in

Uso de nitrogênio traz sustentabilidade e vantagens competitivas ao mercado food service

Gás exclui a utilização de aditivos químicos, assim como é capaz de proporcionar maior conservação de bebidas e qualidade das embalagens

Uso de Nitrogênio contribui com a conservação e qualidade de insumos e produtos embalados - Foto: Getty Images

 

Quer utilizar produtos de melhor qualidade, sem aditivos químicos e com maior validade? Enfrenta problemas com a conservação de bebidas? E com a durabilidade das embalagens de produtos preparados no seu estabelecimento para venda? Se sua resposta for sim para uma e/ou todas as perguntas acima, nós da Rede Food Service queremos, hoje, te apresentar os benefícios dos produtos que utilizam nitrogênio em seu processo produção.

 

Hoje em dia, o uso de nitrogênio já é capaz de trazer sustentabilidade e vantagens competitivas ao mercado de alimentação fora do lar. Como? Em suma, o gás exclui a utilização de aditivos químicos por parte da indústria e de transformadores, assim como é capaz de proporcionar maior conservação de alimentos e bebidas e melhorar a qualidade das embalagens, fazendo com que o estabelecimento ganhe com a qualidade de seus insumos e produtos e com a redução do desperdício.

 

Nitrogênio e sustentabilidade

 

De acordo com Rafael Sarkozi Pereira da Silva, Engenheiro de Aplicações e Desenvolvimento Food da Air Products, uma das maiores fornecedoras mundiais de gases para diversos setores da economia, a utilização do nitrogênio no mercado de alimentos é “totalmente sustentável em todos os sentidos. Usar nitrogênio remove a necessidade da utilização de aditivos químicos no produto ou, em alguns cenários, diminui muito essa necessidade sem considerar que, processualmente e comercialmente, a empresa conseguirá agregar valor a um produto e atingir todos os públicos sem preocupá-los com o que está ingerindo, se é somente o alimento ou terá algum aditivo ‘acompanhando’. Assim, é sustentável para a empresa, público consumidor e o meio ambiente. Sendo válido ressaltar que, cada vez mais, nossas águas tratadas apresentam maiores concentrações de químicos que são dificílimos de serem tratados, desde agrotóxicos e estimulantes de crescimento ou conservantes até fármacos de alto consumo, que são expelidos por nós após consumo”, explica.

 

Rafael Sarkozi, Engenheiro de Aplicações e Desenvolvimento Food da Air Products – Foto: Divulgação

 

Silva acredita que, em resumo, o uso do nitrogênio também soma ao meio ambiente e ao empresário, uma vez que supre as perspectivas das empresas em relação à “atual demanda de público buscando, cada vez mais, um produto in natura e, em alguns caso, até mais premium e sem alteração genética ou quaisquer outras alterações naturais em seu alimento e bebida. Nosso trabalho da Air Products está sendo de mudança de conceito e demonstração de melhoria na qualidade para o consumidor final. Nosso mercado nacional hoje está, cada vez mais, exigente e com maior acesso às informações. E, por isso, a procura de conhecimento sobre o que o consumidor leva para casa para o seu consumo e de sua família vem sendo mais levado em consideração. Inclusive, esse hábito já é bem difundido em algumas partes do mundo, como na Europa, em que existem mercados 100% com essa mentalidade e onde já atuamos há muito tempo com nossa FreshLine Food. Com isso, todo conhecimento e experiências – testes, aplicações, cases de sucesso – são compartilhadas para apenas replicarmos e demonstrarmos os benefícios desse mercado”, aponta.

