in

EX BURGUER: “A periferia venceu”

Rede iniciada na garagem vende mais de 200 mil hambúrgueres por mês e conta com 80 lojas localizadas nas periferias brasileiras

Ademario Santos Silva, criador da Ex Burguer: "produto para famílias das classes C,D e Z". (Foto: Divulgação)

 

Um desemprego, uma chapa, uma fritadeira, um freezer, uma geladeira e uma garagem. Foi assim que a rede de franquias de lanches EX BURGUER foi iniciada há nove anos por Ademario Santos Silva, de 49 anos, natural de Una, na Bahia, com formação superior incompleto e pai de Victor e Kaike. Hoje, o negócio conta com mais de 80 lojas, faturamento mensal de cerca de R$ 1 milhão e venda de 200 mil hambúrgueres a cada trinta dias. “Após eu ser demitido de uma rede de supermercado de São Paulo, comecei o negócio. Na época, não existia nem iFood, muito menos Uber Eats. Muitas das vezes, eu mesmo fazia o lanche, baixava a porta, montava na moto e levava até o cliente. Hoje, temos mais de 80 lojas franqueadas em operação em periferias de São Paulo, Bahia e Paraná. Além disso, todos os dias, entra mais ou menos cinco pedidos de pessoas interessadas na marca”, relembra e revela o empresário com exclusividade à reportagem da Rede Food Service.

 

O que é a rede EX BURGUER?

 

De acordo com Silva, ele entende o seu negócio como “uma marca fast food consolidada nas periferias de São Paulo e outros Estados do Brasil. Os nossos clientes são os mesmos das grandes marcas de fast food. Porém, são mais recorrentes por causa da nossa qualidade e preço justo, pois cobramos em combos e pensando nas famílias das classes C, D e Z. Então, em resumo, para mim, a rede EX BURGUER é o fast food da família brasileira”, ressalta.

 

Comunicação de uma das lojas da Rede Ex Burguer (Foto: Divulgação)

 

O empresário acrescenta que o conceito de família não está só público-alvo da marca, mas também na operação dos seus franqueados e respectivas equipes, algo que se orgulha muito. “Normalmente, quem trabalha nas lojas franqueadas são parentes diretos dos franqueados, como filhos, sobrinhos, esposa, esposo, ex-marido, ex-mulher, etc. Nossa ideia de franquia é para a família trabalhar junta. E o que mais me deixa feliz é saber que, hoje, das mais de 80 lojas da rede, 10 são de ex-motoqueiros, chapeiros, batateiros, montadores de lanche, etc. Eu quero, cada vez mais, que os jovens da periferia empreendam. Acho que essa mania de buscar acabar com o desemprego copiando modelos americanos ou europeus não funciona em nosso país. A saída é promover o empreendedorismo”, garante.

 

Clientela bem conhecida e fiel

 

Para Silva, “o cliente EX BURGUER é o pai de família com filhos seduzidos pelas grandes redes de fast food, que prometem 2 por 15, mas sabemos que não é realmente 2 por 15. É 2 por 15,99 e 2 por 20 e, assim, sucessivamente. Assim como, é o pai e mãe de família que, na sexta-feira à noite depois do serviço e de ficar duas horas no trânsito, chega em casa cansado (a) e precisa pedir algo pra comer, porque não tem disposição para ir para o fogão. Além disso, vale destacar que, nas casas de classes A e B, há opções nas geladeiras. Mas, nas das famílias de classe C e D, as opções são poucas ou nenhuma. Então, ou pedi pizza ou os nossos combos. Por isso, eu faço questão que as lojas da EX BURGUER sejam instaladas nas periferias, pois, assim, conseguimos atender bem e com um preço acessível”, explica.

 

‘A periferia venceu’

 

Além de todos os pontos que Silva já apresentou em relação a preço e produto, a rede EX BURGUER também se tornou nacionalmente conhecida pelo slogan ‘A periferia venceu’. No entanto, para o empresário, ainda falta muito para que essa frase traduza a realidade das periferias do Brasil. “Tal frase é muito dita pelos Mcs e resolvemos adotá-la como incentivo mesmo. Mas, avalio que ainda falta muito para que um dia a favela, realmente, vença. Afinal, isso depende de um conjunto de coisas. Primeiro, o Governo precisa fazer sua parte. Assim como, a postura do favelado também precisa mudar. É preciso entender e se organizar melhor, além de correr atrás do desenvolvimento intelectual, mesmo que tenha que atravessar pontes, viadutos, etc. Porém, a gente brinca com esse slogan, pois queremos provocar os ‘muleques’”, revela.

