in

Despertando para novas relações humanas na gestão com a psicanálise

A necessidade de incluir novos conceitos sobre o desenvolvimento humano no processo de gestão

(Foto: Getty Images)

 

Há mais de um século a teoria das relações humanas trouxe uma nova linguagem para a gestão: conceitos como motivação, liderança, comunicação, organização informal, dinâmica de grupo, entre outros.

 

A decorrência disso foi o estabelecimento de visões organizacionais tais como os trabalhadores são dotados de sentimentos, desejos, sendo que os comportamentos apresentados têm sua base predominantemente nos fatores emocionais.

 

Dentro disso, o compromisso dos grupos sociais é influenciado pelo estilo de gestão e liderança. O gestor líder é aquele que influencia positivamente seus subordinados, em linhas gerais, ele consegue conduzir um grupo de pessoas para se atingir objetivos. Para um gestor obter essa autoridade tão importante, ele deve possuir algumas competências que vêm sendo observadas e analisadas ao longo dos últimos tempos.

 

Algumas teorias foram desenvolvidas para explicar e ajudar a desenvolver a liderança. Entretanto, de forma geral, podemos considerar que ela tem sido foco de pesquisas ao longo da história.

 

Atualmente, mais do que nunca, a condução de um grupo de pessoas, transformando-o numa equipe que gere resultados, é o desafio da liderança. Ela é a competência de motivar e influenciar as pessoas positivamente, para que todos contribuam com entusiasmo visando alcançarem os objetivos da equipe e da organização.

 

Assim, o líder diferencia-se do chefe, que é aquela pessoa encarregada por uma tarefa ou atividade de uma organização e que, para tal, comanda um grupo de pessoas, tendo autoridade de mandar e exigir obediência. Após a pandemia, a gestão precisará cada vez mais de chefes que exerçam suas posições com liderança.

 

Acredito assim, que há cada vez mais, a necessidade de se conhecer melhor as relações humanas e consequentemente suas influências, variáveis e suas possíveis formas de análise. Dentro disso, colocamos em foco para isso a psicanálise, como uma das áreas de estudo sobre a mente e o comportamento humano.

 

Os primeiros conceitos sobre psicanálise vêm de Sigmund Freud, buscando entender o indivíduo e as várias relações que se constituem nos seus processos mentais. Em uma empresa, sua cultura e seu clima organizacional dependem diretamente da forma com que a gestão é realizada. A aplicação de teorias psicanalíticas pode contribuir para melhor analisar as relações humanas de uma maneira mais estruturada nas práticas organizacionais.

 

Entretanto, para muitas pessoas a psicanálise é ainda vista apenas com o ponto de vista clínico, não percebendo as possibilidades de análises social e/ou organizacional que ela também oferece. Se por um lado Freud colocou que a psicanálise é um método para tratamento de distúrbios neuróticos, ele também colocou que ela é um procedimento para investigação de processos mentais. E os processos mentais e suas várias intercorrências ocorrem em todos os grupos de pessoas como são constituídas as empresas e organizações.

 

No atual quadro da pandemia trazida pelo Covid19; distúrbios como ansiedade, frustração, apatia, segundo a Organização Mundial da Saúde aumentaram muito na população mundial. E também por causa disso, a psicanálise pode ser uma abordagem interessante para compreender e mitigar o impacto desses elementos do comportamento humano nas organizações. Já escrevi em outro espaço, sobre a ideia de organizações como redutos de pensamentos, ideias e crenças inconscientes das pessoas que nela atuam.

 

Assim a melhoria contínua, ou a busca pela transformação positiva de uma pessoa e até de uma organização, passa pelo desenvolvimento do comportamento humano visando o seu pleno potencial. Dentro de qualquer empresa, como em todas aquelas do Food Service.

 

E para se alcançar melhores resultados continuamente, pelo o que já se sabe, depende-se amplamente das pessoas e de suas plenas capacidades e competências desenvolvidas e equilibradas. A nova gestão precisa se despertar, equipar e incluir novos conceitos sobre o desenvolvimento humano em suas análises e práticas para efetivas relações humanas; e a psicanálise pode ser mais um importante campo de conhecimento frente a isso.

 

Prof. Dr. Rogério Stival Morgado

Graduado, mestre e doutor pela USP; Professor universitário de extensão, graduação e pós-graduação.Desenvolve assessoria de gestão e treinamentos em diversas empresas.

E-mail para contato: [email protected]

Escrito por #molongui-disabled-link

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carregando…

0

Comentários

0 comentários

A cozinha como um universo de possibilidades para pensar, comer e preservar: uma nova visão sobre empreendedorismo na gastronomia

Sabor das Índias conquista relevância digital e tem crescimento de mais de 5.000% nas vendas do canal on line