Pesquisar
Close this search box.

Vida de chef multitarefa é com Alessandro Nascimento

Profissional trocou a administração pela gastronomia e é "chef-gerente" em um restaurante de São Paulo

Foto: Divulgação

 

Quando você escuta falar na profissão de chef de cozinha, o que vem em sua mente? Uma profissão cheia de glamour? Um profissional que é o responsável apenas por coordenar o trabalho de todos dentro de uma cozinha sem colocar a mão na massa? Ou uma vida profissional recheada de viagens? Se sua compreensão passa por algo perto disso, hoje, nós da Rede Food Service fazemos questão de lhe apresentar a vida de chef de Alessandro Lima do Nascimento, de 42 anos, casado, pai de um jovem de 18 anos, o chef multitarefa Sandro Nascimento.

 

Atualmente, além de ser o chef de cozinha do Estação Cambuci Restaurante, localizado em São Paulo, capital, Nascimento também é o responsável por gerenciar todo o local. “Trabalho como chef de cozinha no restaurante Estação Cambuci todos os dias, das 7h às 16h00, e também gerencio o restaurante. Sou em quem faz o controle de estoque, monto o cardápio semanal, elaboro os preços dos pratos e procuro ter contato direto com os fornecedores com o objetivo de obter os melhores produtos com os melhores preços. Faço ainda a supervisão dos funcionários, procurando dar treinamento e desenvolvimento profissional de forma a ter mão de obra especializada para melhor atender aos nossos clientes. Também desenvolvo pratos à la carte, a partir do perfil de nossos clientes. Preparo ainda massas e molhos artesanais. E, sempre que possível, procuro atender pessoalmente os clientes para, assim, saber quais são suas expectativas quanto ao atendimento, qualidade dos pratos e percepções sobre o restaurante. Com isso, consigo traçar ações de melhoria”, detalha o chef.

 

Para Nascimento, vida de chef não é só fazer várias coisas ao mesmo tempo, mas também é “passar horas suando no fogão, cozinhando, lendo livros e estudando técnicas de culinária. É acordar cedo faça chuva ou faça sol. É ouvir críticas, dicas, sugestões e até mesmo chateações. Mas, com maturidade, experiência e humildade, tudo isso me leva a um glamour discreto, que eu mesmo me permito viver”, revela.

 

Quem é Sandro Nascimento?

 

Conforme o próprio chef define, “Sandro Nascimento é sonhador, trabalhador, amigo, muito família e uma pessoa que gosta muito de viajar e também de promover eventos para compartilhar os momentos de lazer com a família e amigos. Já o chef Sandro Nascimento é um profissional extremamente responsável, exigente, dedicado, comprometido e que está, constantemente, estudando técnicas de culinária com o objetivo de adquirir mais conhecimento para se destacar, cada vez mais, em sua profissão. Por prezar por qualidade no serviço oferecido, sou muito exigente e, muitas vezes, perfeccionista! Todavia, busco dar treinamento para a minha equipe de forma a garantir esse padrão de qualidade e, consequentemente, satisfazer meu cliente, pois não existe nada melhor para um chef do que ouvir elogios dos seus pratos. Eu amo a culinária brasileira e me destaco na preparação de massas, molhos, carnes, sem deixar de mencionar a confeitaria clássica”, pontua.

 

Foto: Divulgação

 

Já sobre a sua vida pessoal, Nascimento partilha que é “muito bem casado e feliz no meu relacionamento. Sou pai de um rapaz de 18 anos, que me deixa orgulhoso ao ingressar, neste ano, na faculdade de Medicina. Por eu estar com alguém que me apoia e incentiva no que faço, fica muito fácil conciliar vida pessoal com profissional. Eu amo tanto a minha profissão que é um prazer conviver diariamente com tudo”, afirma.

 

Formação e experiências

 

Apesar da atual ampla experiência no ramo food service, essa área não foi a primeira escolha acadêmica de Nascimento. Afinal, ele conta que largou o curso de Administração em 2009 para, então, iniciar a sua vida no ramo da gastronomia. “Nessa época, eu cursava a graduação de Administração de Empresas e tinha como meta abrir o meu próprio negócio. Foi, então, que me tornei sócio de um restaurante. Todavia, eu não tinha nenhuma experiência no ramo. Assim, inicialmente, eu atuava mais na área administrativa e financeira do restaurante. Porém, percebi que, para o melhor gerenciamento do restaurante, eu precisaria entender melhor como funcionava o coração de um restaurante: a cozinha. Foi, então, que fui para a cozinha com o intuito de aprender com os funcionários o funcionamento de uma cozinha profissional e entender melhor o seu dia a dia. E, a partir daí, nasceu minha paixão pela gastronomia e comecei a buscar me especializar e aperfeiçoar as técnicas”, relata.

