in

Quina BH: o restaurante e bar de coquetelaria inaugurado em meio à pandemia que combina gastronomia mineira, arte e livraria

Negócio é fruto da aposta de três empresários mineiros em honrar a história e a cultura de Belo Horizonte, capital de MG

Foto: Divulgação

 

Gastronomia mineira, arte e livraria. Essa é a combinação que compõe o Quina Bar, um restaurante e bar de coquetelaria que, mesmo sendo inaugurado em meio à atual pandemia de Covid-19, vem fazendo bastante sucesso e chamando bastante a atenção de quem passa pela sua porta, localizada na esquina das avenidas Prudente de Morais e Contorno, em Belo Horizonte, capital de Minas Gerais. Daí, o nome Quina BH.

 

Instalado em uma casa três andares desde novembro de 2020, o restaurante já apresenta bons resultados e é fruto da aposta de três empresários mineiros em honrar a história e a cultura de BH, como a cidade é carinhosamente chamada pelos seus moradores. “O Quina é um Restaurante e Bar de coquetelaria que nasceu com o propósito principal de honrar a história e a cultura de Belo Horizonte. A casa propõe uma imersão que vai desde o projeto arquitetônico e decoração, a gastronomia, coquetaria e perfil do serviço, sempre focando em transmitir os valores da nossa cultura local, sob uma ótima mais cosmopolita da capital, desvencilhando de estereótipos clássicos do ‘mineirês’ tradicional e apresentando um lado mais urbano e atual da capital Belo Horizonte. O Quina BH propõe um novo olhar para a nossa cidade, elevando e valorizando BH e suas características em todos os detalhes”, apresenta Francis Helbert de Alencar Dias, de 34 anos, Administrador de Empresa, empresário e um dos três sócios do jovem negócio de food service.

 

Dias, um dos sócios do Quina Bar – Foto: Divulgação

 

Em entrevista exclusiva à Rede Food Service, Dias conta que a ideia do Quina BH “começou a ser pensada no primeiro semestre de 2019, com um propósito pessoal meu e dos meus dois sócios de abrir um novo empreendimento que nos conectasse de uma forma genuína. Vivíamos um momento de bastante estabilidade com outros negócios do grupo e estávamos em busca de algo novo que nos inspirasse. Por sermos amigos de infância, criados em BH, encontramos esse fator comum e resolvemos o explorar a fundo nesse novo negócio. Assim, nasceu a ideia do Quina BH, um restaurante com propósito de despertar o sentimento de pertencimento em cada Belo-Horizontino que conhecer a casa”, relata.

 

Foto: Divulgação

 

Na visão do empresário, o Quina BH vem dando bons resultados pelo fato de ter sido planejado já englobando todas as novas normas de segurança provenientes da pandemia de Covid-19. No entanto, ele partilha que o novo cenário do mercado food service também serviu de inspiração para a adoção de novos moldes operantes dentro do mesmo restaurante. “O Quina BH já nasceu em meio à pandemia de Covid-19. A casa inaugurou em novembro de 2020. Logo, já nasceu estruturada para o cenário, desde o espaçamento de mesas e as medidas básicas protocolares em todos os departamentos. Com a pandemia, o fator presencial perdeu força, sendo ainda mais importante voltar o foco para digital, pois o contato com o público, mais do que nunca, se dá pela tela de um computador/celular. Hoje, é a principal vitrine de qualquer negócio. Com a pandemia, lançamos também o Quininha, que é uma pastelaria com pasteis assinados pelo Chef Uamiri Menezes e que funciona voltada para rua, com take away e delivery. Foi uma solução criativa que encontramos para manter a casa operando nos momentos de lockdown e que tem se mostrado um negócio promissor. Por isso, temos planos para expansão em médio prazo”, revela.

 

Funcionamento e diferenciais

 

Com atuais 28 funcionários, o Quina BH, que contou com um investimento inicial de R$ 2,8 milhões, funciona de terça-feira a sexta-feira, das 18h30 às 22h, sábado, de 12h às 22h, e domingo, de 22h às 17h. “Na programação, além da Cozinha de Expressão do Chef Uamiri Menezes e mixologia por Alan Rogério, temos Djs locais, Trio de Jazz, noites temáticas com open wine, menu degustação dentre outros”, elenca Dias.

