in

Erik Momo: uma das maiores referências quando o assunto é pizza no Brasil

Em entrevista exclusiva à Rede Food Service, CEO da tradicional 1900 Pizzeria desvenda que no food service é preciso ‘servir’ antes de ‘querer comer’

Foto: Claus Lehmann

 

Você sabia que o Brasil é o segundo país do mundo no ranking global de consumo de pizzas? Pois é! O país fica atrás somente dos Estados Unidos, sendo que, por dia, mais de um milhão de pizzas são consumidas pelos brasileiros, conforme aponta a Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF).

 

Já pesquisa realizada pela Associação de Pizzarias Unidas do Estado de São Paulo (APUESP) elenca que, diariamente, são consumidas 572 mil apenas no Estado São Paulo, que é considerada como a segunda cidade que mais consome pizza no mundo, ficando atrás apenas de Nova York, nos Estados Unidos.

 

Em entrevista exclusiva à Rede Food Service, Erik Momo, que, há 11 anos, é o CEO da 1900 Pizzeria, uma das mais tradicionais e conhecidas pizzarias de São Paulo, desvenda que, no food service, é preciso ‘servir’ antes de ‘querer comer’. “O food service tem ‘comida’ e ‘serviço’ no nome. Então, sirva antes de querer comer“, aconselha.

 

A seguir, conheça a história de vida pessoal e profissional de Momo, assim como a sua formação, experiências, visão de mercado, inspirações, desafios e dicas imperdíveis.

 

Quem é Erik Momo?

 

Paulistano de 51 anos, Momo “é filho de Giovanni e Katia e irmão caçula do Edrey. Eu me defino como um cara inteligente, que adora ‘viajar na maionese’ com os assuntos mais filosóficos possíveis. Sou criativo e com diversas habilidades. Normalmente, me dou muito bem em tudo que me destino a fazer. Não suporto ficar parado e estou sempre arrumando coisas para fazer. Gosto de fazer metáforas para tudo, explico muito, nos mínimos detalhes, tudo o que penso para que possa atingir os meus objetivos. Eu sou uma fusão entre lazer e trabalho e posso dizer que sou um privilegiado por isso. Eu amo o meu trabalho e me divirto com ele. Assim como a gente ama a família e também tem seus atritos pontuais, o mesmo acontece com o trabalho para mim. Por isso, eu paro muito pouco, mas amo viajar, passear com meus bichos, ficar de papo para o ar com a família e, quando dá, voar de avião, já que sou piloto privado”, se apresenta.

 

Foto: Claus Lehmann

 

Estritamente sobre o seu lado profissional, o CEO da 1900 Pizzeria avalia que “sou tranquilo, não sou ‘chefe’ de pegar no pé. Deixo o time entregar o seu melhor de acordo com o seu ritmo. Dessa forma, eu também avalio friamente quem compensa ter perto e quem é melhor deixar seguir a vida. Sou curioso por natureza e não gosto de ‘não saber’ algo. Fico incomodado quando os ‘porquês’ não me convencem. Eu sei que sou uma das maiores referências quando o assunto é pizza no Brasil. Por isso, a minha responsabilidade é ainda maior. Então, eu me dedico, em primeiro lugar, à evolução da 1900 e, em segundo, ao desenvolvimento do mercado. Sou criativo, paciente e persistente. Eu crio coisas, sejam elas produtos, soluções, procedimentos, sistemas ou até formas de posicionar a marca. De vez em quando, ocorre uma inspiração grande e algo brilhante acontece. Eu sempre explico e ensino calmamente o que deve ser feito, aonde quero chegar. Tento construir nas pessoas o mesmo entendimento que eu tenho sobre determinado tema. E, se a pessoa não captar, uso da paciência e da persistência para continuar com o meu objetivo. Eu não desisto”, garante.

