meio deste modelo voltou a ser uma boa oportunidade de negócio, assim como ganhou outro valor para o consumidor brasileiro.

 

Prova disso é que, de acordo com pesquisa feita pela empresa de tecnologia Betalabs, que é especializada na oferta de soluções para e-commerce, só em 2020, no auge do período pandêmico, esse setor movimentou cerca de R$ 1 bilhão. E, de 2019 para o ano passado, o número de sites de clubes de assinatura aumentou de 800 para mais de 3 mil no Brasil, o que representa um crescimento de 60%, sendo que a média foi de 605 novos assinantes todos os dias.

 

Em meio a esse novo ‘auge’ dos clubes de assinaturas, um levantamento feito pelo Ebit Nielsen, aponta ainda que 95% dos brasileiros afirmam que pretendem continuar comprando online mesmo após o fim da pandemia de Covid-19.  Além disso, o estudo indica que a estimativa é que o e-commerce brasileiro cresça 26% até o final deste ano.

 

Frente a esse positivo cenário, Cibele Siqueira, Sommelière da Wine, maior clube de vinhos do mundo, analisa que, além do maior interesse pela compra online, outros quesitos também ajudaram a dar uma alavancada nos clubes de assinaturas, principalmente naqueles que trabalham com bebidas, do ano passado para cá, como o aumento do consumo de bebida alcoólica devido ao período de isolamento social. “O vinho nunca esteve tão em alta no Brasil. Pela sua versatilidade, ele entrou nos lares e na mesa dos brasileiros como uma opção de entretenimento. Vinho combina com maratona de séries, um happy hour virtual entre amigos, um delivery ou ainda com aquela receita especial para fazer em casa. Ele pode funcionar como aperitivo, acompanhando o prato principal, ou ainda uma sobremesa. Nesse contexto, uma assinatura facilita muito a vida, pois o sócio pode viajar e explorar rótulos inéditos todos os meses, acompanhado da história e dicas de harmonizações na Revista Wine. Outro aspecto superimportante é o fato de poder receber tudo isto no conforto de casa e por um preço que cabe no orçamento, sem sustos. Quem nunca se viu parado na frente de uma gôndola de vinhos sem saber por onde começar a escolher? O Clube Wine resolve este problema. Hoje, o mercado de clubes de assinaturas está se desenvolvendo com a entrada de novos consumidores e a versatilidade do vinho fez dele a bebida da pandemia de Covid-19. Além disso, a comodidade e o fato de poder viajar sem sair de casa por um valor que cabe no orçamento também tornaram a proposta de uma assinatura bem atrativa”, explica.

 

Cibele Siqueira, Sommelière da Wine – Foto: Divulgação

 

Rodrigo Ronconi Ferraz, sommelier, criador do canal Vinhos de Bicicleta no YouTube, o maior da América Latina no segmento, e fundador da plataforma Vinhos de Bicicleta, complementa que “desde o começo da pandemia de Covid-19, os clubes de assinatura de diversos segmentos ganharam força, com aumentos expressivos no número de assinantes. Em nosso mercado, não foi diferente, principalmente, porque o vinho acabou se tornando um ‘amigo’ das pessoas que estavam em casa, obrigadas pelo isolamento social. Os clubes de vinhos juntaram conveniência e lazer, fatores que foram muito procurados pelos consumidores no último ano. Hoje, o Brasil é o país que mais aumentou o consumo de vinho no ano de 2020. Segundo relatório anual da Organização Internacional do Vinho (OIV), o consumo de vinho no Brasil cresceu 18,4% em 2020, na contramão do mundo, que teve uma queda de 2,8% por causa da pandemia. Esse crescimento no consumo de vinho em nosso país é o maior desde o ano 2000. O Brasil ainda é o 22º país que mais consome vinho do mundo. Isso significa que os brasileiros bebem em média 2,6 litros por ano. É um consumo ainda pequeno, mas que aumentou no último período. Em minha visão, a busca por serviços de assinatura tende a evoluir muito daqui para frente, em diversos segmentos”, acredita.

 

Na prática

 

Conforme Siqueira, da Wine, o clube de assinatura, que foi criado em 2008, é “baseado nos 3 C’s: 1. Curadoria – os Winehunters (sommelières e ‘caçadores’ de vinhos da Wine) viajam o mundo em busca dos rótulos mais incríveis dos quatro cantos do mundo 2. Conteúdo – junto com os vinhos, os assinantes recebem a Revista Wine com a história dos rótulos, receitas e harmonizações 3. Comodidade – o assinante recebe, todo mês, a WineBox no dia e local que escolher! Cada WineBox, tem dois vinhos de acordo com a categoria de clube escolhida, uma revista e uma corta-gotas, que ajuda a servir o vinho sem desperdício. Hoje, temos mais de 270 mil assinaturas ativas e seis modelos de assinaturas. O WineBox Essenciais – rótulos descomplicados, perfeitos para quem está começando a desbravar o mundo do vinho por R$ 65,03. O WineBox Surpreendentes – vinhos ideais para serem apreciados por quem já conhece um pouco sobre a bebida por R$ 115,43. O WineBox Notáveis – exemplares complexos para aqueles que já têm um paladar mais aguçado por R$ 167,93. O WineBox Singulares – vinhos sotisficados e de produção limitada para os paladares mais experientes por R$ 290,41. O  WineBox Refrescantes – brancos e rosés cheios de frescor e leveza para você aproveitar ao máximo no dia a dia por R$ 97,93. E o WineBox Espumantes – exemplares borbulhantes das mais diversas regiões para você celebrar a vida no melhor jeito: brindando por R$ 111,93”, ressalta.

