in

American Burger: o delivery de hamburguer que mais cresce no Brasil e nasceu de um investimento inicial de apenas R$ 800

Fundada por uma mineira, marca já está presente em 4 Estados e previsão é que 100 lojas possam ser abertas pelo Brasil a fora até 2023

Foto: Divulgação

 

Oitocentos reais. Esse foi o investimento que deu origem ao American Burger, o delivery de hambúrgueres e acompanhamentos que mais cresce no Brasil, como diz o próprio atual slogan da rede.

 

Fundada em março de 2015 pela mineira Camila Calixto Lage Guerra, de 30 anos, a marca já está presente em 4 Estados e a previsão é que 100 lojas sejam abertas pelo Brasil a fora até 2023. “Atualmente, a American Burger conta com 150 funcionários e temos 13 lojas em funcionamento nos formatos delivery e take a way nos Estados de Minas Gerais (Belo Horizonte, Contagem, Nova Lima, Juiz de Fora e Uberlândia), Espírito Santo (Vitória), Rio de Janeiro (capital), e São Paulo (capital). A American Burger Delivery é uma hamburgueria do ramo de fast food nascida em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte. A qualidade dos nossos produtos e um marketing alinhado com as mudanças que o mundo digital nos proporciona hoje em dia é o que mais nos caracteriza. Não possuímos franquias, todas as lojas são próprias”, apresenta Guerra.

 

Camila Guerra, fundadora da rede American Burguer  Foto: Divulgação

 

Filha de um comerciante e de uma professora, a empresária relata que o negócio é fruto de uma vida de luta para pagar a faculdade e repleta de apostas como empreendedora, incluindo algumas experiências frustrantes. Formada em Engenharia Mecânica pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas), Guerra chegou a ter uma empresa de crédito, fazer estágio em uma das maiores fabricantes de automóveis do mundo, ter uma barraca de venda de eletrônicos junto ao marido na porta da multinacional, além de ter tentado a vida também como dona de lava-jato e empresa de aluguel de carretos e vendedora de água de coco e brigadeiro. O início foi complexo assim como para a maioria das empresas, mas, com esforço e dedicação, fomos galgando novas e belas conquistas a cada ano”, avalia.

 

 

O começo de tudo

 

A ideia de montar a American Burger surgiu depois que Guerra já tinha tentado a vida empreendedora sem preconceitos e em vários ramos, mas sem sucesso. Por meio de uma experiência como consumidora de hambúrguer, ela acabou percebendo que o nicho de entregas de lanches na cidade de Contagem, na Grande BH, era algo praticamente inexistente. Assim, a engenheira decidiu novamente empreender. “A ideia começou quando fui pedir algo para comer via delivery, mas fui surpreendida por não conseguir realizar o pedido em decorrência da região onde morava. A maioria das lanchonetes alegava estar muito longe. A partir daí, tive a iniciativa de criar algo que chegasse a todos os lugares de Contagem e Belo Horizonte, inicialmente, com um preço justo e com qualidade”, relembra.

 

Inauguração de Unidade American Burger antes da pandemia Foto: Divulgação

 

Visionária, Guerra reuniu os únicos R$ 800 que tinha e resolveu montar seu próprio delivery de hambúrgueres. Determinada, ela foi até o supermercado, comprou alguns ingredientes e voltou para casa para testar algumas receitas que já havia pensado. Após acertar uma delas, não pensou duas vezes e chamou a família e amigos para provar o seu hambúrguer número um, que foi imediatamente aprovado por todos. “Os primeiros burgers foram feitos na cozinha da minha casa. O investimento inicial foi para compra de insumos já de qualidade. Um fato curioso é que, com o aumento do número de pedidos e já atuando com motoboys freelancers, eles ficavam na sala da minha casa aguardando os pedidos. Em um belo dia, a quantidade de motoboys era tão grande que o sofá em que eles estavam se quebrou. Ali, eu tive um novo insight e pensei: é hora de ampliar os negócios e me mudar para um espaço maior. Não cheguei a fazer um curso de Gastronomia, mas sempre gostei bastante de experimentar coisas novas na cozinha, principalmente, com burgers”, revela.

 

Foto: Divulgação

 

Segundo a empresária, ela sempre contou com a ajuda de sua família, em especial de seu marido. “Meu esposo Pedro Andrade, meu sócio no American Burger, é minha base e sempre presente em minhas tomadas de decisões. Além disso, minha amiga e, hoje, sócia Damaris veio um pouco mais a frente para me ajudar no lançamento de outro negócio food service, no segmento de japonês, também sempre compartilhando informações para auxiliar na tomada de decisões”, relata.