 

Formação e experiências profissionais

 

Formado em Marketing pela Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM) em São Paulo, capital, Momo construiu as suas experiências profissionais juntamente à história da 1900 Pizzeria. “Eu, praticamente ‘nasci’ dentro da 1900. E, desde os 12 anos e junto com a minha família, fomos aprendendo o que era trabalhar no setor de food service. Quase todas as minhas experiências são na 1900. Mas, já tivemos também um bar, o Sagrado, que veio de um restaurante que não vingou, o Cittadino. Também fizemos um teste com outra marca de pizza que não demos continuidade. Tivemos ainda uma casa de shows. A diversificação é importante para nos dar uma variedade de conhecimento, mas a continuidade nos faz criar uma capacidade de adaptação interessante. A 1900 possui o mesmo nome há 39 anos, mas a empresa já mudou tanto e se adaptou tantas vezes a tantos cenários que a nossa experiência também se renova constantemente. Eu fiz praticamente de tudo na 1900 desde que começamos, de lavar a louça, entregar pizza a ir ao banco, ajudar nas obras e fazer pizza. Assim, eu creio que não tenha nenhuma área que nós, incluindo os meus sócios da primeira geração, não tenhamos trabalhado. Formalmente e ininterruptamente, estou na 1900 desde os meus 22 anos. Este ano, inclusive, completo praticamente 30 anos, sendo os últimos 11 como o CEO da 1900. Nós temos sócios e a segunda/terceira geração já está começando a assumir seu papel, o que nos dá a sensação de ‘missão cumprida’ quando vemos que a empresa está resistindo ao tempo e continua crescendo. Com certeza, minhas maiores inspirações são os meus pais, pois nunca os vi esmorecerem por qualquer motivo. Sempre vi força neles para fazer acontecer e isso, realmente, me dá a obrigação de não fazer menos com o que eles nos deixaram”, relata.

 

Foto: Claus Lehmann

 

Sobre o seu atual momento profissional, o CEO da 1900 Pizzeria assinala que pode ser dividido “em dois focos. Primeiramente, meu principal trabalho é por meio da 1900. Não sou fundador, nem o principal responsável pela existência ou o crescimento da 1900. Foi um trabalho conjunto e que envolveu muita gente ao longo de muitos anos. Mas, eu entendo que eu tenho a obrigação de ser a bússola que indica o Norte para a 1900. E ela, sabendo para onde tem que ir, ajuda o mercado todo a também se organizar. Sabemos que a 1900 é referência e não podemos negligenciar nossa responsabilidade no setor. Todas as relações que estabelecemos com fornecedores, parceiros, colaboradores e com a sociedade é sempre de muita transparência. Eu busco isso cada vez mais. Afinal, uma empresa sem essência, que apenas busca o lucro acima de tudo, ou que vende algo apenas pela relação comercial em si, não vai prosperar no século XXI e a gente está se ajustando diariamente para perpetuar um negócio que começou com os meus pais. O segundo foco que tenho dentro do food service é olhando para fora da 1900. Já faz muitos anos que me destino a trazer benefícios para o setor, onde a nossa expertise pode ser aproveitada. Seja como palestrante em eventos, professor em escolas de Gastronomia ou como mentor para outros empresários. Eu estou sempre buscando os próximos passos que eu devo dar como gestor de uma rede como a nossa e, ao mesmo tempo, compartilho toda a minha experiência com quem também quer se desenvolver. Eu não recuso receber direcionamento, nem direcionar. Acredito que, quanto melhores forem os empresários do food service, mais saberemos exigir do Governo, dos fornecedores e melhor será nossa entrega aos nossos consumidores”, afirma.

 

Momo revela ainda que, hoje em dia, “além da 1900, a minha filha mais nova é a BRgreen, uma empresa que fabrica o PegaPet, uma alça para transporte de garrafas no delivery. Esse é um produto que nasceu de uma necessidade na 1900 e, hoje, tem vida própria”, esclarece.

 

Erik Momo como CEO da 1900 Pizzeria

 

Conforme Momo, “a 1900 é a história da minha vida e da minha família. Hoje, não tem como contar a história de um sem o outro. A 1900 representa a transformação na vida de muita gente. Sejam os sócios, os colaboradores, os parceiros e fornecedores e, é claro, os clientes. Ela é coadjuvante em muitos momentos e se tornou palco para marcos importantes nas vidas das pessoas”, acredita.

