in

De publicitária concursada para confeiteira docente premiada: conheça a vida de chef de Evelize Fraga

Atualmente, ela atua como professora universitária, é Embaixadora da Itambé Food Service no Espírito Santo e possui um troféu do programa ‘Que Seja Doce’ do canal GNT

Foto: Divulgação

 

De publicitária concursada para confeiteira docente premiada. Esse é o enredo da vida de chef de Evelize Fraga Won Randow, de 39 anos, a chef Evelize Fraga, a Embaixadora da Itambé Food Service no Estado do Espírito Santo que, atualmente, também atua como professora universitária no curso de Gastronomia da Universidade Vila Velha (UVV) e foi a grande vencedora da terceira temporada do programa ‘Que Seja Doce’, do canal GNT, no episódio chamado Delícias de Rainha. “Foi uma experiência inesquecível e deliciosa. Hoje, me dedico ao ensino. Completei uma pós-graduação em Docência e estou em fase de término de um mestrado. Trabalho como professora de diversas disciplinas no curso de Gastronomia da UVV, tais como Confeitaria, Panificação, Cozinha Básica, Cozinha Italiana, Cozinha Francesa e Cozinha Funcional. Tenho também um trabalho com as redes sociais com produção de receitas e lives gratuitas, principalmente, no Instagram (@chefevelizefraga). Estou ainda com o projeto de ampliar meu canal no YouTube e também o de oferecer cursos online na área de confeitaria. Meu trabalho é mais de planejamento e criação, o que demanda bastante esforço e busca incessante de novidades, novos conhecimentos e atualizações. Tenho saudade da época de produção de grandes de eventos, quando eu fazia milhares de docinhos em uma semana. Porém, me sinto realizada por poder, hoje, conseguir fazer parte da história de tantas pessoas que tiveram suas vidas impactadas pelos meus ensinamentos. Essa é a maior recompensa”, relata.

 

Quem é Evelize Fraga?

 

Casada desde 2004, Fraga não tem filhos, mas cria dois gatos e um cachorro como se fossem. Ao se definir, ela partilha que sempre foi uma pessoa que buscou “demonstrar exatamente como sou em qualquer ocasião ou local que eu esteja, sem personagens ou máscaras. A alegria é algo que tenho muito forte em mim, pois é muito difícil me ver triste ou brava. Muitas pessoas até acreditam que não é possível ser sempre feliz, mas eu penso que podemos ter alguns momentos tristes sim, somos seres humanos. No entanto, eu tento focar sempre no lado positivo de tudo e buscar sempre o sorriso. O sorriso cura a alma”, aconselha.

 

Foto: Divulgação

 

O começo de tudo

 

A primeira graduação de Fraga foi em Publicidade e Propaganda. Entretanto, a sua paixão pela gastronomia surgiu ainda quando ela cursava essa faculdade. “Em 2001, eu estava de férias da faculdade de Publicidade e Propaganda e passei em frente a um ateliê de confeitaria que possuía uma vitrine com um bolo de andares infantil todo decorado em pasta americana. Na época, a confeitaria artística não era tão difundida no Espírito Santo e, quando eu vi o bolo, meus olhos brilharam com aquele trabalho. Parei e fui olhar com mais detalhes. Na mesma hora, uma pessoa saiu no portão e me falou que ministravam cursos de confeitaria lá e, logo, me interessei. Assim, eu fiz o primeiro curso de bolos de pasta americana e, daquele dia em diante, não parei mais! Foi amor à primeira vista”, garante.

 

Foto: Divulgação

 

A chef concluiu a faculdade de Publicidade e Propaganda em 2003. Depois, ela conta que chegou a trabalhar “nesta área na Prefeitura de Vitória, no segmento de Educação para o Trânsito e, depois, fui concursada do Banestes – Banco do Estado do Espírito Santo, onde trabalhei na área de Marketing. Fiquei uns quatro anos no banco, mas a paixão pela confeitaria falou mais forte e pedi para sair, mesmo sendo um cargo estável. Muitos, na época, ficaram admirados com minha decisão, já que muitas pessoas desejam ter um cargo assim. O concurso na época, inclusive, foi muito disputado e eu consegui entrar. Porém, nada é maior do que conseguirmos seguir nossos sonhos, uma vez que a vida é uma só. Depois do banco, então, me dediquei à confeitaria para eventos trabalhando com encomendas de bolos, doces, chocolates, bem-casados, entre outros para todo tipo de eventos. E, em 2006, eu me interessei em ministrar cursos, pois percebia que na minha cidade havia poucas opções de cursos nessa área e que passassem realmente todos os ‘pulos do gato’ ao aluno. Com esse pensamento, eu fui me dedicando aos poucos tanto às encomendas, quanto aos cursos. Entretanto, chegou em um momento que a procura dos cursos era tanta que precisei escolher. Com isso, hoje, me dedico somente ao ensino e também me formei em Gastronomia. E, além dos cursos particulares que ministro, como já contei, sou docente na UVV. A arte de ensinar me conquistou”, revela.

