Pesquisar
Close this search box.

Investir em inovações e acompanhar as tendências impulsiona negócios de Food Service

Anuga
Investir em inovações e acompanhar as tendências impulsiona negócios de Food Service - Anuga - Divulgação

 

Você já parou para imaginar como as feiras de mercado podem ajudar o varejista a conhecer melhor o segmento de Food Service, se atualizar quanto à inovações e ainda gerar insights para ampliar o menu ou até mesmo mudar o público-alvo do bar ou restaurante? Mudanças e transformações acontecem em todos os setores da economia, mas, falando sobre o varejo, essas mudanças são necessárias para se adequar às necessidades do consumidor, o protagonista das relações de consumo. Por isso, é fundamental acompanhar o calendário dos grandes eventos e participar sempre que possível, pois é um investimento que pode trazer ganhos imensuráveis para o negócio.

 

Dois encontros fundamentais para os varejistas do ramo que buscam se atualizar foram realizados em abril: o Web Summit, maior evento de tecnologia e inovação do mundo, e o Anuga Select Brazil, a maior feira de alimentos e bebidas das Américas, onde, inclusive, tive a oportunidade de palestrar sobre as próximas tendências do mercado.  Na minha visão, os dois eventos trouxeram perspectivas distintas para impulsionar os negócios que, se implementadas em conjunto, fortalecem o setor de bares e restaurantes.

 

No Web Summit, por exemplo, a discussão central foi Inteligência Artificial e o uso de chatbots de texto e realidade aumentada para criar experiências mais personalizadas, porém outros assuntos-chave específicos de Food Service foram abordados no evento, como a importância do autoatendimento e a popularização dos serviço de entrega.

 

De acordo com Marcelo Tristão, diretor de transformação digital do Bob’s, que participou do Stone Talks by PDV,  investir em serviço de entrega é fundamental para aumentar o faturamento de estabelecimentos do ramo. No Bob’s, esse serviço representa de 15% a 20% da receita, o que evidencia a necessidade das empresas oferecerem soluções que aprimorem continuamente a experiência de compra do consumidor. Tristão também defendeu o uso de totens de autoatendimento que, além de agilizar os pedidos, permitem maior flexibilidade para oferecer produtos adicionais, como a substituição de um refrigerante ou a adição de uma batata-frita, ajudando a vender mais itens e incrementar a receita do restaurante. Isso acontece porque, durante o atendimento humano, o consumidor muitas vezes deixa de tomar a decisão que realmente deseja, enquanto nos totens isso é feito de maneira mais fácil, rápida e transparente.

 

Outro tema apresentado no Web Summit e que chama atenção dos varejistas é a importância do capital de giro. Pequenas e médias empresas precisam ter esse capital disponível para investir não só em soluções tecnológicas, como no menu de seu restaurante e até mesmo no time de atendimento. Diante desse cenário, o Open Banking emerge como uma ferramenta essencial para quem está em busca de crédito. Isso porque, atualmente, as instituições financeiras exigem 6 meses de dados das empresas para liberar o valor que a empresa precisa, o que afeta os pequenos negócios que dependem disso para expandir. O Open Banking pode simplificar o processo de análise de dados e democratizar o acesso ao crédito, promovendo uma competição de mercado mais justa para as PMEs.

 

Além de prestar atenção nas tecnologias e no comportamento do consumidor, o bar ou restaurante só terá sucesso se acompanhar, também, as novidades relacionadas à alimentação. Por isso, a Anuga Select Brazil trouxe discussões voltadas a alimentos orgânicos, funcionais, à base de plantas, halal e gourmet, refletindo uma mudança nos hábitos de consumo e um crescente foco na sustentabilidade. Essa atenção vale também para aqueles segmentos considerados consolidados no mercado, como o de pizzas, que tem sido impactado pelas  técnicas italianas de produção. Portanto, os estabelecimentos devem estar sempre um passo à frente, lançando novos produtos que atraiam a atenção dos clientes e sigam a tendência dos “gourmetizados” ou até mesmo investir em pratos saudáveis e veganos, que têm sido bem aceitos pelo público.

 

A ascensão e o crescente interesse pela alimentação halal também esteve em destaque na feira. A Fambras, empresa certificadora Halal para segurança de alimentos, marcou presença pela primeira vez na Anuga Select Brazil, apresentando as recomendações religiosas de consumo para os mulçulmanos, que representam quase 20% da população mundial, com aproximadamente 2 bilhões de pessoas. Para serem considerados halal, os pratos precisam passar por um rigoroso processo de certificação que comprove que não trazem nenhum prejuízo à saúde, à segurança das pessoas e ao meio ambiente, o que se configura como uma oportunidade de expansão do negócio ou investimento em novos produtos ou modelos de produção.

 

Ainda com foco na sustentabilidade, a Anuga trouxe a automação industrial como tendência global, proporcionando eficiência operacional para o setor. Equipamentos profissionais de cozinha, com tecnologia de ponta, não só otimizam os recursos, mas promovem uma gestão responsável dos negócios, alinhando-se aos princípios do ESG (Environmental, Social and Governance). Isso ajuda o estabelecimento a economizar com energia elétrica, agilizar os processos e ainda corrobora para uma atuação mais sustentável, o que é muito bem-vista pelos consumidores atuais.

 

Diante de todos esses pontos, podemos concluir que os grandes eventos dedicados ao varejo e ao Food Service são verdadeiros catalisadores de inovação, fornecendo insights valiosos que moldam o futuro desses setores dinâmicos. A inovação é constante, e os varejistas e empresários do setor devem estar atentos para permanecerem competitivos no mercado. Aqueles que abraçam a mudança e adotam uma mentalidade de aprendizado contínuo serão os líderes de amanhã e terão novas oportunidades para ampliar ou diversificar o seu negócio em busca do crescimento constante.

 

O Autor

Samuel Costa Carvalho é diretor comercial de Food na Linx, empresa do grupo StoneCo e especialista em tecnologia para o varejo. Possui mais de 20 anos de experiência na área de tecnologia, sendo 15 anos em Food Service e é formado em Sistemas de Informação pela Universidade Nove de Julho (2009). Especialista em gerenciar e negociar grandes clientes, Key Account e Contas Enterprise, Samuel está na Linx desde 2019, liderando a área comercial para Customer Success e Hunter.

Confira outros artigos do autor AQUI na Rede Food Service.

Compartilhar:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Fique Atualizado!

Assine nossa newsletter