in

Rede Café Cultura acelera projeto de expansão

Após inaugurar a quarta loja em Curitiba, a rede catarinense anuncia novas unidades do Rio Grande do Sul ao Rio de Janeiro, com variados modelos de franquia

Uma das novas unidades da Rede Café Cultura - Foto: Divulgação

 

O crescimento da rede Café Cultura vem alcançando novos horizontes. Além de cidades que recebem novas unidades, outras ganham suas primeiras lojas. Curitiba (PR) estreou seu quarto espaço da rede catarinense no fim de agosto, e Blumenau (SC) e Londrina (PR) inauguraram seus primeiros estabelecimentos Café Cultura nas últimas semanas. Até o fim do ano, mais quatro lojas já estão programadas para inauguração, numa média de uma loja a cada 15 dias, praticamente.

 

O crescimento da rede mesmo durante a pandemia é devido a alguns fatores. Ao invés da rede catarinense cancelar os planos de expansão devido às dificuldades causadas pelo coronavírus, eles foram adaptados à nova realidade. A aposta no delivery e novas maneiras de vendas foram essenciais, mas também a busca por formas de gerenciar custos. A estratégia resultou em 11 novas unidades comercializadas, nas cidades de Curitiba (PR), Porto Alegre (RS), Balneário Camboriú (SC), Canoas (RS), Caxias (RS), Rio de Janeiro (RJ) e São José (SC), e garantiu a saúde financeira das lojas que já estavam em funcionamento no país. Durante a pandemia, a rede não fechou nenhum endereço no Brasil.

 

O casal Joshua Stevens e Luciana Melo, fundadores da Café Cultura – Foto: Divulgação

 

“Orientamos os franqueados em relação à gestão de custos, algo fundamental para o período em que estamos vivendo”, comenta a CEO da rede, Luciana Melo para a Rede Food Service. O fortalecimento da marca também se mostrou uma decisão acertada. “Nenhuma de nossas franquias fechou e estamos trabalhando forte para deixarmos as lojas preparadas para uma retomada inteligente e segura para todos”, complementa Luciana.

 

Das próximas inaugurações, uma é no formato Quiosque (no Neumarkt Shopping, em Blumenau), e três são Mini Bistrô. Em outubro, abre ainda o Mini Bistrô de Itajaí (SC) e, em novembro, um Quiosque no Shopping Tijuca do Rio de Janeiro (RJ) e as lojas do Iguatemi Porto Alegre (RS) e Maringá (PR). “Conseguimos moldar um modelo de franquias que oferece diferentes tamanhos das operações, favorecendo o crescimento da rede, pois os variados estilos aumentam as possibilidades de o franqueado encontrar um empreendimento dentro de suas expectativas”, detalha Luciana Melo.

 

Foto: Divulgação

 

O investimento inicial de R$ 250 mil para o modelo quiosque indicado para uma unidade do Café Cultura tem retorno estimado de 20 a 30 meses com faturamento médio de R$ 75 mil. O pagamento de royalties é de 5% sobre o faturamento bruto, além de 1,5% para fundo destinado à propaganda. “O Café Cultura oferece suporte ao franqueado em aspectos como análise econômica e de viabilidade, assessoria no projeto arquitetônico e programa de treinamento, entre outros”, explica a CEO da rede.

 

A Marca

 

Um destaque do Café Cultura é o formato Farm to Cup, ou seja, o cuidado com os grãos de café desde o plantio até a xícara. Toda a cadeia de produção é analisada pelo casal Joshua Steven e Luciana Melo, que fundou a rede catarinense em 2004. Produtores parceiros no Espírito Santo e São Paulo com grãos 100% arábica de origem controlada, em altitudes acima dos 1000m, fornecem o café. Após inspeção, os frutos são levados ao Café Cultura Lab, laboratório próprio da rede para torrefação e elaboração dos blends, que chegam às lojas e, também, podem ser comprados online para degustar em casa. São cinco blends tradicionais, além de edições especiais temporárias, como a de Páscoa.

 

Foto: Divulgação

 

As lojas contam com opções gastronômicas para o dia todo. Durante a manhã, o café é acompanhado de pedidas como misto-quente, croissant de queijo ou waffles cm acompanhamentos variados, entre outros. Pode-se optar também pelos brunches, combinando elementos como o Café Brasileiro: uma porção de pão de queijo, um misto-quente, bolinho, salada de frutas, café e suco de laranja. Há diversas escolhas de lanches, dos Paninis (sanduíches abertos feitos com pão de fermentação natural) e os omeletes. Saladas e bowls são boas pedidas para o almoço, e as sopas são ótimas para jantares em noites frias. As sobremesas passeiam por sabores como Torta de maçã com amêndoas, Brownie e Torta de chocolate cremoso sem glúten, entre outros. Além dos cafés, o Café Cultura tem uma variedade de bebidas que vão de sucos e smoothies a drinks e cervejas.

 

Foto: Divulgação

 

O Café Cultura conta com 23 unidades espalhadas pelo Brasil, alcançando 13 cidades: Florianópolis (SC), Balneário Camboriú (SC), São José (SC), Criciúma (SC), Tubarão (SC), Jaraguá do Sul (SC), Porto Alegre (RS), Canoas (RS), Caxias do Sul (RS), Curitiba (PR), Rio de Janeiro (RJ), Blumenau (SC) e Londrina (PR). Até o final de 2021, a rede abrirá ainda 4 novas praças: Itajaí (SC), Iguatemi – Porto Alegre (RS), Shopping Tijuca – Rio de Janeiro (RJ) e Maringá (PR). Para mais informações sobre o processo de franquias da cafeteria, acesse o site ou o Instagram oficial da rede (@cafecultura).

Escrito por #molongui-disabled-link

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carregando…

0

Comentários

0 comentários

Mercado de vizinhança: a conveniência que veio para ficar

Baião de Dois Vegano