 

Foto: Claus Lehmann

 

Nesse sentido, o CEO avalia que já somou e soma à 1900 de uma maneira relevante. Afinal, “basicamente, o marketing da 1900 tem a minha cara. O atendimento de hoje também possui alguns ajustes, mas a própria central de atendimento, os algoritmos que criamos para o delivery, a caixa de pizza, a própria receita da pizza e mais inúmeras coisas foram fazendo parte da 1900. O maior resultado de todos é o crescimento da empresa. Sempre buscamos ser melhores do que antes. Uma prova disso é que uma das campanhas que criei, que foi a venda dos vales-pizza em datas especiais, cresce a cada ano. Em um único dia, faturamos mais de R$ 600 mil com a venda desses vales em um conceito que fui desenvolvendo ao longo do tempo”, destaca.

 

Ainda segundo Momo, hoje em dia, o maior diferencial da 1900 Pizzeria “é a sua história. Fazer pizza boa qualquer um pode fazer e eu até ensino isso. Mas, ter uma história longa de estar sempre fazendo pizza boa por meio de um bom atendimento não é para qualquer um! Nós fazemos isso hoje, fizemos no passado e faremos no futuro. Nossa essência é a busca da melhoria contínua, sem se desconectar da nossa origem. Tudo o que fazemos é feito com muita dedicação. E falo de tudo, não só da pizza. A nossa proposta é ter uma relação em que a nossa dedicação seja percebida e claramente reconhecida pelo cliente”, assegura.

 

Erik Momo como mentor

 

Para Momo, a sua experiência no ramo de pizzaria é “de dentro para fora. Eu sinto que não fui aprender fora, ficar experiente e, depois, abrir um negócio. Para mim, na verdade, fomos aprendendo enquanto fazíamos acontecer tudo na 1900. Aprender a fazer, validar e a testar. E, só depois de muito tempo, é que conseguimos encontrar novas fontes de conhecimento e conseguir chancelar aquilo que já fazíamos bem ou adaptar o que poderia ser melhorado”, avalia.

 

Inspirado na sua vivência, assim como ‘provocado’ pelos efeitos sociais e econômicos desencadeados pela pandemia de Covid-19 no mercado food service, desde 2020, o CEO da 1900 Pizzeria também atua como mentor.

 

Foto: Claus Lehmann

 

Em relação a como funciona a sua mentoria, Momo endossa que “eu seleciono quem posso atender, pois não tem um roteiro formatado. Não é uma mentoria temática com começo, meio e fim. E eu seleciono porque preciso ter um mínimo de afinidade com quem vou interagir pelos próximos seis meses, pelo menos. Cada mentorado, em seu momento na vida de empreendedor, está passando por um desafio muito específico. Dessa forma, eu me coloco no lugar dele durante aquele momento e penso ‘como o Erik faria’ naquela situação, sempre sem julgamentos se a pessoa está errando. Tudo é sem cobranças, mas sempre na busca da melhoria. Eu entendo que, se o empresário veio buscar ajuda, ele tem que estar aberto para ouvir verdades duras que podem ajudá-lo a mudar a sua vida a partir daquele momento. Eu não tenho dó do que vou falar, mas, ao mesmo tempo, me preocupo para que a mensagem seja assimilada e, principalmente, transformada em ação. Falar bonito e de maneira encantadora é fácil. O difícil é converter isso em atitude e o meu papel como mentor é ajudar os donos de restaurantes, principalmente, pizzarias, a encontrar o caminho para isso”, convida.

 

Nesse contexto de mentoria, ao ser questionado se conhecimento partilhado é ampliado e aperfeiçoado, o CEO da 1900 Pizzeria indaga que “de que adianta você saber escrever se ninguém vai ler? Se você criar uma língua nova e explicar o significado da vida, de que valerá se ninguém souber interpretar seu texto? O conhecimento sempre é uma base para novas descobertas, novas teorias que, futuramente, viram novas bases e, assim, a vida segue”, acredita.

