Pesquisar
Close this search box.

Franquia no Food Service: O que é importante avaliar na escolha de um negócio

Confira a opinião de Especialistas em matéria exclusiva da Rede Food Service

AtendimentoFastFood
Franquia no Food Service: O que é importante avaliar na escolha de um negócio - Getty Images - RFS

 

Começar algo novo é sempre um desafio. Seja iniciar um curso, mudar de profissão ou empreender em um negócio. Você investe tempo, dinheiro, dedicação e, provavelmente, espera um retorno positivo, e às vezes até rápido. No caso das pessoas que sonham em ter o próprio negócio, não há uma fórmula a se seguir para que o sucesso chegue num passe de mágica.

 

No setor de Food Service, que vem em crescente evolução no Brasil e pode ser considerado um celeiro de criatividade e oportunidades, não é diferente. Mergulhar de cabeça na abertura de um negócio do zero ou investir em uma rede de franquias exige uma pitada de conhecimento de tendências, algumas gotas para uma visão clara misturado com uma abordagem inovadora.

 

Para te ajudar a dar o primeiro passo no universo do empreendedorismo, a Rede Food Service conversou com especialistas do Food Service e franqueadores e franqueados.

 

Mercado de franquias

 

Os hábitos de consumo vivem em constante mudança, e entender a forma que o setor de Food Service funciona é crucial para ingressar no ramo de franquias. Isso envolve estudar tendências, identificar lacunas e nichos da alimentação fora do lar não atendidos e analisar de perto a concorrência. Para a vice-presidente da Associação Brasileira de Franchising (ABF), Adriana Auriemo, nos últimos dois anos e meio o mercado de franquias vem apresentando uma distinta recuperação, acima dos níveis pré-pandemia.

 

Negócio6
Adriana Auriemo, vice-presidente da Associação Brasileira de Franchising (ABF) – Divulgação

 

“O bom desempenho não se deu apenas no faturamento, mas também na abertura de novas redes de franquia e unidades franqueadas. Ou seja, novos investidores continuam a chegar ao sistema, tanto como forma de escalar modelos de negócios já existentes, como para servir de ponta de partida para quem deseja abrir seu primeiro negócio”, destaca Adriana. De acordo com dados da ABF, a última ABF Franchising Expo, que acontece em São Paulo e é a maior feira de franquias do mundo, recebeu mais de 60 mil pessoas. Além disso, o portal do franchising da Associação recebe mensalmente milhares de visitas, o que mostra um interesse por parte das pessoas em empreender e também dos negócios em se manterem atualizados com o mercado.

 

No entanto, Adriana Auriemo explica que alguns desafios se mantêm. “A pressão da inflação, incertezas no cenário macroeconômico, dificuldades na contratação de mão de obra (algo especialmente importante no food service) e mudanças no comportamento do consumidor. Como tendências, menciono aqui o ESG e a digitalização dos negócios. Em ambos os casos, o setor já deu os primeiros passos, mas é preciso avançar mais para uma maior perenidade, ainda mais agora com o grande avanço da Inteligência Artificial”, conclui.

 

Negócio7
Neander Souza, consultor de varejo e franchising – Divulgação

 

Segundo o consultor de varejo e franchising, Neander Souza, ao considerar investir em uma franquia no setor de Food Service, há alguns pontos fundamentais da formatação do negócio que devem ser avaliados. “Alguns desses aspectos fundamentais incluem alinhar o modelo de negócio com as tendências atuais do mercado, implementar tecnologia para melhorar a eficiência operacional, escolher uma localização estratégica, realizar uma análise detalhada de custos e rentabilidade, receber um suporte de qualidade da franqueadora, garantir a conformidade com as regulamentações legais, acompanhar as tendências de consumo e concorrência, demonstrar compromisso com a sustentabilidade e responsabilidade social, ter capacidade de adaptação a crises e ouvir o feedback dos franqueados atuais”, explica.

 

Inovações no negócio

 

De acordo com a ABF, o segmento de franquias de Food Service no Brasil tem um grande potencial, sendo inclusive um dos que melhor performou ao longo de 2023. Um destaque a ser apontado é o modelo híbrido de negócio responsável por combinar o atendimento no salão com vendas online como marketplaces, que tem ganhado muitos adeptos. Adriana Auriemo, vice-presidente da Associação Brasileira de Franchising (ABF), ressalta que as Dark Kitchens (ou cozinhas fantasmas) são outra tendência forte, pois permitem que grupos explorem outros nichos culinários com menores investimentos e riscos. Segundo ela, “a combinação do food service tradicional com venda de produtos alimentícios no varejo (seja na sua própria loja ou outros canais) é algo que está crescendo também e tende a ganhar força”.