 

 

Vendas e cardápio

 

Atualmente, são vendidos uma média de 100 mil lanches da American Burger por mês e, conforme Guerra, o atual perfil de cliente da empresa são “jovens entre 16 a 34 anos, em sua maioria mulheres e usuários de delivery de forma mais constante”, classifica. Já sobre o que move e inspira o negócio hoje em dia, ela descreve que são “hamburguerias fast food que possuem modelos de negócios rentáveis sem perder sua essência”.

 

Foto: Divulgação

 

O cardápio da marca é composto por “20 opções de burgers que vão desde a tradicional carne bovina, passando pela picanha, frango e salmão. No cardápio, ainda entram bebidas (cerveja, suco e refrigerante) e o carro-chefe da empresa é o maior burger do cardápio, o Dodge Ram, que vem com pão gergelim, dois burgers bovinos de 120 gramas cada, molho American, cheddar, cebola roxa, bacon, alface americana e tomate, simplesmente uma delícia”, garante Guerra.

 

Foto: Divulgação

 

Outro diferencial da American Burger é que todos os hambúrgueres de seu cardápio possuem nomes de carro. Sempre fui apaixonada por carros, dos modelos novos aos antigos. Todos passeiam pelo meu imaginário desde muito nova. Colocar os nomes dos carros nos burgers foi uma forma de homenageá-los e ao, mesmo tempo, criar uma identidade própria para a marca que acabara de nascer”, explica.

 

O segredo do sucesso

 

Para Guerra, o segredo para alcançar sucesso no atual mercado food service está diretamente relacionado à postura do empresário do ramo em dar prioridade a “ter uma entrega de qualidade, respeitando o prazo do cliente. Além disso, uma equipe alinhada com os propósitos da empresa é essencial para um melhor desempenho nesse mercado”, aconselha.

 

Foto: Divulgação

 

A empresária recomenda ainda que quem está começando no ramo de alimentação fora do lar precisa “se cercar de pessoas determinadas e que tem o mesmo objetivo que você. Procure ampliar seu networking de uma maneira que, ao se conectar com um fornecedor, por exemplo, você dê a ele segurança para saber que o seu negócio é o melhor investimento de sua vida”, orienta.

 

 

Efeitos da pandemia de Covid-19

 

Como a maioria dos empresários, Guerra divide que sofreu e ainda sofre alguns dos efeitos da atual pandemia de Covid-19 e sua decorrente crise social e econômica. No entanto, garante que, para ela, onde há obstáculos também existem oportunidades. Por isso, mesmo precisando fechar algumas lojas durante os constantes períodos de restrições de funcionamento devido à doença em todo o país, a empresária assegura que conseguiu manter o crescimento da sua marca food service ao aproveitar o momento para inovar e informar melhor os seus clientes. “Desde o início da pandemia, em março de 2020, temos realizado várias mudanças, mas, principalmente, ações que visam diminuir os impactos dessa doença em nosso setor. Passamos a estabelecer regras de higiene pessoal e coletiva (algumas já presentes no dia a dia) para que o cliente se sentisse confortável ao realizar seu pedido e também que nossos colaboradores pudessem dar continuidade ao trabalho com segurança. Uma das nossas ações iniciais foi considerada pioneira no ramo alimentício, quando enviamos álcool gel em frascos de 30 ml para todos os nossos clientes. Junto, havia uma cartilha que constava um Qr Code com informações sobre o Covid-19, além de instruções de como se prevenir da doença. Essa ação chamou a atenção dos principais veículos de comunicação de Minas Gerais, além de despertar nas empresas um espírito de solidariedade tão grande que vários restaurantes passaram a enviar álcool gel para seus clientes como forma de prevenção”, destaca.

 

Quer saber mais sobre histórias de sucesso de negócios de alimentação fora do lar como a da American Burger e ficar por dentro dos bastidores de como os empresários estão conseguindo seguir esse caminho de superação? Então, continue acompanhando a Rede Food Service!

Escrito por #molongui-disabled-link

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carregando…

0

Comentários

0 comentários

Onda do “Do It Yourself” chega na cozinha e brasileiros apostam em drinks feitos em casa

Francisco Rebelo afirma que vida de chef é contribuir para a saúde e a felicidade das pessoas