 

Ferraz, sommelier, criador do canal Vinhos de Bicicleta no YouTube – Foto: Divulgação

 

Ferraz, do Vinhos de Bicicleta, partilha que “o clube Vinhos de Bicicleta foi criado há nove anos, desde o início com foco em vinhos artesanais e vinícolas boutique. Oferecemos planos mensais para os associados, que recebem em suas casas rótulos selecionados de produções limitadas, acesso a conteúdos exclusivos, além de vantagens, descontos e prêmios. Atualmente, o clube Vinhos de Bicicleta conta com aproximadamente 1.000 membros. Não cobramos taxa de inscrição ou de cancelamento. Hoje, temos dois planos mensais: Liberté: R$ 189,00 (duas garrafas) e Santé: R$ 289,00 (duas garrafas). O primeiro foi criado para pessoas que buscam conhecer vinhos artesanais diferenciados por preços justos. Já o segundo é voltado para degustadores com mais experiência no mundo dos vinhos, buscando rótulos ícones em suas respectivas vinícolas. No clube, o frete é grátis para o Estado de São Paulo. Para os demais Estados, o valor do frete também é fixo e varia conforme a região”, apresenta.

 

Vantagens dos clubes de assinaturas de bebidas

 

Especificamente sobre as vantagens dos clubes de assinaturas de bebidas que os fazem não sair de moda, Siqueira, da Wine, assinala que “quem é sócio do Clube Wine, por exemplo, tem a oportunidade de experimentar rótulos dos quatro cantos do mundo. Afinal, os Winehunters viajam o mundo em busca dos rótulos mais incríveis. Assim, os sócios podem conhecer novos rótulos a cada mês, já que o Clube Wine faz uma nova seleção nesse período. Mas, claro, vinhos que os sócios gostam muito podem retornar aos clubes. E sócios Wine tem 15% de desconto em todos os vinhos da Wine, frete diferenciado e três vezes mais cashback no programa de recompensas WineUP”, elenca.

 

Foto: Divulgação

 

Na compreensão de Ferraz, do Vinhos de Bicicleta, “por meio de um clube de assinaturas, as pessoas conseguem saber mais sobre o mundo dos vinhos de maneira simples e divertida por meio de conteúdos relevantes, entretenimento e experiências pessoais compartilhadas. Sinceramente, não consigo enxergar uma desvantagem explícita, até porque, hoje, a maioria dos clubes oferece a possibilidade de suspensão da assinatura sem qualquer custa extra”, orienta.

 

Clube de assinaturas e mercado food service

 

Que os clubes de assinaturas, com ênfase nos de bebidas, apresentam inúmeras vantagens para quem é sócio, está claro, certo? No entanto, qual é a relação benéfica desse tipo de modelo de negócio para quem atua no mercado food service?

 

Conforme Siqueira, da Wine, “o Clube Wine ajuda o consumidor a expandir o seu repertório e aprofundar o relacionamento com a categoria. Com mais entendimento de vinhos, o consumidor pode ampliar o seu consumo também fora do lar”, pontua.

 

Cibele Siqueira, da Wine – Foto: Divulgação

 

Já Ferraz, do Vinhos de Bicicleta reforça que “o vinho é a bebida preferida de 42% dos brasileiros, atrás somente da cerveja, de acordo com uma pesquisa feita pelo CONECTAí.  A bebida ficou em segundo lugar nessa pesquisa que demonstrou a preferência no país. Basta ter criatividade, diferencial competitivo e uma operação eficiente”, aconselha.

 

Vale a pena trabalhar com clubes de assinaturas de bebidas?

 

Por fim, quando questionados se, realmente, tem valido a pena trabalhar com clubes de assinaturas de bebidas, Siqueira, da Wine, argumenta que “a Wine tem um longo percurso neste modelo de negócio e foi se aprimorando ao longo dos anos. Criado em 2008, o Clube Wine é, atualmente, o maior clube de assinatura de vinhos do mundo, o que faz com que tenhamos um grande poder de barganha na negociação dos rótulos. Com isso, conseguimos trazer excelentes rótulos a preços realmente competitivos. Temos uma cobertura nacional com capacidade de entrega em todos os municípios. E, recentemente, fizemos a migração de um modelo somente online com nosso Clube + E-Commerce para um modelo omnicanal, com a abertura de 13 lojas físicas em locais com adensamento de sócios do clube. Com isso, encurtamos a distância e conseguimos realizar entregas em até três horas, além de passarmos a participar também da jornada de compra não programada”, divulga.

 

Ferraz, do Vinhos de Bicicleta divide que a resposta é “depende, pois esse é um dos mercados que mais cresce no país. Porém, é um dos mais competitivos ao mesmo tempo. Ao longo dos quase dez anos de existência da Vinhos de Bicicleta, vi muitos clubes de vinhos abrirem e fecharem as portas. Resumindo, o mercado é bom, mas o player precisa ser igualmente bom (acima da média)”, alerta.

 

E você? Qual é a sua opinião sobre os clubes de assinaturas de bebidas? Esperamos que essa matéria tenha te ajudado a refletir sobre. Afinal, essa é uma das missões de nós da Rede Food Service. Por isso, continue nos acompanhando!

Escrito por #molongui-disabled-link

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carregando…

0

Comentários

0 comentários

Yes We Grow lança horta inteligente para quem deseja cultivar seu próprio alimento em casa

Nespresso desenvolve plataforma para formação de profissionais do varejo