 

Maior conversação das bebidas

 

Além de proporcionar a diminuição e até a exclusão do uso de aditivos químicos em diversos produtos, o nitrogênio também é uma solução para a maior conservação das bebidas. Isso porque, segundo Edson Basilio, Gerente de Aplicações e Desenvolvimento da Air Products, o oxigênio presente no ar é responsável por causar a oxidação de bebidas naturais, o que causa alteração de cor, sabor e redução da qualidade do produto. O controle desse oxigênio é importante para evitar oxidações indesejadas e deterioração precoce do produto e, para esse domínio, pode ser realizada a injeção de gases como o nitrogênio, dióxido de carbono e argônio nos tanques onde se realiza a produção das bebidas ou nas tubulações que chegam a esses tanques, por exemplo. “Além de inertizar o espaço livre presente no tanque, é importante que a bebida que está sendo produzida seja mantida em constante movimento, pois, com essa mistura parada, pode ocorrer sedimentação e falta de homogeneidade do produto. Para isso, é injetado nitrogênio líquido na parte inferior do tanque e, por meio da sua expansão para o estado gasoso, há uma ‘agitação’ que previne a deterioração e a oxidação da bebida”, esclarece.

 

Edson Basilio, Gerente de Aplicações e Desenvolvimento da Air Products – Foto: Divulgação

 

Basilio acrescenta que tal “processo é finalizado com a utilização da tecnologia para a inertização do envase com injeção de nitrogênio, que remove o oxigênio ainda presente e aumenta o tempo de vida útil do produto, desde a exposição na prateleira até o consumo. Essa tecnologia é a garantia de uma vida útil maior em bebidas envasadas e o mais interessante é que esse envase não se restringe ao plástico. Ele pode ser utilizado em garrafas de vidro, Tetra Pack e latas de alumínio”, revela.

 

Melhor qualidade das embalagens

 

Outra aplicação de destaque do nitrogênio que traz benefícios ao mercado de alimentação fora do lar é em relação ao fato de promover uma melhor qualidade das embalagens, com destaque para a rigidez delas. Dessa forma, o consumo, principalmente de bebidas, é facilitado, sendo ainda evitado qualquer risco de contaminação durante a fase de transporte também de alimentos.

 

Foto: Divulgação

 

Na Air Products, essa solução no que diz respeito às bebidas é realizada por meio de um processo de inertização de garrafas a partir da adição de nitrogênio, que garante a rigidez do plástico, mesmo sendo utilizado em porções muito menores, o que também é uma necessidade para a preservação do meio ambiente. “Essa firmeza, fornecida pelas gotículas de nitrogênio líquido, pode ajudar a reduzir os custos, permitindo que os processadores diminuam a quantidade de polímero na embalagem. Permite também que as garrafas pet sejam empilhadas umas sobre as outras sem a preocupação da ruptura do frasco. A capacidade de empilhamento contribui para a economia de custos durante o armazenamento, transporte, distribuição e exibição do produto. Além disso, essa pequena quantidade de nitrogênio líquido gera espaço inerte no recipiente de PET, o que ajuda a preservar a qualidade e evita a degradação do produto. Aquele ‘pizz’ do ar que está sendo liberado após a abertura da garrafa traz uma sensação de qualidade e frescor para o consumidor e as garrafas mais firmes proporcionam uma experiência tátil melhor ao pegar de uma prateleira ou de uma máquina de venda automática”, pontua Basilio.

 

Foto: Divulgação

 

Conforme Silva, apesar de apresentarem as vantagens já citadas por Basílio, “as embalagens produzidas com nitrogênio, em geral, não se diferem esteticamente das comuns utilizadas hoje em dia. O único detalhe é que, na etapa de produção, há a necessidade de uma qualidade superior e com benefícios específicos. Em alguns casos, é necessária a respiração do produto interno e, em outros, o impedimento da entrada e saída gasosa. Mas, para o empresário do food service, o uso de produtos que utilizam nitrogênio possuem melhor qualidade e maior valor agregado, além de ter o shelf-life aumentado sem a necessidade de conservantes químicos”, reforça.

