in

Italian Dessert mantém tradição do gelato há mais de 30 anos no mercado brasileiro

Com foco no atendimento de restaurantes e outros negócios de food service, agora, a empresa paulista também investe no varejo e na abertura de uma loja

Delicias da marca estão presentes em mais de 800 restaurantes do mercado (Foto: Divulgação)

 

Não há quem se lembre da Itália e deixe de associar o país ao seu ‘passione per il gelato’. Apesar dos indícios de que o sorvete foi criado por chineses há mais de 3 mil anos, a partir da mistura feita de neve, mel, frutas e gema de ovo, e passada aos árabes, que desenvolveram o famoso sorbet, feito à base de água, foram os europeus que adicionaram o leite à receita e chegaram ao modelo que conhecemos hoje.

 

Traduzindo ao pé da letra, gelato significa sorvete em italiano. Ainda que leve os mesmos ingredientes centrais da versão brasileira – leite, açúcar e água -, o item se popularizou há alguns anos no Brasil como uma opção mais luxuosa quando comparada à nacional. A qualidade dos produtos, o processo artesanal, o sabor acentuado e a menor taxa de gordura fizeram com que o item europeu caísse no gosto dos brasileiros e que as gelaterias tomassem conta do país.

 

Italian Dessert: preparo artesanal e paixão pelo Gelato – Foto: Divulgação

 

Uma das pioneiras do mercado é a Italian Dessert, empresa tipicamente italiana, fundada em 1989 por Carlo Maveri. Em mais de 30 anos de história, o negócio mantém uma trajetória firmada na tradição e na qualidade do gelato. A paixão foi passada de pai para filho e, atualmente, quem  dirige a empresa é Matteo Maveri. A Rede Food Service conversou com o empresário para conhecer a história e os caminhos que levaram a Italian Dessert a ser um dos queridinhos do mercado de food service quando o assunto é gelato.

 

A paixão por sorvete e pelo Rio de Janeiro

 

A cidade italiana de Busto Arsizio, localizada na região de Lombardia, era uma das mais ricas do país graças ao desenvolvimento no ramo têxtil. E foi nesse segmento que Carlo Maveri começou a trabalhar ainda jovem. Porém, ao mesmo tempo, ele se dedicava como hobby aquilo que verdadeiramente mexia com seu coração: o gelato.

 

Matteo e os pais Carlo e Patrizia (Foto: Divulgação)

 

Depois do casamento, um outro passatempo virou rotina entre o casal. Carlo e Patrizia Maveri começaram a viajar pelo mundo. Depois de conhecer Ásia e África, chegou a vez da cidade maravilhosa. Matteo conta que os pais se apaixonaram pela capital carioca e, após algumas visitas como turistas, decidiram se mudar para o Brasil. “Meu pai e minha mãe se encantaram com o Rio de Janeiro. Vieram mais duas ou três vezes de férias. Acabaram gostando da cidade, jogaram tudo para cima e se mudaram para o Brasil em 1978. E eu acabei nascendo no Rio, eu sou carioca”, lembra o empresário.

 

Aqui no Brasil, Carlo continuava fazendo a sua renda principal da venda de malhas. Com o nascimento de Matteo, o casal se mudou para São Paulo visando o centro comercial do país como uma oportunidade de expandir negócios. Na metrópole paulista, o italiano começou trabalhando com eventos e, logo depois, conseguiu se inserir novamente no “mundo dos sorvetes”. A partir da parceria com um sócio, nascia a Boneco de Neve, a sua primeira fábrica. Foi lá que ele desenvolveu duas das suas criações, o Tartufo e a Cassata. As sobremesas feitas com sorvete combinado com outros ingredientes como chantilly e cacau em pó eram uma verdadeira febre nas pizzarias e restaurantes na década de 80.

 

Tartufo, “Clássico Italian Dessert” e uma das primeiras sobremesas prontas do mercado – Foto: Divulgação

 

Em 1989, Maveri decidiu seguir seu próprio caminho, saiu da sociedade e fundou a Italian Dessert, na Vila Madalena, em São Paulo. O empreendimento surgiu com o foco de atender o food service e se tornou um das maiores fornecedoras de sorvetes e sobremesas para restaurantes, clubes, buffets e eventos da região.

