in

Produtos Pedra Aguda: conheça o negócio de experimentações agroecológicas e gastronômicas criado por professor carioca

Empresa food service familiar produz alimentos desidratados de forma artesanal com frutas selecionadas e orgânicas em fazenda do interior do Rio de Janeiro

Fidélis Celles, educador ambiental e empreendedor responsável pela Produtos Pedra Aguda e a família - Foto: Divulgação

 

Proporcionar ao consumidor food service uma experiência gastronômica única por meio de um produto que consegue, ao mesmo tempo, ser simples, rústico e refinado. Esse é o propósito da Produtos Pedra Aguda, uma empresa de alimentação fora do lar fundada por Fidélis Luiz Celles Silva, de 58 anos, professor da Rede Estadual de Educação do Rio de Janeiro, com licenciatura em Geografia e especialização em Educação e Gestão Ambiental. “A Produtos Pedra Aguda é a realização de um sonho antigo que eu cultivo desde a minha adolescência. No começo, como um propósito de vida e desafio a serem encarados e, atualmente, como uma realidade a ser ampliada. Somos uma empresa familiar, local, um verdadeiro laboratório de experimentações agroecológicas e gastronômicas que tem como objetivo oferecer produtos de qualidade, saudáveis, que respeitem o meio ambiente e valorizem a comunidade local. O que nos move é proporcionar ao consumidor final uma experiência gastronômica única com um produto que consegue, ao mesmo tempo, ser simples, rústico e refinado. Isso nos inspira a buscar sempre meios inovadores de controlar e aprimorar a qualidade dos produtos, além de estudarmos constantemente novas possibilidades de produtos saborosos e saudáveis”, apresenta o educador em entrevista exclusiva à Rede Food Service.

 

O negócio

 

A Produtos Pedra Aguda funciona em uma fazenda localizada no município de Bom Jardim, no interior do Rio de Janeiro, que é a cidade natal de Silva. E, para tirar o negócio do papel, ele relata que gastou “cerca de R$ 30 mil para estrutura física e maquinários, principalmente. Porém, o investimento em testes, qualidade, pesquisas e especializações são constantes”, garante.

 

Foto: Divulgação

 

O educador partilha que a ideia de empreender no ramo da alimentação surgiu já há alguns anos, “por meio do meu contato com o movimento alternativo no final dos anos 1970/80, quando eu conheci a banana passa na Região Serrana do Rio de Janeiro, entre as cidades de Nova Friburgo e Bom Jardim”, relembra.

 

Silva não possui sócios. No entanto, afirma que teve “muitos amigos e familiares que me ajudaram, e ainda ajudam, em todas as etapas da consolidação da empresa. Sei que, para muitos, com uma visão ‘fechada’ das economias gastronômica, familiar e local, pode soar apenas engraçado. Mas, essa é a essência de pequenos empreendedores brasileiros que enfrentam dificuldades para desenvolverem suas ideias de maneira sustentável e gerar empregos diretos e indiretos. E, por isso, faço questão de pontuar: Wallace, Jairo, Lobão e Zeca foram essenciais para a construção da estrutura física da fábrica. Pascal, um francês radicado por aqui, trouxe ideias incríveis e construiu um mobiliário sob medida. Luizinho e Beto carregam nossos valores nas pontas dos dedos ao ajudarem na colheita e produção. E, por fim, não menos importante, minha esposa, Ivana, que além do apoio emocional, emprega suas habilidades como artista plástica nas embalagens personalizadas (usadas especialmente em épocas como Natal e Ano Novo) e contribui, ainda, na divulgação e venda dos produtos”, elenca.

 

Carro-chefe e clientela

 

O atual produto carro-chefe da Produtos Pedra Aguda “é a banana passa. Contudo, o tomate seco em conserva tem caído no gosto dos clientes e sua venda vem se assemelhando à da banana. Além disso, produzimos o bombom da banana e, sazonalmente, dependendo do clima e da produção natural/orgânica da fazenda onde a fábrica está situada, também produzimos geleia de jabuticaba”, detalha Silva.

 

Atual mix da Produtos Pedra Aguda, tomate seco em conserva, bombom de banana passa e banana – Foto: Divulgação

 

Segundo o empresário, a sua clientela é “bem diversificada. Contudo, há uma predominância de pessoas que se preocupam com alimentação natural, orgânica, vegana e vegetariana. Atletas, como ciclistas e praticantes de montanhismo, também passam muito por perto da minha fazenda e sempre levam os produtos. Além disso, também atendemos bastante pessoas que precisam evitar o consumo de açúcar. As crianças, em especial, são fãs do nosso bombom de banana passa”, ressalta.

