in

Estudo indica que 8 em cada 10 estabelecimentos comerciais manterão delivery após pandemia

Pesquisa foi realizada pelo Instituto Locomotiva por encomenda da VR Benefícios

Foto: Getty Images

 

Pesquisa nacional encomendada pela VR Benefícios e realizada pelo Instituto Locomotiva, indica que 81% dos estabelecimentos comerciais no Brasil passaram a fazer delivery durante o processo de quarentena, e manterão esta modalidade de venda mesmo após o término da pandemia. Antes, 49% dos restaurantes, bares, cafeterias, lanchonetes, padarias e supermercados faziam entregas em domicílio.

 

A pesquisa mostra ainda que, 47% destes estabelecimentos aderiram a novos canais de venda a partir da pandemia, por ser na ocasião a única alternativa de sobrevivência. Das modalidades, o comércio pelo telefone foi o mais adotado, com 71% de adesão por parte dos comerciantes. O Whatsapp vem em segundo lugar com 63%, o e-commerce próprio com 51%, as vendas online com 42% e os aplicativos de entrega com 39%.

 

Com relação ao tipo de serviço oferecido no restaurante, o modelo “self-service” era adotado por 59% dos restaurantes antes da pandemia, e agora, apenas 42% deles servem refeições desta forma. O serviço “à la carte” subiu de 43% para 54% já que parte dos estabelecimentos migraram de um modelo para o outro.

 

O processo de implementação de novos meios de pagamento sem contato físico também foi acelerado pela pandemia. Os que já adotavam algum tipo de solução, aumentaram a utilização, e os que implantaram a modalidade durante a pandemia somam 65%. As formas mais utilizadas indicadas no estudo são: aproximação de celular (83%), QR Code (69%), aplicativos no celular, como Google Pay ou Apple Pay (32%) e envio de link por pagamento (18%).

 

Na Rede Food Service você fica sabendo o que acontece de importante no mercado de restaurantes.

Escrito por #molongui-disabled-link

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carregando…

0

Comentários

0 comentários

Consumo em restaurantes recua em dezembro e ano de 2020 fecha 28,1% abaixo de 2019

Farinha + água + sal + distanciamento social = ‘pãodemia’