 

Outra tendência de destaque é o uso de tecnologias nas franquias de Food Service. Em um mundo cada vez mais digital, o uso de recursos tecnológicos pode ser um poderoso aliado do seu negócio. Desde a implementação de sistemas de pedidos online próprios até o uso de inteligência artificial no atendimento aos clientes.

 

Adriana Auriemo explica como a tecnologia tem sido o catalisador de grandes mudanças no setor e ao longo de toda a cadeia. “Além de inovação em produtos, a tecnologia transformou canais de venda (omnichannel e delivery), possibilitou uma aproximação com o consumidor (aplicativos e Whatsapp), tornou mais eficiente e ágil muitos processos e, mais recentemente, tem gerado dados para direcionar nossas decisões e estratégias. Creio que a próxima onda será a Inteligência Artificial, que poderá ser um grande repositório de informações da rede, suportando manuais e treinamentos, dentre muitos outros potenciais”.

 

Perspectivas para as Redes de Franquias

 

Performance, Produtividade, Comportamento e Cultura. É assim que Adir Ribeiro, CEO e Fundador da Praxis Business – consultoria especializada em Modelos de Negócio, divide o cenário do franchising neste ano envolvendo as empresas franqueadoras, franqueados e fornecedores. Segundo o especialista, a performance costuma ser a primeira preocupação que todo franqueador e suas equipes têm. Isso implica em capacitar o franqueado para alcançar os melhores resultados no negócio, aumentar o desempenho nas vendas e garantir lucro e retorno de investimento.

 

Negócio2
Adir Ribeiro, CEO e Fundador da Praxis Business – Divulgação

 

A produtividade também deve ser analisada de perto. “Esse deverá ser um ano marcado por margens mais estreitas, custos mais elevados e vislumbramos uma taxa de juros ainda elevada, restringindo também o crédito para o consumo das famílias. Diante dos desafios, será preciso uma gestão eficiente para fazer mais com menos, promovendo eficiência operacional, para que a gente possa enfrentar um ambiente econômico complexo”, explica Adir Ribeiro.

 

O comportamento desempenha um papel fundamental no trabalho de franqueadores e franqueados. De acordo com uma pesquisa realizada pela Praxis Business e o Grupo MD, o comportamento inadequado dos franqueados é responsável por 60% dos fechamentos de franquias. Situação que ressalta a importância de manter um olhar atento e genuíno sobre as questões comportamentais dentro da sua rede de Franquias, conforme destaca Adir Ribeiro. “Por isso é importante criar proximidade, estimular a capacitação e o desenvolvimento humano – desenvolvimento de habilidades técnicas, gerenciais, comportamentais e socioemocionais – para alcançar o comportamento empreendedor”, avalia.

 

Já no que diz respeito a cultura do negócio, Adir Ribeiro fala que “resgatar e difundir os valores da rede, reforçar os porquês e as crenças para gerar mais alinhamento e menos atrito, dar mais sentido de pertencimento, além de buscar maior proximidade através de interações presenciais e remotas são os caminhos que a gente precisa seguir. Um suporte segmentado e efetivo pode ajudar a construir uma cultura empresarial sólida, contribuindo para relações mais produtivas”.

 

Mercado de Franquias no Brasil supera expectativas, cresce 13,8% e chega a R$ 240,661 bilhões em 2023

 

Aspectos legais das Franquias

 

Um outro ponto importante na escolha de uma franquia de Food Service é o aspecto legal do negócio. O modelo de franquias oferece uma oportunidade atrativa para quem deseja ingressar no mercado com um suporte estruturado e uma marca já estabelecida, mas é essencial compreender tudo o que diz respeito a contratos, regras, legislações, direitos e deveres. A advogada sócia da Novoa Prado & Kurita Advogados, Thais Kurita, destaca que o primeiro passo é ter o apoio de uma contabilidade e advogados, para entender se há leis municipais a serem seguidas, e qual será o impacto da Reforma Tributária, por exemplo.

 

Thais Kurita explica também sobre os elementos-chave que devem ser analisados em um contrato de franquia antes da assinatura, como cláusulas padrão que os franqueados devem estar atentos. “Apesar de cada operação ter o seu próprio contrato de franquia, há cláusulas que estão presentes em muitos sistemas, sendo típicas da franquia. Uma delas – e uma das mais importantes – é a cláusula de Não-concorrência. Ela é uma cláusula que impede que o franqueado concorra com a franquia, depois do término ou rescisão do contrato e independentemente de quem tenha dado causa ao rompimento. Essa é uma cláusula que, se preenchidos os seus requisitos de validade, pode ser exigida pelo franqueador. Assim, o franqueado precisa entrar ciente de que não poderá concorrer”.

