Pesquisar
Close this search box.

B.LEM Padaria Portuguesa: conheça a rede de padarias e confeitarias portuguesas criada por amigos no Brasil que deve faturar R$ 35 milhões até o final de 2023

Blem8
Blem8

 

Você sabia que o setor de panificação movimenta em torno de R$ 105 bilhões por ano no Brasil? Não?

 

Então, é importante ter o conhecimento de que esse dado foi divulgado pela Associação Brasileira da Indústria de Panificação e Confeitaria (ABIP), que aponta também que o nosso país já abriga mais de 70 mil padarias, sendo um nicho do ramo de alimentação fora do lar que tem valido cada vez mais a pena investir.

 

Hoje, nós da Rede Food Service vamos de apresentar a B.LEM Padaria Portuguesa: a rede de padarias e confeitarias portuguesas criada por amigos no Brasil que deve faturar R$ 35 milhões até o final deste ano de 2023.

 

Com plano de expansão para as praças de Brasília, Salvador, Porto Alegre e Florianópolis, atualmente, a rede já possui 50 lojas e alcançou o lucro de R$ 31 milhões durante o ano passado. Ou seja, trata-se de uma excelente oportunidade para quem deseja empreender no ramo de Redes e Franquias. “Em 2022, a B.LEM faturou R$ 31 milhões, com 41 lojas instaladas. Atualmente, são 50 lojas e a marca espera fechar o ano com R$ 35 milhões de faturamento. Esses valores correspondem apenas ao montante correspondente às lojas, sem contabilizar a indústria ou franqueadora”, destaca João Francisco Sverzut Baroni, brasileiro de 35 anos e um dos idealizadores da rede.

 

Quer conhecer mais sobre a B.LEM Padaria Portuguesa?

 

É só conferir na sequência:

 

  • O que é a B.LEM Padaria Portuguesa?
  • Como surgiu a B.LEM Padaria Portuguesa?
  • Atual estrutura e funcionamento da B.LEM Padaria Portuguesa
  • O processo de franchising da B.LEM Padaria Portuguesa
  • Plano de expansão da B.LEM Padaria Portuguesa
  • Diferenciais da B.LEM Padaria Portuguesa
  • Quem já é franqueado (a) da B.LEM Padaria Portuguesa, recomenda!
  • Como ser um franqueado (a) da B.LEM Padaria Portuguesa?

 

O que é a B.LEM Padaria Portuguesa?

 

Em entrevista exclusiva à nossa reportagem, Baroni partilha que a B.LEM Padaria Portuguesa “é uma rede de franquias como Lisboa: cosmopolita, moderna e deliciosa. Quem frequenta as nossas lojas, encontra o café português com Pastel B.LEM, salgados de bacalhau, desde o famoso bolinho de bacalhau a folhados, empadas e até uma coxinha de bacalhau, além de sanduíches, muitos pães e doces portugueses. Afinal, estamos falando de uma padaria e portuguesa”, realça.

 

Foto: B.Lem – Divulgação

 

Pedro Nogueira, natural de Caldas da Rainha, cidade a 80 km de Lisboa, em Portugal, amigo e sócio de Baroni, complementa que “a nossa ideia com a B.LEM é a de trazer uma experiência emocional e gastronômica, mas contemporânea. Queremos ter, no Brasil, um pouco do que temos em Portugal hoje e não clichês dos tempos das caravelas”, desvenda.

 

Como surgiu a B.LEM Padaria Portuguesa?

 

A B.LEM Padaria Portuguesa foi criada em 2014, quando Nogueira, cansado do mercado corporativo internacional, juntou-se ao amigo brasileiro Baroni com o objetivo de oferecerem pães e doces tradicionais de Portugal em padarias com projetos arquitetônicos diferenciados em shoppings e ruas de São Paulo, capital. “A marca B.LEM nasceu quando eu e Baroni, na época, executivos de multinacionais, nos unimos para empreender. Nós estávamos cansados de tantas viagens a trabalho e da rotina exaustiva do mercado corporativo. Com isso, começamos a pensar em abrir um negócio próprio. Mas, em que segmento? Nós não tínhamos ideia. (risos) Porém, viajávamos muito a trabalho, íamos aos Emirados Árabes, a países da Europa, da América Latina e tínhamos várias coisas em mente. Então, colocamos todas as viabilidades no papel e começamos a estudar o mercado. Foi, então, que a ideia de padaria nos veio à cabeça, pela memória afetiva, e vimos que já não existia esse tipo de negócio comandado por portugueses no Brasil, que é uma tradição antiga, mas que perdeu a força. Assim, fomos desenhando o projeto e o segmentamos. Nasceu, assim, a ideia da B.LEM”, conta Nogueira.

