in

Nude: conheça a foodtech carbono zero que produz alimentos à base de plantas

Certificada e parte do Pacto Global da ONU, empresa possui inúmeros exemplos de iniciativas de sustentabilidade voltadas ao mercado food service que valem a pena conhecer

Foto: heynude_

 

Sustentabilidade e food service tem tudo a ver? Para a Nude, foodtech carbono zero que produz alimentos à base de plantas, com certeza! Por isso, hoje, nós da Rede Food Service temos o prazer de te apresentar os inúmeros exemplos de iniciativas de sustentabilidade dessa empresa que valem a pena conhecer. Vamos lá?

 

Foto: Divulgação

 

Em entrevista exclusiva à nossa reportagem, Mariana Malufe Spignardi, de 41 anos, Head de Sustentabilidade da Nude, apresenta o negócio como “uma foodtech que produz alimentos à base de plantas e fazemos tudo com aveia, porque é um cereal que une valor nutricional, sustentabilidade e sabor. Fazemos inovação com foco no sabor e na natureza e a nossa missão é transformar hábitos simples para construir um amanhã possível, mais justo e diverso. Assim, concentramos nossos esforços em produzir alimentos gostosos de verdade, porque sabemos que, para as pessoas considerarem mudar a forma de consumir, o sabor importa muito”, afirma.

 

Quando e onde surgiu a ideia da Nude?

 

Conforme Spignardi, “a Nude nasceu em 2020 e é pautada sobre a ideia de mudança, tendo a alimentação como o fio condutor da nossa história na mitigação das mudanças climáticas. Sabemos que a indústria de alimentos é a que mais emite gases de efeito estufa no mundo todo. Por isso, calculamos e neutralizamos a emissão de carbono da nossa produção e estampamos essa informação no rótulo para convidar o consumidor a pensar no impacto ambiental dos alimentos que ele compra: quanto menor o impacto, melhor para o planeta”, garante

 

Sustentabilidade como propósito

 

Sobre o principal propósito da Nude, a Head de Sustentabilidade da foodtech partilha que é “o enfrentamento à crise climática. Dentro desde tema, além de monitorar e calcular o impacto ambiental de toda a nossa cadeia de fornecimento e colocar a pegada de carbono, que traduz o impacto ambiental de cada produto, nas embalagens, neutralizamos nossas emissões de gases que provocam o efeito estufa, visto que nascemos como uma empresa carbono neutro. Além disso, também estamos implementando iniciativas para reduzir esse impacto ambiental junto à nossa cadeia de fornecedores. Somos uma Empresa B Certificada e integramos o Pacto Global da Organização das Nações Unidas (ONU). A sustentabilidade na Nude é algo integrado ao negócio desde o início, não é um tema tratado de forma adicional. A estratégia de sustentabilidade da empresa foi feita mais de seis meses antes do lançamento dos produtos e permeia nossas decisões diariamente”, destaca.

 

Foto: @heynude_

 

Spignardi acrescenta que “possuímos inúmeros exemplos de iniciativas de sustentabilidade que buscam atender os temas socioambientais pertinentes ao nosso negócio de forma consistente e coerente. Dentre eles, destaco a iniciativa de logística reversa, em parceria com a Musa e patrocinada pela TetraPak, onde colocamos pontos de coleta de embalagens cartonadas na cidade de São Paulo, capital, reforçando nosso diálogo com o consumidor sobre a importância de reciclar as embalagens pós-consumo. Essa é uma iniciativa que vai além da compra de créditos de logística reversa, com os quais atendemos a Política Nacional de Resíduos Sólidos”, realça.

 

Sustentabilidade em equipe

 

Atualmente, toda a equipe da Nude está envolvida em suas ações relacionadas à sustentabilidade, o que só reforça o posicionamento da foodtech como uma marca inspiradora. “Todos os Nuders – chamamos de Nuders quem trabalha conosco – estão envolvidos com a sustentabilidade da empresa. Eu costumo dizer que não sou responsável pela sustentabilidade da Nude, porque todos somos. E me arrisco a dizer que o ‘todos’ não são apenas os que trabalham diretamente na empresa, mas todos aqueles que fazem parte de nosso ecossistema: fornecedores, consumidores, parceiros e etc”, comemora Spignardi.