 

Negócio4
Thais Kurita, sócia na Novoa Prado & Kurita Advogados – Divulgação

 

Mas não para por aí. Thais Kurita relembra também uma outra cláusula muito importante é a que trata do abastecimento da franquia e da obrigatoriedade, ou não, de adquirir itens de determinados fornecedores. “Há ainda aquela que informa se o franqueado poderá ter um emprego ou outro negócio. Se houver exigência de dedicação integral, é provável que o negócio só terá sucesso se o franqueado obedecer a essa regra, então é bom prestar atenção a essa exigência também”, destaca.

 

Em suma, Thais Kurita reforça a necessidade do candidato a franqueado ler o contrato inteiro com muita atenção e tirar suas dúvidas com o franqueador e apenas assinar o contrato se estiver muito certo de sua decisão. “Vale lembrar que também é importante contar com o apoio de um advogado da área, pois ele poderá dar um panorama mais certeiro do que o franqueado deverá esperar para o futuro em relação à franquia”, conclui.

 

Visão de Franqueador

 

Com origem em Foz do Iguaçu (PR), a Bubble Mix é uma sociedade igualitária formada por Rodrigo Balotin, Rogério Arcanjo e Alex Lin. Há 10 anos eles tinham o objetivo de ter a própria empresa e resolveram apostar no bubble tea (ou chá de bolhas) como um produto diferente para trabalhar, com vasta oportunidade de negócios.

 

Rodrigo Balotin, CEO da Bubble Mix, dá mais detalhes sobre o início da empresa. “Começamos com lojas próprias em Foz do Iguaçu e, com a operação validada, decidimos franquear. Eu fiz pós-graduação voltada para franquias em São Paulo e formatamos todo o projeto juntos. Em 2017, foi inaugurada a primeira franquia da Bubble Mix, em Curitiba. Desde então, já são mais de 80 lojas em operação, com estimativa de chegar a 120 este ano”.

 

Negócio1
Rodrigo Balotin, CEO da Bubble Mix – Divulgação

 

Atualmente, a rede oferta um  modelo de negócio único que pode ser utilizado em shoppings, centros comerciais ou mesmo adaptado para lojas de rua. Segundo Rodrigo Balotin, o processo de seleção e treinamento dos franqueados é realizado em algumas etapas. “Inicialmente, divulgamos [a seleção] por redes sociais e Google Ads. Após o cadastro, fazemos contato para uma análise detalhada, considerando aspectos pessoais e financeiros, como a disponibilidade de capital. Em seguida, apresentamos um estudo de viabilidade e a Circular de Oferta de Franquia (COF) para a análise documental. Após uma reunião de esclarecimentos e dúvidas, realizamos um encontro de fechamento. A decisão de aprovação por parte da franqueadora permite que o candidato, se aprovado, proceda ao pagamento da taxa de franquia”, explica.

 

10 tendências para o mercado de franquias em 2024. O que esperar do setor este ano.

 

Visão de Franqueado

 

Há anos Rogério Tanganelli De Souza, de 40 Anos, tinha o desejo de empreender, mas não sabia ao certo em que tipo de negócio apostar. Ele sempre gostou de cozinhar nas horas vagas e acreditava que a área de alimentação seria um trabalho prazeroso de fazer.

 

Foi aí que em 2018 ele se deparou com o modelo de franquias e abriu uma unidade da Bubble Mix no Shopping Avenida Center, Maringá (PR). “Conhecemos o produto e gostamos muito da ideia, então após buscar informações sobre a marca, provar novos sabores, sondar algumas lojas, entender a tendência de crescimento no consumo e ver que é uma operação simples de produção, vimos que a Bubble Mix teria altas chances de dar certo”.

 

Negócio3
Rogério Tanganelli De Souza – Divulgação

 

Rogério tem sua opinião sobre o modelo de franquia: “Eu diria que o modelo de franquia entrega maior segurança e assertividade no investimento. Tudo é testado e validado antes de ser inserido na operação e isso faz com que as chances de obter sucesso sejam muito maiores! O conselho que posso dar é que, se você é uma pessoa que realmente estará disposta a trabalhar e estar presente diariamente na operação, o modelo de franquia é sim uma ótima escolha de investir”.

 

Lembre-se que este é apenas o começo da sua jornada no setor de Food Service. Cada mercado é único, e é necessário idealizar e adaptar estratégias às especificidades do seu negócio e do seu público-alvo.

Compartilhar:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Fique Atualizado!

Assine nossa newsletter