 

Foto: Divulgação

 

Já sobre os diferenciais da casa, o empresário afirma que se resume a uma palavra. “Receptividade. Essa é a palavra-chave. O Quina BH é um local onde se encontra excelência em produtos e serviços, mas sem a formalidade costumeira nos restaurantes de alta gastronomia. Como é característico da nossa terra, o bem receber, o clima leve e receptivos é o que mais se vê por aqui. Desde a água de cortesia, as obras de arte de artistas locais e o sebo que funciona no primeiro andar e que foi cedido gratuitamente para um antigo vendedor de livros a céu aberto no centro de BH, nos diferencia”, destaca.

 

Cardápio e perfil de cliente

 

O cardápio do Quina BH é todo voltado para o seu perfil de cliente que, conforme Dias, é composto por “homens e mulheres, A+, A, B+, B, com faixa etária média 28 a 45 anos. São pessoas interessadas em cultura, gastronomia e colaboratividade”, resume.

 

Foto: Divulgação

 

Entre os pratos de destaque do restaurante, estão o Arroz de Cupim’ e o ”Croquete de Tropeiro”. Já no Bar, o nosso coquetel Maleta é o mais pedido”, divide.

 

Segredo do sucesso

 

Na visão de Dias, “o consumidor, mais do que nunca, está em busca de inspiração, encantamento. O mundo vive uma revolução de valores e negócios que querem prosperar nesse cenário precisam entender e transmitir valores reais. Conseguir o engajamento do público apenas com produtos e serviços de qualidade já não é uma realidade. A pandemia acentuou e acelerou ainda mais essa percepção, pois as pessoas estão altamente sensibilizadas pelo caos vivido em 2020 e 21 até o momento. Por isso, buscam respostas, inspirações, novas perspectivas. Fora isso, vale lembrar que o mercado de food service traz seus desafios de sempre por ser um ramo de extrema complexibilidade, que exige capacidade de gestão, logística, gestão de pessoas, marketing. É um mercado encantador, mas que exige bastante em inúmeros aspectos para se prosperar”, contextualiza.

 

Foto: Divulgação

 

Frente a esse cenário, o empresário acredita que o segredo do sucesso do Quina BH e que pode ser compartilhado com outros empresários do ramo de alimentação fora do lar como exemplo é “estudar, pesquisar, buscar boas referências, testar modelos em menor escala antes de partir para grandes investimentos no setor. Não se deixar levar exclusivamente pela paixão e emoção. O mercado de food service é encantador e, mais do que nunca, visto com muito romantismo, mas oferece grandes desafios”, alerta.

 

Planos e metas

 

Por fim, Dias expõe que, embora o investimento no Quina BH vem sendo favorável mesmo com a atual crise econômica e social, ele e seus dois sócios, Ricardo Guedes e Luís Antônio Bonolo, que são os responsáveis pelas áreas de controladoria e operacionalidade da sociedade, pretendem gastar seus esforços na manutenção de seus empreendimentos daqui para frente, incluindo o Quina BH. “No momento, estamos focados em estabilizar as casas do grupo depois dessa enorme turbulência causada pela pandemia e que ainda não acabou. Depois de um ano e meio de pandemia, já é possível entender melhor os impactos e as perspectivas do nosso mercado, que foi tão duramente castigado. Nesse sentido, nosso foco, atualmente, é respirar, estabilizar e tomar as decisões de forma cautelosa até que o mundo ofereça um cenário mais confiável para um retorno de planos de expansão mais ambiciosos”, esclarece.

 

Foto: Divulgação

 

Na Rede Food Service é assim! Toda semana, te apresentamos o enredo de um negócio de alimentação fora do lar para que te sirva de inspiração para também entrar neste promissor mercado e ou para fazer adaptações no seu empreendimento food service. Então, continue nos acompanhando!

Escrito por #molongui-disabled-link

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carregando…

0

Comentários

0 comentários

Delivery ecofriendly: um avanço que vale a pena ser mais praticado no mercado food service

Programa Germinar 2021 está com inscrições abertas