in

Francisco Rebelo afirma que vida de chef é contribuir para a saúde e a felicidade das pessoas

Atual sócio e chef do Restaurante Douro In, em Recife, acredita que o seu dia a dia de muito trabalho e sacrifícios são compensados pela missão que a profissão que escolheu exerce na sociedade

Foto: Daniel Prates / Divulgação

 

Comer é um dos grandes prazeres da vida, certo? Mas, você sabia que, conforme um estudo da Universidade de Queensland, na Austrália, a comida também é uma fonte de felicidade, uma vez que a prática de comer oito ou mais porções de frutas ou verduras aumenta, comprovadamente, o bem estar mental? Pois é! Além disso, há muitos anos, é comprovado que comer bem também é sinônimo de saúde. Porém, todas essas certezas, em sua grande maioria, são sempre associadas a quem degusta os alimentos, esquecendo, assim, de quem os prepara. Isso mesmo, cozinhar também dá alegria e prazer para quem a prepara. E é exatamente dessa forma que Francisco Manoel Rebelo, de 50 anos, o chef Francisco Rebelo, define o que é a vida de chef. Afinal, para ele, o seu dia a dia de muito trabalho e sacrifícios são compensados pela missão que a profissão que escolheu exerce na sociedade. “A vida de um chef é muito corrida com muitas atribuições, porém, prazerosa, pois você contribui para a saúde e felicidade das pessoas. Você nutre e, ao mesmo tempo, entrega prazer aos clientes ao degustarem sua comida. E isso tudo em um ambiente mágico, que é a hospitalidade à mesa, onde se conversa e interagem as pessoas”, garante.

 

Quem é Francisco Rebelo?

 

Solteiro, sem filhos e formado em Administração pela Universidade de Pernambuco (UPE) e em Cozinheiro Chef Internacional pelo Culinary Institute of America e o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (SENAC-SP), atualmente, Rebelo é sócio e o Chef de Cozinha do Restaurante de Gastronomia Contemporânea Douro In.

 

Foto: Daniel Prates / Divulgação

 

Localizado dentro do RioMar Shopping, em Recife, Pernambuco, o cardápio do estabelecimento foi criado pelo próprio chef, sendo composto por receitas variadas com entradas, pratos principais e sobremesas que vão de clássicos da Gastronomia Internacional, passando pela culinária portuguesa a opções locais. Além disso, a carta de vinhos do restaurante é recheada de rótulos para todos os tipos de gostos. “O nome Douro in é uma referência à uma das regiões mais belas de Portugal, conhecida por sua produção de vinhos. O Douro tem o título de Patrimônio Mundial da Humanidade da Unesco”, ressalta Rebelo.

 

Foto: Daniel Prates / Divulgação

 

O chef também possui cursos complementares no Instituto Paul Bocuse, em Lyon, na França, no ICIF – Costigliole d’Asti, na Itália, no Les Roches Marbella, na Espanha, e no Kendall College, em Chicago, nos Estados Unidos. “Ainda fiz estágio no Sul da França e vários eventos nos Estados Unidos, sendo em Vail, Colorado e Beaver Creek. Além disso, já  fui proprietário dos restaurantes Bocaccio e Cordel e implantei vários restaurantes como consultor. Inclusive, o último foi o Terraço Insalata, em São Paulo, capital. Assim como, já atuei como consultor do Buffet Renato Aguiar Festas por 11 anos e lecionei e coordenei o curso de Gastronomia da Universidade Anhembi Morumbi por 15 anos. Hoje, além do Douro In, sou chef e sócio do Restaurante Solar do Douro”, detalha.

 

Dia a dia

 

Para Rebelo, fazer parte do universo food service é uma oportunidade única. “Quando eu abri meu primeiro restaurante, em 1993, comecei a ter contato com o mundo food service e todas as particularidades desse universo. É algo realmente excelente, pois oferece soluções para os clientes não apenas em um produto em si”, ressalta.

 

Foto: Divulgação

 

Em relação ao seu dia a dia, o chef garante que vive “a verdadeira rotina de um chef. Controlo todo o fluxo operacional da cozinha, do recebimento da matéria-prima a finalização do prato ao cliente. Organizo toda escala e atribuições da brigada de trabalho. Assim como, monto o cardápio regular, os festivais e eventos. Sou um administrador de cozinha. Preciso agir racionalmente para enfrentar os desafios do dia a dia e, ao mesmo tempo, sonhar para atender aos desejos dos clientes com cardápios criativos e estimulantes, como o Festival de Verão que lancei agora em janeiro com um cardápio com gosto de férias, pé na areia, descontração e uma verdadeira experiência para os clientes. Minha cozinha é um misto de tudo que vivi nesses 28 anos trabalhando com alimentação”, divide.

 

Foto: Daniel Prates / Divulgação

 

O chef revela ainda que o seu atual e “maior desafio é a regularidade da produção e entrega do produto ao cliente. O glamour fica só nas revistas. Chef de cozinha é uma profissão muito desgastante, com muitas horas de trabalho, desafios e o nosso sucesso acaba no próximo prato, estamos sempre buscando ser melhor”, afirma. Já a sua meta é “aprimorar mais as técnicas de produção e treinamento da equipe. Sonho com uma cadeia produtiva regular da entrega da matéria-prima a finalização ao cliente, já que, hoje em dia, temos dificuldade em adquirir algumas matérias-primas e na sua transformação em produtos finais ao consumidor”, explica.

 

Mercado

 

Conforme Rebelo, o mercado de alimentação foro do lar “está cada dia mais competitivo em todos os sentidos, da oferta da concorrência a exigência dos clientes. Por isso, necessita de muito mais preparo, pois precisamos fazer mais com menos e, ao mesmo tempo, entregar um ótimo produto final ao cliente”, avalia.

 

Foto: Daniel Prates / Divulgação

 

O chef acrescenta ainda que, hoje, “temos um novo conceito na alimentação. Precisamos oferecer produtos saudáveis e, ao mesmo tempo, algo atrativo ao visual e com ótimo paladar, uma experiência à mesa. Além disso, desde o começo da pandemia de Covid-19, tudo mudou, da forma de produzir a entrega dos produtos aos clientes. Estamos vivendo uma revolução na indústria do food service”, alerta.

 

Dica do chef

 

Por fim, a pedido da reportagem da Rede Food Service, Rebelo aconselha “estudar, trabalhar e procurar um chef como mentor e ajuda no desenvolvimento como profissional” para quem sonha em ser chef de cozinha como ele. “Seja determinado, pois é uma profissão desafiadora. Caso consiga, faça viagens e conheça novas culturas”, indica.

Escrito por #molongui-disabled-link

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carregando…

0

Comentários

0 comentários

American Burger: o delivery de hamburguer que mais cresce no Brasil e nasceu de um investimento inicial de apenas R$ 800

Nutty Bavarian inaugura sua primeira loja de rua