in

O Bendito: a rede de café criada por publicitária carioca que deve faturar R$ 4 milhões até o final de 2021

Com atuais oito lojas, marca é fruto da coragem de Rosana Braem em deixar uma carreira estável em emissora de televisão para se tornar freelancer e ressuscitar a sua paixão por produzir brownies e cookies

A carioca Rosana Braem, fundadora da rede O Bendito - Foto: Divulgação

 

Como disse João Guimarães Rosa (1908-1967), escritor e diplomata brasileiro, em seu famoso romance Grande Sertão Veredas, “o correr da vida embrulha tudo, a vida é assim: esquenta e esfria, aperta e daí afrouxa, sossega e depois desinquieta. O que ela quer da gente é coragem”. E essa coragem ilustra muito bem a história da O Bendito, uma rede de café, e sua fundadora Rosana Braem, de 48 anos, natural do Rio de Janeiro, capital.

 

Mãe de Manuela e formada em Comunicação Social, com habilitação em Publicidade e Propaganda, Braem, que, hoje, é Diretora da marca, deixou uma carreira estável em emissora de televisão brasileira para se tornar freelancer e ressuscitar a sua paixão de produzir brownies e cookies ao fundar a O Bendito. “O Bendito é uma rede de café com especializações em cookies, brownies e salgados. O começo era vivenciar o negócio todos os dias e fazer acontecer, foi pura experiência. Hoje, colho os frutos, com um aprendizado, com uma estrutura e profissionalização maior”, apresenta a empresária em entrevista exclusiva à Rede Food Service.

 

O começo de tudo e rápido crescimento

 

Conforme Braem, o seu negócio food service também é fruto “de uma saída para passar mais tempo junto da minha filha e, de pequenas e médias encomendas, logo, senti a necessidade de alugar um espaço que funcionou como o meu ateliê”, conta.

 

Foto: Divulgação

 

A marca O Bendito surgiu em 2009. “Eu já tinha um ritmo de produção fluindo nessa época. Com apenas 28m², a primeira simpática loja já funcionava em Copacabana, com sua marca bem formatada, unindo estética à qualidade excepcional dos produtos, que têm receitas exclusivas e o mais puro chocolate belga Callebault, garantindo requinte e originalidade. Em 2014, me instalei em um espaço maior, de 150m², no mesmo bairro e, em um intervalo de apenas quatro anos, abri mais quatro lojas. Mas, foi ao abrir a quinta loja, que, então, decidi entrar no franchising, me unindo à rede Espetto Carioca, que trouxe um novo ritmo de expansão à minha marca. Hoje, a rede já tem oito lojas, cujo investimento inicial parte de R$ 170 mil”, relata a empresária.

 

Foto: Divulgação

 

Braem divide também que, ao fundar O Bendito, contou com o seu ex-marido Alexandre Mota, que, até então, era o sócio. “Mas, em 2019, a Espetto Carioca, rede de bares e restaurante dos empresários Bruno Gorodicht e Leandro Souza comprou a parte de Mota e mais 25% da fatia que pertencia a mim. E, assim, deram um novo ritmo a expansão do O Bendito”, explica.

 

Investimento inicial e retornos

 

Para estruturar a primeira loja da O Bendito, Braem revela que fez um investimento inicial de R$ 125 mil. Porém, hoje, ela mensura que o faturamento mensal das lojas de sua rede de franquia gire “em torno de R$ 80 mil para o formato loja e R$ 45 mil para quiosque. Já o investimento inicial para abrir uma loja nossa é de R$ 300 a 340 mil, com taxa de franquia de R$ 60 mil e lucro mensal de 12 a 20%. O investimento inicial no formato quiosque é de R$ 170 mil a 190 mil, com taxa de franquia de R$ 40 mil e lucro mensal também de 12 a 20%”, detalha.

 

Perfil de cliente e cardápio

 

Para Braem, atualmente, o perfil de cliente da O Bendito é composto por pessoas da “classe A e B, mas atendemos qualquer tipo de público, desde crianças até pessoas mais idosas”, pontua.