 

Foto: Divulgação

 

Já em relação se o uso de nitrogênio nas embalagens pode apresentar algum malefício, o Engenheiro de Aplicações e Desenvolvimento Food da Air Products afirma que, “como toda aplicação, o único malefício, que é totalmente contornável, é a necessidade de uma embaladora que tenha a disponibilidade de usar gás. Isso, hoje em dia, a maioria dos equipamentos já possui essa possibilidade (embalar com ou sem gás), mas alguns modelos mais antigos não. Esse investimento, embora não seja tão caro, ainda sim é um investimento que, com o valor agregado de diminuição dos agrotóxicos e aditivos químicos, alcance de novos públicos consumidor, etc, é totalmente retornável”, garante.

 

Possibilidade de aplicação da solução no food service

 

Nos últimos tempos, tanto as possibilidades de canais de venda, como os tipos de produtos oferecidos pelos negócios de alimentação fora do lar, mudaram muito. Diversos negócios passaram a oferecer refeições prontas embaladas, produtos para preparação ou finalização em casa e até produtos “in natura” oferecidos no modelo de “auto-serviço” ou “take a way”,  no próprio estabelecimento.

 

Com estas mudanças, preocupações relacionadas aos processos de preparo e embalagem para venda passaram a ser rotina na vida de operadores e empresários do segmento. O mercado oferece diversas soluções para este tipo de necessidade, entre elas, opções que envolvem a utilização de nitrogênio.

 

Foto: Divulgação

 

Para Silva, quando o assunto é por qual motivo investir no uso de nitrogênio no ramo food service, ele divide que, entre todas as vantagens competitivas já listadas por ele e Basílio, apostar nessa solução é mais uma opção e não uma obrigação. Assim como, frisa que há outros processos e gases que também podem colaborar em diferentes aspectos. “Não acreditamos que o uso do nitrogênio seja uma opção que empresário deva investir. Apenas tratamos a aplicação com o nitrogênio, assim como todos os nossos outros gases da FreshLine Food, como uma opção para sua linha. Existem vários tipos de mercados consumidores e o uso de atmosfera é apenas mais um cujo intuito é garantir um produto de melhor qualidade, com seus aromas e fragrâncias mantidos naturalmente e sem os malefícios causados pelos aditivos. Caso esse seja o interesse de um empresário em seu produto, ele poderá comercializar seu produto in natura, tendo seu shelf-life baixo, ou com o uso de atmosfera modificada, prolongando este prazo”, orienta.

 

Por fim, se você ficou interessado em passar a adotar o uso de nitrogênio no seu negócio, o Engenheiro de Aplicações e Desenvolvimento Food da Air Products indica que o caminho é, “inicialmente, entender sua ponta final de consumidor, ou a que deseja alcançar, e a tendência deles. Identificando esse cenário e essa possível necessidade ou possibilidade de melhoria, é preciso antecipar os acontecimentos estando à frente no mercado nos contactando, já que temos todos o portifólio e conhecimento técnicos para indicar a embalagem correta, assim como equipamentos disponíveis no mercado e indicação de quais irão atender sua demanda. Também trabalhamos com ajuste no maquinário já existente para o uso do gás e, por fim, mas não menos importante, apontamos qual seria o gás correto para a sua aplicação, com o auxílio de equipamento portáteis que analisam a composição atmosférica das embalagens. Em resumo, todo o desenvolvimento para a implementação. Além do nitrogênio, nossa FreshLine Food possui uma grande gama de opções que, assim como os benefícios apresentado pelo uso de nitrogênio, também focam na melhoria do produto para o consumidor final, em que reconhecemos ser o foco de todos os empresários desse ramo, assim como conquistar, agradar, cativar e manter esse relacionamento com sua ponta da cadeia”, detalha.

Escrito por #molongui-disabled-link

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carregando…

0

Comentários

0 comentários

Sommelier de vinho: profissão ganhou ainda mais valor nos últimos dois anos

São Paulo reduz ICMS para Bares e Restaurantes