 

Foto: @heynude_

 

Planos para a Nude

 

Inspirada com essa ‘pegada’ sustentável, a Head de Sustentabilidade da Nude divide que os atuais planos para a foodtech conversam, ainda mais, com essa consciência ambiental tão importante hoje em dia. “Nosso plano é colocar ainda mais força no enfrentamento à crise climática. Além de mapear e colocar o impacto ambiental de cada produto, ou seja, a pegada de carbono nas embalagens, e a de neutralizar as emissões de todos os nossos produtos e operações, neste ano de 2022, estamos focados na busca pela redução de nosso impacto. Entendemos que mais importante do que neutralizar as nossas emissões de gases de efeito estufa é planejar e executar um plano de redução. Ou seja de mitigação climática”, explica Spignardi.

 

A importância de investir em sustentabilidade no mercado food service

 

Já quando questionada sobre qual é a importância de investir em sustentabilidade no mercado food service, a Head de Sustentabilidade da Nude esclarece que essa postura empresarial traz ganhos significativos para as corporações e todos os seus públicos envolvidos. “Hoje em dia, iniciativas de sustentabilidade trazem, inclusive, ganhos financeiros, visto que priorizam a eficiência de recursos naturais, a redução dos deslocamentos, a compra de produtos locais, entre outros. Os ganhos sociais e ambientais podem ser diretos e indiretos, dependem de cada iniciativa, mas, certamente, agregam valor às marcas e empresas, uma vez que o assunto está cada vez mais valorizado pelo mercado consumidor. A desvantagem, inclusive, em relação à concorrência, acontece quando não são adotadas iniciativas relacionadas aos aspectos sociais, ambientais e de governança”, pontua.

 

Foto: @heynude_

 

Spignardi diz ainda que todos ganham quando o assunto é sustentabilidade. Afinal, “estamos em um momento do mundo em que é preciso agir para enfrentar a crise climática e as questões sociais que vivenciamos. Precisamos assumir a responsabilidade, como empresa e como consumidores, do impacto ambiental que geramos no planeta. Não é mais possível continuar com os padrões de consumo que nos fizeram chegar aqui. Hoje, o não investir em projetos de sustentabilidade é mais caro. E vai nos custar cada vez mais. Não é sobre ‘valer a pena’, é sobre ‘precisarmos’ mudar nossos hábitos e padrões de consumo”, alerta.

 

Dica para trabalhar com sustentabilidade no mercado food service

 

Por fim, Spignardi indica que trabalhar com sustentabilidade no mercado food service exige seguir um certo procedimento/processo. “Inicialmente, é preciso entender os maiores impactos sociais e ambientais da empresa, assim como os desafios setoriais. Apesar de existirem desafios que permeiam todos os setores, como a crise climática e a destinação dos resíduos plásticos, não é possível falar de sustentabilidade de forma genérica. É preciso ter um olhar individual para cada empresa. Mas, se eu fosse aconselhar uma empresa, eu diria para iniciar sua jornada pela sustentabilidade com projetos e iniciativas que tenham sinergia com o negócio. Me parece que o caminho é sempre atuar localmente para impactar os desafios socioambientais globais”, recomenda.

 

E aí? Aposto que gostou de conhecer a Nude e as suas práticas Sustenfood, não é mesmo? Então, continue nos acompanhando, pois, aqui na Rede Food Service, tudo que é relacionado à temática sustentabilidade sempre terá vez e voz!

Escrito por #molongui-disabled-link

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carregando…

0

Comentários

0 comentários

Putz!: conheça a marca de pasta de amendoim saudável que nasceu de forma artesanal em 2018 e já cresce 60% ao ano

Gastronomia na periferia? Essa é vida de chef de Edson Leite!