 

O processo de franchising da B.LEM Padaria Portuguesa

 

Em relação ao processo de franchising da B.LEM Padaria Portuguesa, Baroni revela que “a nossa marca não nasceu como franqueadora. Fizemos um investimento inicial de R$ 15 milhões para montarmos a marca e a nossa primeira loja, na Vila Nova Conceição, bairro nobre da capital paulista, surgiu em 2014. Ela foi projetada com uma cozinha que podia fornecer produtos para o mercado B2B e, por um tempo, as delícias fabricadas ali foram comercializadas por restaurantes, bares e outras padarias. No entanto, a nossa primeira loja foi um sucesso e vieram outras até somarmos sete unidades próprias. E, antes de nos aventurarmos nas franquias, resolvemos testar o conceito expandindo com lojas próprias. Na sétima loja própria, uma cliente, então, se encantou com o projeto e nos perguntou se desejávamos franquear o conceito. Dentre os sócios, havia a experiência jurídica e empresarial. Então, formatamos o conceito internamente e a cliente tornou-se a nossa primeira franqueada”, relembra o empresário.

 

Foto: B.Lem – Divulgação

 

Nogueira, por sua vez, sinaliza que “crescer com franquias foi um caminho natural, porque sempre fomos procurados pelos franqueados, que eram clientes ou até indicados pelos franqueados atuais. E também temos seis multifranqueados, sendo um deles com quatro lojas, um com três lojas e os demais com duas lojas, algo que incentivamos na rede”, partilha.

 

Atual estrutura e funcionamento da B.LEM Padaria Portuguesa

 

Atualmente, a B.LEM Padaria Portuguesa conta com 300 colaboradores e 50 lojas e, “por estarmos presentes em diversas praças e com diversos modelos de loja, os nossos clientes são variados para qualquer clivagem demográfica. Mas, o que eles têm em comum é que são pessoas que gostam de viajar por meio da culinária. São pessoas que buscam produtos de qualidade e, acima de tudo, uma experiência gostosa. Há lojas com perfil mais corporativo, com um público buscando rapidez e agilidade no atendimento, e outras que são mais voltadas a encontros com amigos ou família, passando horas gostosas ao redor da mesa com cafés e doces”, explica Baroni.

 

Foto: B.Lem – Divulgação

 

O empresário complementa que, hoje em dia, “nós somos um grupo de seis sócios e vendemos deliciosos pastéis de nata, que a rede chama de Pastéis B.LEM, a pães e doces tradicionais, com cardápio criado por uma chef portuguesa trazida de Lisboa especialmente para recriar, por aqui, as delícias que os brasileiros tanto apreciam. Temos também algumas adaptações e invenções, como o Travesseiro de Nutella, inspirado no tradicional Travesseiro de Sintra, mas com um toque de Nutella que o brasileiro ama. Dessa forma, quem frequenta as lojas encontra desde o café com Pastel B.LEM, até almoços, com opções de pratos à base de bacalhau, claro, dentre outras delícias, sanduíches, muitos pães e doces portugueses.  A ideia com a B.LEM é a de trazer uma experiência emocional e gastronômica, mas contemporânea”, reforça.

 

Plano de expansão da B.LEM Padaria Portuguesa

 

Como já adiantado por Baroni, a B.LEM Padaria Portuguesa está vivenciando um plano de expansão em que ele e os seus sócios pretendem “chegar a capitais onde ainda não estamos presentes, como Brasília, Salvador, Porto Alegre e Florianópolis. Hoje, o nosso projeto de expansão é a principal meta da B.LEM. E, ao sermos os primeiros a chegar em praças até então sem opções consolidadas de gastronomia portuguesa, viramos rapidamente referência de marca para esse público. Além disso, a expansão fora de São Paulo tem sido interessante, pois há uma grande procura por produtos novos que não sejam comuns, mas que, ao mesmo tempo, passam, rapidamente, a fazer parte da rotina dos novos consumidores”, divide.

 

Diferenciais da B.LEM Padaria Portuguesa

 

Já quer ser um franqueado (a) da B.LEM Padaria Portuguesa, não é mesmo?

 

Portanto, Baroni enfatiza que “a franquia B.LEM pode ser instalada em lojas de rua ou shoppings, dependendo do perfil da cidade escolhida. Os franqueadores orientam sempre o franqueado, especialmente, no formato da loja, que pode ser um quiosque ou uma loja maior. Tudo depende da capacidade de atendimento, que precisa ser adequada ao fluxo de pessoas do local. O projeto arquitetônico é oferecido pela franqueadora e segue um padrão e os franqueados recebem todo o suporte a partir da assinatura do contrato”, divulga.

 

Já Nogueira informa que “nós aprovamos o ponto comercial, realizamos treinamentos, apoiamos o franqueado em sua inauguração e prestamos suporte durante toda a operação. É claro que o franqueado é quem opera a unidade franqueada, mas ele recebe toda a transferência de know-how da franqueadora”, assegura.