 

Foto: Divulgação

 

Já sobre o cardápio da rede de franquias, a empresária garante que “estamos sempre preocupados em oferecer uma experiência única aos nossos clientes. Hoje, trabalhamos com receitas exclusivas que utilizam em suas composições ingredientes especiais, como o puro chocolate belga Callebault, garantindo ainda mais sabor aos produtos. Entre os nossos produtos carros-chefes, estão os sanduíches de cookies com três opções de recheios (brigadeiro, doce de leite e Nutella), o brownie afogado em uma caneca com calda de chocolate quente, a Torrada Petrópolis e os cafés, que são super requisitados”, lista.

 

Experiência como diferencial do negócio

 

Na visão de Braem, o diferencial da O Bendito é conseguir “oferecer ao cliente experiência desde o momento que ele entra na loja até a sua saída. Com cores, músicas e decoração que encantam, gerando uma experiência sensorial até chegar ao último sentido, que é o paladar, no qual a pessoa está preparada para saborear as delícias que estão no nosso cardápio. Quando eu criei a O Bendito, me preocupei em dispor um lugar em que as pessoas possam vivenciar as melhores experiências e lembrar daquele momento de afeto com a nossa marca, sempre voltando”, ressalta.

 

Foto: Divulgação

 

A empresária acrescenta que, hoje em dia, “as nossas principais inspirações vão desde as músicas até as viagens que já realizei para fora do país. Tudo aquilo que é bom para ficar em nossas memórias e criar um ambiente que os nossos sentidos sejam estimulados nos inspira”, afirma.

 

Adaptações frente à pandemia de Covid-19

 

Conforme Braem, assim como vários outros proprietários de empreendimentos de alimentação fora do lar, ela também foi pega de surpresa pela pandemia de Covid-19 e suas necessárias medidas restritivas. Por isso, precisou fazer algumas adaptações na marca, as quais ela garante que vêm dando certo. “Quando a pandemia de Covid-19 se instalou no Brasil, em março de 2020, as unidades da rede O Bendito ficaram três meses fechadas e voltaram a funcionar apenas em junho do mesmo ano, atendendo todos os protocolos de segurança. Mesmo com o delivery funcionando durante a paralisação das atividades, o faturamento mensal das lojas, que girava em uma média de R$ 90 mil, obteve uma queda para R$ 18 mil. Apesar dessas dificuldades, durante o ano de 2021, conseguimos abrir mais quatro unidades no Rio de Janeiro e, até final de dezembro, pretendemos abrir mais uma na Barra da Tijuca, com o objetivo de faturar R$ 4 milhões até o final deste ano. Além disso, planejamos inaugurar novas unidades no Sudeste brasileiro, sobretudo, em São Paulo, capital”, comemora.

 

Segredo do sucesso

 

Já quando questionada sobre qual é o segredo para a conquista do sucesso no mercado food service, Braem enfatiza que “não existe segredo, mas sim uma maior dedicação, esforço e comprometimento diário com o seu negócio. Digamos que a comida nasce, vive e morre e alimentar o outro é uma coisa muito importante, mas ter sensibilidade e olho atento ao que o cliente fala é, sem dúvidas, ainda mais. Para aqueles que estão começando no mercado de food service, o envolvimento emocional é o ideal, precisa ter jogo de cintura, simpatia, sensibilidade e paixão”, aconselha.

E aí? Muito inspiradora a história de vida profissional de Braem e sua marca O Bendito, não é mesmo? Então, continue nos acompanhando, pois, aqui na Rede Food Service, te incentivar a prosperar, cada dia mais, nesse ramo é um dos nossos objetivos!

Escrito por #molongui-disabled-link

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carregando…

0

Comentários

0 comentários

ZAK, “Toast da América Latina”, anuncia aporte de R$ 80 milhões para se consolidar como plataforma de gestão All-in-One para restaurantes

Padaria Jules lança panetone e chocotone feitos com fermentação natural e ingredientes premium