 

Foto: Divulgação

 

O chef divide ainda que, ainda enquanto estudava Administração, “fui sócio de restaurante por cinco anos e, depois, investi no ramo de eventos com buffet para eventos sociais e corporativos, onde realizei várias festas. Em 2019, conclui o curso técnico de cozinha na ETEC Santa Ifigênia e, em 2020, concluí o curso de Gastronomia na Universidade Paulista – UNIP. Realizei também alguns cursos de aperfeiçoamento profissional voltados para a Gastronomia. E, desde 2019, trabalho como chef de cozinha no restaurante Estação Cambuci. Mas, antes, trabalhei em vários restaurantes atuando como auxiliar de cozinha, cozinheiro e chef de cozinha”, resume.

 

Desafios e metas

 

De acordo com Nascimento, “é na cozinha que transformo a paixão pela gastronomia em deliciosas preparações, pois, para mim, cozinhar é colocar amor para ser degustado. É o modo de amar as pessoas”, ressalta. No entanto, o chef confessa que, na vida de chef, nem tudo são flores. “Devido ao atual cenário de pandemia de Covid-19 que estamos vivendo, os meus desafios têm sido constantes, pois tive que transformar um restaurante por quilo em uma restaurante à la carte, além de implantar também o atendimento delivery e take away. Tudo isso em menos de 15 dias, após ser decretado o Estado de Calamidade Pública reconhecido pelo Decreto Legislativo nº 2.493, de 30 março de 2020, e pelo Decreto nº 64.879, de 20 de março de 2020”, diz.

 

Foto: Divulgação

 

Já sobre suas metas, o chef relata que deseja “atingir o mesmo nível de satisfação que tínhamos no restaurante com salão aberto ao público antes da pandemia e fazer com que o restaurante tenha lucro. Também tenho como meta manter os funcionários, podendo, inclusive, contratar mais pessoas para compor o quadro de funcionários. Por isso, eu não deixo de trabalhar para a realização dos meus sonhos profissionais, que são: lançamento de um curso online, escrever um livro de receitas viajando pelo mundo e prestar consultoria para empresários do ramo de restaurantes”, elenca.

 

Mercado

 

Em relação ao atual mercado food service, Nascimento reforça que é “muito desafiador, pois conciliar qualidade, serviço, lucro e satisfação do cliente em meio à uma pandemia acompanhada por uma crise econômica de proporções inimagináveis não é nada fácil. Muitos estabelecimentos do ramo food service têm fechado suas portas por não resistirem à crise. Portanto, o mercado de food service requer muito preparo profissional e controle emocional, que são competências essenciais para ter êxito no atual cenário profissional”, explica.

 

Foto: Divulgação

 

O chef acrescenta ainda que, hoje em dia, a alimentação já ganhou outro conceito, uma vez que ele percebe que “muitas pessoas buscam por um conceito de alimentação mais saudável, pois pensam na qualidade de vida. Entretanto, é perceptível que os hábitos dos brasileiros têm sido redefinidos a partir do surgimento da indústria alimentar e marcados pelo consumo excessivo de produtos processados, em detrimento de produtos regionais com tradição cultural, principalmente, nos grandes centros urbanos, onde o fast food predomina, tendo como contrapartida o movimento slow food, que conjuga prazer e regionalidade no hábito alimentar. Nesse contexto, percebemos que o aumento da alimentação fora de casa e a preferência por compra de alimentos em supermercados são fatores que favorecem o aumento no consumo de alimentos industrializados. Além disso, a publicidade e a ideologia consumistas ganharam importância, favorecendo a formação de novos hábitos alimentares e influenciando as escolhas dos consumidores”, frisa.

 

Dica do chef

 

Por fim, Nascimento, que ainda atua no desenvolvimento de um trabalho como digital influencer por meio do perfil @elesdoisnoape no Instagram, deixa aquela dica para quem sonha em ser chef de cozinha multitarefa como ele consegue ser. “Estude, aproveite as oportunidades e seja humilde. Permita-se começar de baixo e verá que existem boas oportunidades nesse caminho. Lembrando que a vida de chef não é glamour, na verdade, é passar horas suando no fogão, cozinhando, lendo bastante e buscando aperfeiçoar as técnicas. Tudo isso aliado à uma boa dose de esforço, dedicação e comprometimento”, indica.

Compartilhar:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Fique Atualizado!

Assine nossa newsletter