 

Dificuldades

 

Em 31 anos de trajetória, a história da Italian Dessert também foi pautada por obstáculos. Por complicações de saúde, Patrizia Maveri precisou ser hospitalizada por um período longo de tempo e, para conseguir arcar com o tratamento, Carlo precisou vender todo o seu patrimônio e só conseguiu manter a fábrica de sorvetes.

 

Logo depois, o empresário foi diagnosticado com câncer de garganta. Com a impossibilidade de seguir de forma integral à frente do negócio, o patriarca da família ofereceu a direção da empresa ao filho Matteo. Foi assim que, desde 1999, ele se rendeu ao amor pelo sorvete ao lado do pai. “Meu pai não queria abrir mão do sonho dele, que acabou se tornando o meu. Hoje, tenho a Italian como uma paixão”, diz o empresário.

 

Recentemente, a fábrica deixou a Vila Madalena e se firmou na Barra Funda. Logo após a mudança, em fevereiro deste ano, um novo imprevisto viria para surpreender negativamente o negócio. Uma enchente tomou conta do lugar, deixando prejuízos em equipamentos e veículos de transporte.

 

30 anos no mercado

 

Mesmo com os percalços, a Italian Dessert persistiu no mercado e se mantém entre um dos principais fornecedores de gelato para outras empresas da região. Antes da pandemia da Covid-19, Matteo contabilizava 800 clientes, entre restaurantes, clubes, buffets e eventos de São Paulo.

 

Lellis Trattoria, um dos mais tradicionais restaurantes da cidade e cliente fiel há 15 anos – Foto: Divulgação

 

As histórias dos compradores da marca se misturam com a do empreendimento. Como é o caso do Lellis Trattoria, restaurante típico da culinária italiana que é cliente fiel há pelo menos 15 anos. O gelato da Italian figura entre as principais sobremesas do lugar, entre elas os clássicos creme de papaya e petit gateau e também as criações de Carlo Maveri, Tarturo, Cassata e Amore di Cocco.  Edilson dos Santos Brito, gerente de salão da cantina, conta que a escolha por permanecer com a mesma empresa como fornecedora é o padrão de qualidade entregue durante os anos. “A qualidade deles é impecável. Mantém o mesmo padrão desde que começou. A clientela gosta muito”, relata o funcionário do restaurante italiano.

 

De olho no varejo

 

Apesar do foco em food service, o empreendimento alça novos voos e lançou os potes de sorvete de dois litros visando o varejo. A linha com 13 sabores já está em supermercados, padarias e hortifrútis. Outra novidade é a inauguração de uma loja pensada para atender o público. Para isso, Matteo projetou um espaço que lembre a Itália. “Estamos montando uma loja com um conceito diferente, não apenas uma gelateria, mas um local para servir um sorvete de qualidade e também oferecer produtos inovadores. O ambiente foi pensado para que as pessoas se sintam em uma vila italiana”, conta o empresário, que espera lançar a loja ainda neste mês de dezembro.

 

Parte da fachada da Futura loja “Sorvetes Italian Dessert”: ambiente de uma vila Italiana e produtos exclusivos da marca – Foto: Divulgação

 

Quando questionado sobre o que mantém a Italian Dessert no mercado por mais de três décadas, Matteo é firme sobre a qualidade do produto que fazem e se diz contrário à gourmetização do gelato. “O brasileiro pegou o nome e fez com que o sorvete virasse uma coisa mais cara. Eu sou contra essa gourmetização. Porque sorvete é sorvete, independente para qual público. Nossa pretensão sempre foi deixar as pessoas felizes ao comerem o gelato. A gente tem um produto de qualidade, com o preço justo”, ressalta Maveri.

 

Sobre o futuro, o empresário garante o investimento em food service, mas também pensa em novos caminhos para o negócio. “Food service sempre será o nosso carro-chefe. Mas, a nossa marca não é reconhecida, porque quando você senta em um restaurante e consome um sorvete, não sabe qual marca é. No varejo, temos um nome exposto, uma embalagem pensada para trazer uma experiência ao consumidor. O mercado também absorveu essa proposta”, finaliza à reportagem da Rede Food Service.

 

Na Rede Food Service você conhece histórias reais e inspiradoras de quem faz o food service acontecer.

Escrito por #molongui-disabled-link

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carregando…

0

Comentários

0 comentários

Embalagens biodegradáveis ganham cada vez mais espaço no mercado food service

Débora Cabral e seu exemplo de que vida de chef também é promover a inclusão