 

Sonhos e metas

 

Silva divide ainda que o seu atual maior sonho “é colaborar para que, realmente, a favela vença. Quero que a EX BURGUER esteja em todas as periferias do Brasil, gerando oportunidades para as famílias que nunca teriam dinheiro pra montar uma outra franquia de uma grande rede,
mesmo que fosse de uma marca de perfume. Quero levar a marca, cada vez mais, para os extremos do país. Também almejo que meus fornecedores possam ir comigo e, assim, tornar a cultura do fast food cada vez maior nas periferias do Brasil. Meu sonho é que possamos chegar
a 500 lojas e que pelo menos umas 200 sejam de ex-motoqueiros, chapeiros, etc Quero, realmente, contribuir para que cada vez mais os jovens se tornem empreendedores de sucesso”,
diz.

 

Foto: Divulgação


O segredo do sucesso

 

Já sobre o segredo do sucesso da rede EX BURGUER, Silva esclarece que está no fato de que “é preciso ficar atento às mudanças e aos desafios. E o desafio principal hoje em dia é proporcionar ao cliente final um produto bom e com um preço acessível. E, obviamente, é necessário conhecer seu cliente, estar próximo dele e proporcionar boas experiências. Os marketplaces como iFood e Uber Eats, por exemplo, são bons, mas também é muito importante ter um contato direto da marca, da loja com o cliente. Na EX BURGUER, todas as lojas possuem um número de WhatsApp disponível e um perfil no Instagram. Com isso, estamos conseguindo construir uma identidade e uma proximidade entre cliente e loja e loja cliente”, aconselha.

 

Foto: Divulgação

 

O empresário indica ainda que “nesse novo mundo de Covid-19, é muito importante ter um custo operacional baixo e um bom conhecimento no delivery. Acho que nunca mais o mundo será o mesmo de antes. Por isso, é preciso ver o delivery com bons olhos, porque, cada vez mais, ele será fortalecido. Também é necessário conhecer o cliente e entender que o marketing digital é o que impulsiona pequenos e grandes negócios. Para essa ‘rapazeada’ de hoje em dia, tudo vira Stories no Instagram e, consequentemente, status. Assim, é precisamos estar nas telas deles e dos amigos”, alerta.

 

O que os franqueados dizem

 

Almir Sampaio Almeida, de 43 anos, foi o primeiro a acreditar na marca EX BURGUER. Com o segundo grau completo, antes de virar empresário, em outubro de 2017, ele trabalhava como representante comercial e instrumentador cirúrgico. Ele garante que tornar um franqueado EX BURGUER mudou completamente a sua vida. “Primeiro porque, desde o primeiro momento, eu e minha família tivemos que trabalhar muito de dia e noite. Mas, hoje, já temos uma equipe com mais ou menos 25 a 30 funcionários. Meu investimento inicial foi de R$ 20 mil e, com certeza, valeu e vale a pena. Afinal, hoje, a minha renda média fica na casa dos 4 dígitos /mês. Além disso, a missão da EX BURGUER tem um diferencial que parte do fundador. Com empatia, a marca visa as classes mais baixas da periferia como uma ferramenta social”, avalia.

 

Almir Sampaio, um dos franqueados da rede, e seu filho – Foto: Divulgação

 

Carlos Fernando da Costa, de 24 anos, formado em Administração de Empresas e ex- estagiário do Banco Bradesco também é um dos franqueados da marca desde maio deste ano. Conforme o jovem, vários fatores o levaram para o mercado do empreendedorismo no ramo food service e isso mudou complemente a sua rotina. “Primeiro, tudo mudou, pois é um mercado totalmente fora do que eu trabalhava antes. Além disso, do dia para a noite, passei a ser responsável por uma equipe, uma lanchonete e todas as demandas que aparecem. E isso me fortalece muito a cada dia, tanto como pessoa, quanto profissional. Meu investimento inicial foi de R$ 15 mil e, hoje, minha renda média é de R$ 7 mil mês”,relata.

 

Carlos Fernado Costa, um dos jovens franuqeados da rede – Foto: Divulgação

 

Para Costa, o que mais diferencia a EX BURGUER é o seu “viés social enfatizado pelo Ademario em diversas ocasiões. Além disso, boa parte dos franqueados são jovens de periferia e vindos de famílias com baixa renda. Ou seja, é uma oportunidade que poucas franquias oferecem no mercado, principalmente, a esse público”, enfatiza.

 

Quer saber mais sobre histórias de sucesso de negócios de alimentação fora do lar e os bastidores de como os empresários conseguiram seguir esse caminho de superação? Então, continue acompanhando a Rede Food Service!

Escrito por #molongui-disabled-link

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carregando…

0

Comentários

0 comentários

2020 o ano de grande aprendizado, um ano que nos ajudou entender a palavra reinventar!

Chester de Natal, Pernil especial de Ano Novo e Frango Recheado