 

Visão de mercado

 

Na concepção de Momo, o que mais caracteriza o atual mercado brasileiro de pizzarias é “muita busca por quantidade de baixa qualidade. Por um lado, há volume, tanto de pizzas, como de pizzarias. E isso é bom, pois o produto ganha popularidade. O problema é que, quando a referência fica deturpada, a pizza de baixa qualidade é o que fica em evidência. Eu entendo que isso é uma questão cultural e o tempo vai se encarregando de colaborar com os ajustes. Atualmente, por exemplo e aos poucos, estão surgindo cada vez mais pizzarias focadas em bons produtos. E, com mais variedade de boas pizzarias, o consumidor vai conhecendo mais e se tornando cada vez mais exigente. Assim, o mercado se ajusta de maneira positiva, fazendo prosperar apenas os melhores. Quem se adapta melhor, sobrevive! Porém, ainda falta muita coisa! Temos uma tendência das pizzas napoletanas há algum tempo, agora, as romanas e ainda há muitos estilos de pizza para vingar no Brasil. Estamos só começando!”, salienta.

 

Foto: Claus Lehmann

 

Com foco na atual influência das mídias sociais nos negócios food service, o CEO da 1900 Pizzeria classifica que “é péssima por um lado. Hoje, nós nos tornamos reféns de um julgamento público com estrelinhas, comentários e uma coleção de opiniões de pessoas que sequer são clientes daquele estabelecimento. O falso poder que a rede social entregou para as pessoas comuns tornou o ambiente nocivo. Não é à toa que até o termo ‘cancelamento’ passou a ter um significado específico nesse meio. Por outro lado, é uma oportunidade de mostrar o seu restaurante, a sua cozinha e a sua dedicação em fazer algo bem-feito, com custo zero. Dessa forma, para o empreendedor iniciante, a mídia social é ferramenta sensacional, mas é importante entender que a régua subiu e, assim como é possível ele mostrar o que faz, o consumidor também mostrará de maneira feroz, se isso não fizer sentido”, alerta.

 

Inspirações e desafios profissionais

 

De acordo com Momo, as suas atuais principais inspirações profissionais são variadas, “não necessariamente sendo do setor de pizzaria. Hoje, eu me inspiro em pessoas criativas e competentes, que conseguem tirar uma ideia da cabeça e transformar aquilo em uma empresa próspera. Há vários no setor de tecnologia, por exemplo, pois há uma escala de ganho possível muito maior e esses acabam se tornando famosos. Contudo, também tento ponderar como é aquele ser humano, não apenas profissionalmente. Por isso, não cito nomes, pois sempre vemos uma face do todo e a referência ou inspiração profissional pode não ser a melhor em outros aspectos”, pontua.

 

Já pensando nos seus desafios profissionais, o CEO da 1900 Pizzeria revela que, durante a sua carreira, já vivenciou “vários, como algumas, inúmeras na verdade, demissões difíceis que já fiz. Assim como, reclamações de clientes que não eram sinceras, golpes que sofremos, erros em planejamento, etc. Mas, em contrapartida, tiveram também experiências marcantes e positivas, como elogios e histórias de famílias que marcamos e nos deram motivo para continuar dia após dia. Estar em contato com o cliente e com a equipe é sempre muito gratificante. Hoje, no digamos ‘pós-covid’, a atuação no food service está mais tranquila. Nós da 1900 já tínhamos um ‘pé’ no digital desde 1997, quando começamos a vender pizza pela Internet. Então, tudo é uma questão de evolução e adaptação e isso a gente faz bem. No entanto, atualmente, o maior desafio que vejo nesse mercado está em entender como entregaremos uma pizza sem pizzaiolos, pois está cada vez mais difícil ser um setor que atrai o jovem para o primeiro emprego”, afirma.

 

Segredo para se obter sucesso no mercado food service

 

Ao ser indagado sobre qual é o segredo para alcançar o sucesso no atual mercado food service, Momo garante que “não tem segredo! Sem essas de ‘hacks’ ou ‘macetes’. É trabalho bem-feito, com consistência. Se alguém te oferecer fórmula mágica para qualquer coisa, caia fora! Faça algo bem-feito por muito tempo que não tem como dar errado. A fórmula é simples, mas nem todo mundo está preparado para sustentar isso durante o tempo necessário. O outro ponto é que muitos acreditam que o produto sendo muito bem-feito é o suficiente, mas não, não é! Quando falo de fazer algo bem-feito, estou incluindo um bom acompanhamento dos clientes, escolha dos parceiros de negócio, um preço bem colocado e tudo que envolve o nosso setor. Muita gente quer acertar rápido e não deixa as coisas maturarem e, consequentemente, essas pessoas não colhem nada, pois não deixam o negócio dar frutos antes de desistir. Atualmente, o primordial para alcançar o sucesso no atual mercado brasileiro de pizzarias é oferecer qualidade no produto, rapidez no delivery e identidade. Tenha uma identidade sua, porque pizza tem em tudo que é lugar. Se você for só mais um com uma pizza sensacional, corre o risco de ficar no limbo. Crie uma marca, um conceito novo e faça o básico muito bem-feito”, aconselha.