 

Bastidores da vida de chef

 

Para Fraga, atualmente, o que mais te caracteriza como chef “é o amor que tenho ao ensinar o que sei sem medo de passar nada. Quem faz meus cursos sempre comenta: nossa, você passa os mínimos detalhes que a maioria não ensina. Isso é porque sempre me coloco no lugar do outro. Tento entender qual é a necessidade do outro para trazer o que tenho de melhor e, assim, não ser só mais uma professora ou um curso que a pessoa fez e sim uma lembrança que não se apaga no caminho de tantos na confeitaria”, ressalta.

 

Foto: Divulgação

 

Nesse contexto, a chef divide que os bastidores da sua vida profissional estão “longe de ter qualquer glamour. As pessoas são muito focadas no que veem em fotos, mídias sociais e criam ideias de um mundo da fantasia não só na gastronomia, mas em várias outras áreas profissionais. Penso que os ‘chefs’ de verdade são os que fazem seu trabalho com amor, independente do reconhecimento seja ele qual for”, afirma.

 

Foto: Divulgação

 

Fraga acrescenta ainda que é “interessante como o rótulo ‘chef’ tem um peso bem grande para algumas pessoas. Tem gente que acredita que somos quase heróis (risos). Mas, na verdade, acredito que o ‘ser chef’ precisa significar ‘alguém que ama cozinhar’, seja qual tipo de cozinha for. Nas mídias sociais e no mercado capixaba, por exemplo, eu sou muito conhecida pela confeitaria, que é meu foco principal. Mas, hoje, a gastronomia em geral me encanta e faz parte do meu dia a dia como professora”, assegura.

 

Desafios e visão de mercado

 

Com uma rotina tão cheia devido ao acúmulo de cargos, naturalmente, há desafios na vida de chef de Fraga. “Atualmente, um dos meus maiores desafios é conseguir conciliar tantas atividades da vida profissional e pessoal que demandam tempo de planejamento, criação, execução. Quando alguém me pergunta: mas você ‘só’ dá aula? Nesse momento, passa aquele filme na cabeça de tantas etapas que percorremos para conseguirmos ministrar uma aula”, desabafa.

 

Foto: Divulgação

 

Em meio a tais percalços, a chef avalia que sempre teve “um público de alunos que trabalham sob encomenda, em sua maioria. Muito acostumados a comprarem tudo no varejo, em embalagens pequenas e sempre na busca por menor preço. O desafio do atual mercado, cada vez mais, tem sido demonstrar o custo-benefício do food service. Já houve uma grande mudança nesse pensamento com a presença digital por meio das lives e postagens que faço como embaixadora da Itambé Food Service no Espírito Santo. Porém, ainda há um grande caminho a percorrer”, pondera.

 

Foto: Divulgação

 

Nesse cenário, para Fraga, alimentação hoje em dia ganhou outro conceito, uma vez que, “com o avanço da história, as pessoas estavam se esquecendo que, no final das contas, somos todos humanos e não vivemos só de trabalho, estudo, correrias… A busca por uma ‘comida de verdade’ tem ficado, cada vez mais, evidente. A tendência de uma comida mais saudável, com menos conservantes e aditivos químicos, é notória. Claro que ainda temos uma grande parte da população que não tem essa preocupação. Mas, esse dilema entre vida contemporânea x saúde ideal é um dos maiores desafios da humanidade”, alerta.

 

Orgulho de ser Embaixadora da Itambé Food Service

 

Fraga é a Embaixadora da Itambé Food Service do Estado do Espírito Santo desde janeiro de 2019 e, de lá para cá, ela confessa que tem muito orgulho de representar a empresa. “Ter uma marca de tanto peso associada ao nosso nome é algo muito recompensador. Sou muito feliz em poder representar a marca no Espírito Santo e trazer ao público capixaba novidades, tendências, dicas e tudo mais que esse mundo delicioso do food service da Itambé pode nos oferecer”, destaca.

 

Dica de chef de Embaixadora da Itambé Food Service

 

Foto: Divulgação

 

Por fim, como boa docente que é, Fraga ensina que quem quer se tornar uma chef de cozinha como ela “em primeiro lugar, precisa saber se, realmente, ama cozinhar. Se seus olhos brilham quando você enxerga o seu preparo pronto ou até mesmo só de ver um ingrediente lindo e fresquinho, essa é a sua profissão”, indica.

 

Para passar a acompanhar o trabalho da chef Evelize Fraga e, assim, conferir dicas valiosas sobre confeitaria, CLIQUE AQUI!

Escrito por #molongui-disabled-link

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carregando…

0

Comentários

0 comentários

Da Senhora abre loja virtual para ampliar canais e escalar venda direta

Valores e Competências