 

Equipe

 

Apesar da Produtos Pedra Aguda ter como essência ser um negócio de família, Silva explica que, devido à demanda, ele também conta com o auxílio de “quatro colaboradores, em regime freelancer. É uma ajuda extremamente necessária em períodos específicos, como na colheita da banana, na fornada e na embalagem. Mas, o acompanhamento de todo o processo de forno é feito por mim. A banana precisa ficar 30 horas no forno e preciso virá-la a cada 1 hora. Já o tomate precisa de cerca de 15 horas de fornada. Como a empresa ainda é de pequeno porte, depende do meu trabalho in loco em todas as etapas, tem uma forte veia local e eu preciso conciliar isso com minhas atividades como educador”, esclarece.

 

O tomate seco em conserva produzido pela Produtos Pedra Aguda – Foto: Divulgação

 

O educador salienta que “o que os clientes mais elogiam sobre os nossos produtos é o sabor, fruto de uma preocupação com matéria-prima agroecológica, sem o uso de produtos químicos na banana (colhida na própria fazenda) e respeitando o desenvolvimento natural dos alimentos. Além disso, todo o processo de lavar, descascar, tempo e ‘viradas’ de forno bem feitas são essenciais para o sabor conquistador. Outras características também importantes da empresa são a valorização da agricultura familiar e da economia local. As matérias-primas são todas da região e nossos colaboradores freelancers também”, destaca.

 

Efeitos da pandemia de Covid-19

 

Como todo negócio de alimentação fora do lar, a Produtos Pedra Aguda também foi impactada com os efeitos da atual pandemia de Covid-19.

 

Segundo Silva, “para respeitar o isolamento social, que acreditamos ser importante no combate ao Novo Coronavírus, reduzimos as visitas comerciais aos pontos de venda de cidades como Nova Friburgo, Lumiar e São Pedro da Serra, o que, claro, afetou o número de vendas e a produção. Além disso, a preocupação com a higiene no processo de produção foi reforçada, com o investimento em novos EPIs e a redução do número de pessoas presentes na fábrica simultaneamente. Por outro lado, fortalecemos nossas vendas online e investimos bastante tempo em pesquisas e experimentações para a futura ampliação do mix de produtos”, avalia.

 

Planos

 

Mesmo com as restrições de acesso de público e a queda do número de vendas já citados pelo proprietário da Produtos Pedra Aguda em decorrência da pandemia de Covid-19, Silva afirma que isso não o impediu de dar sequência aos planos que possui para o seu negócio. “Hoje em dia, com foco na ampliação, a empresa vem passando por uma série de reformulações físicas e investindo em pesquisas, cursos e testes de novos processos e produtos. Agora, me aproximando da aposentadoria como servidor estadual, já conto com a ajuda de uma especialista em gestão e e-commerce, sendo que o e-commerce deve entrar em ação ainda este ano. E, para sentir o mercado de vendas online, já atendemos via WhatsApp e Instagram”, divulga.

 

Bombom de banana passa da Produtos Pedra Aguda faz sucesso com pessoas de todas as idades – Foto: Divulgação

 

O empresário divide também que “além do aprimoramento da gestão e do lançamento em plataformas de e-commerce, minhas metas também incluem a diversificação do portfólio de produtos, como outras frutas desidratadas (maçã, mamão, abacaxi, manga) e a banana chips. Também já está em construção, na fazenda, o nosso Armazém Pedra Aguda: um espaço familiar aberto ao público, com o clima singular da serra e da natureza, onde será possível encontrar produtos agroecológicos produzidos na região, tanto in natura, quanto em receitas do menu, incluindo uma deliciosa cerveja artesanal. Almejamos também que o Armazém Pedra Aguda seja agenciador de caminhadas ecológicas, fortalecendo o ecoturismo e a educação ambiental”, revela.

 

Dicas

 

Por fim, Silva indica que o segredo para alcançar sucesso no atual mercado food service é ter “foco em qualidade e saúde. Isso é fundamental! Além disso, a manutenção desse foco deve ser constante, evitando, assim, cair na tentação da escala e lucro a qualquer custo, colocando sua essência em risco e, consequentemente, perdendo a fidelização dos clientes. O cliente percebe, no sabor, nossos valores. E isso gera uma expectativa que não pode ser quebrada na próxima compra. Por isso, a necessidade de sempre prezar pela matéria-prima de qualidade e pelo respeito aos processos”, aconselha.

 

E, como educador nato, ele ainda indica que é necessário “estudar, pesquisar, planejar, experimentar e perceber o que os consumidores estão pedindo. Se identificar com sua proposta também vale ouro, isso dará a energia e o foco necessários para persistir”, finaliza.

 

Para conhecer um pouco mais sobre a Produtos Pedra Aguda, clique aqui.

 

Na Rede Food Service é assim! Toda semana, te apresentamos negócios de alimentação fora do lar com reais propósitos para que lhe sirvam de inspiração.

Escrito por #molongui-disabled-link

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carregando…

0

Comentários

0 comentários

Novos vinhos da Vinícola Julia Kemper Wines são lançados no Brasil

Bradesco Seguros lança novo produto exclusivo para bares e restaurantes de todo o Brasil