 

A 1900 Pizzeria

 

A 1900 Pizzeria foi fundada em 1983, pelas mãos e hobby do Maestro Giovanni Paolo Momo que, juntamente com a sua esposa, Katia Cesar Momo, e sua sogra, Dima Ceratti Cesar, resolveram montá-la em um casarão construído no início do século XX e, daí, vem a inspiração do nome 1900.

 

Foto: Divulgação

 

O casarão que abrigou a primeira 1900 Pizzeria é localizado no bairro Vila Mariana, onde também funcionou uma oficina de bondes. Em 1993, foi inaugurada a primeira filial da 1900 Pizzeria em Moema e, três anos depois, outra unidade foi aberta no bairro de Jardins, a princípio na Rua da Consolação, mas que, em 2003, passou a funcionar na Rua Barão de Capanema. Em 2005, surgiu mais uma 1900 Pizzeria em uma casa do bairro da Chácara Flora e, em 2009, foi a vez do bairro de Perdizes ganhar uma 1900 e, em 2011, o Morumbi. “A expansão da rede começou somente dez anos depois da sua fundação, por meio do filho mais velho de Momo, Edrey, que, em parceria com o então Gerente da 1900 Vila Mariana, João Fernandes Maciel, e seu irmão Erik, abriram a 1900 Moema. A partir daí, o trio comandou a expansão da rede, chegando a sete unidades em 2014. Erik, que assumiu o comando da rede em 2011, tem direcionado o investimento em tecnologia e no desenvolvimento dos produtos. Assim, em 2015, a 1900 Pizzeria passou a ter uma central de atendimento única para a rede, aplicativo próprio e uma série de ferramentas para análise e administração do negócio. Erik também foi o responsável por uma grande transformação na rede, após participar de cursos e viagens à Itália e aos Estados Unidos em busca de conhecimento, reformulando a pizza que era feita por seu pai havia mais de trinta anos”, contextualiza a assessoria de imprensa da marca.

 

O atual CEO da 1900 Pizzeria, por sua vez, destaca que “a nossa preocupação é sempre melhorar os processos e trazer valor para o cliente. Sempre que implantamos uma mudança, sabemos que o cliente precisa perceber melhorias ou na qualidade do produto, ou no atendimento, para que faça sentido. Reformular a receita e o processo de fazer a pizza da 1900 foi um movimento muito delicado. Eu estava mexendo em time que estava ganhando e a obrigação de melhorá-lo era um enorme desafio”, conta Erik.

 

Em 2020, em plena restrição do comércio devido às restrições de circulação provocadas pela pandemia de Covid-19, a 1900 Pizzeria apresentou uma nova identidade visual, um projeto que estava em desenvolvimento desde 2018. Dessa forma, a marca rejuvenesceu no visual e no atendimento. E, em processo contínuo de plena expansão, a 1900 Pizzeria comemora 39 anos e, no final de 2021, foi inaugurada a sua décima operação, agora, no bairro Itaim Bibi. “Aberta ao público a partir de dezembro do ano passado, a nova casa está localizada na esquina das ruas Tabapuã com a Bandeira Paulista e foi a primeira da rede a abrir o salão também a partir de 12h. Com essa novidade, a 1900 visa incentivar a cultura da pizza em outros momentos do dia, como almoço ou durante a tarde, não se restringindo mais ao jantar”, informa a assessoria.

Escrito por https://redefoodservice.com.br/author/tabata/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carregando…

0

Comentários

0 comentários

Mais de 30% dos expositores da ABF Franchising Expo 2022 são do segmento Food Service

Sopa de Legumes