 

Foto: B.Lem – Divulgação

 

Também é importante que saiba que, hoje em dia, a B.LEM Padaria Portuguesa tem uma indústria que fornece os seus produtos para as lojas, de forma que os franqueados contam com itens exclusivos da marca. “Esse diferencial agrega não só em ter o que outros estabelecimentos não têm, como também conseguir rastrear a procedência e a qualidade do que é servido, oferecendo grande segurança e confiabilidade ao cliente. Os itens de marca própria garantem boa rentabilidade ao franqueado, o que se traduz em maior lucratividade”, explicam os franqueadores.

 

Baroni complementa ainda que “para quem tem o sonho de empreender, a B.LEM descomplica e tira o risco de muitas coisas. E isso porque, atualmente, o varejo alimentar tem muitas complexidades: a definição de uma marca (identidade e estruturação dos famosos 4 P’s – preço, praça, produto, promoção), operar o varejo em si (serviços, treinamento, etc.) e o trabalho com itens perecíveis. Na B.LEM, nós tentamos mitigar, ao máximo, todos esses riscos, trazendo resultados. Na média nacional, 50% dos negócios de alimentação fecham durante o primeiro ano de operação. No nosso caso, menos de 3% das lojas fecharam no último ano. E, numa loja B.LEM, investem-se a partir de R$ 300 mil, com a taxa de franquia inclusa”, ressalta o empresário.

 

Quem já é franqueado (a) da B.LEM Padaria Portuguesa, recomenda!

 

Maíra Marson Rosa de Oliveira, de 37 anos, Engenheira Química, é proprietária de duas franquias da B.LEM Padaria Portuguesa. Ela relata que empreende com a marca desde 2017 “quando abri a franquia do Shopping Eldorado. E, em 2019, eu assumi a loja de Pinheiros, em São Paulo, capital. Eu indico o modelo de franquia da B.LEM Padaria Portuguesa por ser estabelecido e oferecer produtos de fabricação artesanal e de fácil regeneração e finalização em loja, além de fácil acesso aos franqueadores para ajuda/desabafos/suporte. Eles oferecem produtos excelentes e de ótima aceitação pelos clientes, gerando recorrência após experimentação”, afirma.

 

Foto: B.Lem – Divulgação

 

A empresária alega também que “eu adoro ser franqueada da B.LEM. Eu trabalho bastante, mas com extrema flexibilidade e, hoje, consigo sentir a minha presença em loja menos necessária, após operação estruturada e rodando redonda. Assim, a indico para quem quer embarcar em um negócio próprio, mas não sabe por onde começar e o que é necessário, mas não como aposentadoria, pois requer dedicação e presença constante”, sinaliza.

 

Como tornar-se um franqueado (a) da B.LEM Padaria Portuguesa?

 

Para tornar-se um franqueado da B.LEM Padaria Portuguesa, Baroni orienta que “o primeiro passo é sinalizar o interesse no nosso site, deixando os seus contatos. A partir daí, vamos te enviar um material super detalhado do negócio, contando todos os mínimos detalhes. E, como as nossas lojas são versáteis, é importantíssimo conhecer bem o perfil do franqueado para entender que tipo de loja precisamos construir juntos”, esclarece.

 

Confira, abaixo, os dados completos da B.LEM Padaria Portuguesa:

 

  • Marca: B.Lem Padaria Portuguesa
  • Tipo de negócio: Padaria portuguesa
  • Ano da fundação: 2014
  • Total de unidades no Brasil: 1 próprias e 50 franqueadas
  • Investimento inicial: R$ 300 mil (quiosque) a R$ 350 mil a R$ 600 mil (lojas de rua ou shopping). *Os valores incluem a taxa de franquia, capital de giro e estoque inicial
  • Taxa de franquia: R$ 60 mil
  • Royalties: 4 % do faturamento bruto
  • Taxa de publicidade: 2% do faturamento bruto
  • Faturamento bruto: De R$ 50 mil a R$ 100 mil (quiosque), de R$ 60 mil a R$ 120 mil (loja de rua) e de R$ 70 mil a R$ 200 mil (loja de shopping)
  • Lucro líquido: 15% a 20%
  • Prazo de retorno: 18 a 36 meses, dependendo do modelo
  • Prazo de contrato: 5 anos
  • Apoio ao franqueado: orientação na escolha do ponto comercial; treinamento operacional ao franqueado e equipe; manuais de gestão; consultoria técnica administrativa, financeira e operacional, software de gestão, fornecedores homologados.
  • Site: lempadaria.com
  • Instagram: @blempadaria

 

Na Rede Food Service é assim! Tem boa oportunidade para você empreender no ramo de alimentação fora do lar? A gente te apresenta e em detalhes!

 

Sendo assim, continue nos acompanhando e aproveite para CLICAR AQUI e também conhecer a Patroni: tradicional rede de pizzarias que deve faturar R$ 156 milhões e chegar a 285 lojas este ano com atual foco no serviço delivery.

Compartilhar:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Fique Atualizado!

Assine nossa newsletter